PM salva da morte pedreiro expulso pelo tráfico do Caju

Publicado: 18 de fevereiro de 2009 em Uncategorized

Fotos: Bruno Gonzalez

Policia

Após correr por cerca de dez minutos e pular diversas lajes de imóveis localizados em becos e travessas da Favela São Sebastião, no Complexo do Caju, na Zona Portuária do Rio, o pedreiro Paulo Marques, 58 anos, teve a vida salva por policiais militares lotados no Grupamento de Ações Táticas (GAT) do 4º BPM (São Cristóvão), no final da manhã de terça-feira, dia 17.

O pedreiro fugia de traficantes ligados à facção criminosa Amigos dos Amigos (ADA) que controlam a venda de drogas na região e o ameaçaram de morte após sua recusa em permitir que eles montassem um ponto de endolação em sua residência.

“Eles já usavam a minha casa para dormir há um ano. A gente fica cheio de medo, mas vai levando. Só que agora queriam transformar minha casa em ponto para embalar drogas e isso eu não ia permitir”, contou o pedreiro, que é viúvo e morava sozinho há dois anos e meio no imóvel que levou mais de duas décadas para construir.

O drama de Paulo começou por volta das 22 horas de segunda-feira, quando ele resolveu encarar os criminosos. Depois de ser vítima de tortura psicológica durante toda a madrugada, ele foi ameaçado de morte, já na manhã de terça-feira.

“Eles disseram que iam me queimar vivo e tentaram me pegar. Eu saí correndo e fui pulando de laje em laje. Cheguei a cair e machucar a perna, mas continuei fugindo. Fiquei em desespero e consegui chegar na pista do lado de fora da favela”, relembrou o pedreiro, que fugiu com a roupa do corpo: uma bermuda jeans e um cinto.

Os PMs que realizavam patrulhamento de rotina nas proximidades do Caju foram avisados sobre o que acontecia e se dirigiram para o interior da favela. Os traficantes conseguiram fugir e, na casa do pedreiro, os policiais apreenderam maconha, material para endolação e duas armas: um revólver calibre 38 e uma pistola 675. Eles levaram o material apreendido e a vítima para a 17ª DP (São Cristóvão).

Policia

“Fomos avisados sobre o que estava acontecendo e nos dirigimos para o local. Os bandidos, que se comunicavam através de rádios de comunicação, perceberam nossa aproximação e alertaram aos comparsas. Quando chegamos, eles já tinham fugido. Nem houve confronto”, contou um dos PMs que participou da ação.

O pedreiro morava há 25 anos no mesmo imóvel na Favela São Sebastião. Ele tem dois filhos, de 18 e 19 anos, que moram com a avó, e iria procurar abrigo na casa de um irmão, que mora na Tijuca, na Zona Norte do Rio. De acordo com levantamento do Serviço de Inteligência (P-2) do 4º BPM, o gerente geral da localidade é conhecido como Bené. Ele teria sido um dos responsáveis pela expulsão do morador e pela decisão de condená-lo à morte por ter impedido que sua casa fosse transformada em ponto de endolação de drogas.

Policia

“Deixei tudo para trás. Minhas roupas, meus objetos, e nem penso em voltar para buscar nada. Infelizmente, a vida é essa. O importante é que eu tô vivo. Quero que Deus me dê força e saúde para correr atrás”, resignou-se.

Anúncios
comentários
  1. diego disse:

    ai esse cara são maior covarde quando e bara bater de frente com alei eles se treme mais matar trabalado eles querem …

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s