Corpo de idosa assassinada fica 10 horas à espera de perícia

Publicado: 12 de fevereiro de 2009 em Uncategorized

Fotos: Bruno Gonzalez

Policia

Um crime chocou os moradores da Favela da Carobinha, em Campo Grande, na Zona Oeste do Rio, na manhã de quarta-feira, dia 11. Uma aposentada de 85 anos foi assassinada com uma facada no pescoço por um vizinho a quem ajudava. Ela pagava para que ele capinasse o quintal de sua casa, na Rua Pontões. O homicídio ocorreu por volta das 9 horas. Revoltados, conhecidos da idosa tentaram linchar o assassino, que foi salvo da morte e preso por policiais militares lotados no Regimento de Cavalaria Coronel Enyr Cony dos Santos (RCCECS).

Além da crueldade, outro fato causou revolta nos familiares e amigos da aposentada: o corpo ficou mais de dez horas no local. A viatura da PM chegou ao endereço às 9h35 e a perícia levou mais de seis horas para ser feita. Peritos do Instituto de Criminalística Carlos Éboli (ICCE) chegaram apenas às 17h37 à Rua Pontões. Uma hora depois, o rabecão do Corpo de Bombeiros, responsável por remover o corpo até o Instituto Médico Legal (IML), ainda não havia passado. Até o fechamento desta matéria, os PMs do RCCECS continuavam resguardando o local.

“Isso é um absurdo. Queria saber se acontece na Zona Sul. Ela foi morta no início da manhã e estamos há mais de 10 horas aguardando o corpo ser removido para podermos começar a resolver as questões para o enterro”, desabafou uma parente da vítima que pediu para não ter a identidade revelada.

Assim que são avisados sobre um assassinato, policiais militares se dirigem ao local para verificar a veracidade do fato. Ao ser constatado o homicídio, eles acionam a delegacia de Polícia Civil responsável pela área. São os policiais civis que entram em contato com a Perícia e, posteriormente, com o rabecão.

A aposentada Maria Salete Vieira, 85 anos, vivia há mais de cinco décadas na Carobinha.

A aposentada Maria Salete Vieira, 85 anos, vivia há mais de cinco décadas na Carobinha.

“Ela era querida por todos. Saía de casa toda manhã para ir à missa na Igreja Sagrada Família. Não tinha marido e nem filhos, apenas sobrinhos e quase não recebia visitas. Ela é que costumava ir no Méier visitar os parentes. Quando ouvimos os gritos, nem imaginamos que encontraríamos uma cena daquelas. Vimos o biscateiro todo ensangüentado”, contou a dona de casa Maristela Gomes, 32.

Após cortar a garganta da idosa com uma faca, Sebastião de Oliveira Fraga, 35, saiu da residência e sentou na calçada em frente ao imóvel. Ele estava com as roupas sujas de sangue e foi salvo do linchamento pelos PMs do RCCECS que foram chamados por populares. A arma do crime foi apreendida ao lado do corpo. Encaminhado para a 35ª DP (Campo Grande), Sebastião foi autuado em flagrante por homicídio e transferido para a carceragem da Polinter, onde vai permanecer à disposição da Justiça.

Anúncios
comentários
  1. Roseane disse:

    O que aconteceu neste dia foi um absurdo,inacreditavel,fico me perguntando o porque de tanta crueldade a dona Sallete sempre foi querida por todos,cresci com a sua compania e hoje ao ver este fato fico muito triste.Jamais imaginariamos que ela fosse nos deixar desta forma tão cruel.”DESCANCE EM PAZ Dª SALLETE.”

  2. Kaká disse:

    Absurdo, o pobre sofre mais.

  3. claudio disse:

    a policia só está se vingando e gerando mas mortes.
    e quem acaba pagando com isso tudo é a população.
    até quuando isso tudo vai dura já estamos cassados de tu isso,vamos dar um basta nisso governador!!!!!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s