Efeito Chico Bala x Batman: dois comandantes são exonerados. PMERJ aproveita e altera outros 12 comandos

Publicado: 25 de abril de 2009 em Uncategorized
O comandante geral da PMERJ, coronel Gilson Pitta, trocou os comandos de 14 batalhões

O comandante geral da PMERJ, coronel Gilson Pitta, trocou os comandos de 14 batalhões

O não combate às milícias e a suposta amizade entre o comandante de um batalhão com um ex-policial militar acusado de chefiar uma quadrilha de paramilitares podem ter sido as causas das exonerações de dois oficiais que estavam à frente de unidades da PM. As decisões foram publicadas no Boletim número 70 da corporação, de 24 de abril. O primeiro teria sido exonerado pela forma passiva com que vinha se comportando em relação à guerra entre a Liga da Justiça e o Comando Chico Bala – dois grupos que disputam o controle de várias regiões de Campo Grande, onde o oficial reside. O outro, por ter sido a favor da permanência na corporação do líder de um dos bandos.

À frente do 25º BPM (Cabo Frio) desde o Governo de Rosinha Garotinho, o coronel Adilson Oliveira do Nascimento foi substituído pelo coronel Carlos Henrique Alves de Lima, que era comandante do Batalhão de Policiamento em Vias Especiais (BPVE). O coronel Adilson absolveu o então sargento Francisco César de Oliveira, o Chico Bala, acusado de chefiar o grupo conhecido como Comando Chico Bala. Submetido a Conselho de Disciplina (CD), em dezembro do ano passado, o atual subsecretário de Transportes de São Pedro da Aldeia acabou expulso pelo comandante geral da PM, coronel Gilson Pitta, três meses depois. O oficial contrariou o parecer do colegiado do batalhão de Cabo Frio e do então comandante da unidade, que pediam a permanência de Chico Bala na corporação.

O coronel Adilson Oliveira do Nascimento sai do 25º BPM (Cabo Frio) e vai para a DGP

O coronel Adilson Oliveira do Nascimento sai do 25º BPM (Cabo Frio) e vai para a DGP

De acordo com a decisão do coronel Pitta, os depoimentos e as provas colhidas pelo CD eram suficientes para expulsar o sargento, que era lotado no 25º BPM e foi submetido a processo administrativo disciplinar por ter participado de uma operação da 35ª DP (Campo Grande) realizada na Zona Oeste do Rio, em 2008. Na ocasião, usou colete e camiseta com a inscrição “Polícia Civil”, e empunhou fuzil da instituição, sem estar devidamente autorizado, além de ter feito papel de informante e colaborador em ações policiais sem autorização do comandante geral da PM.

Em entrevista exclusiva ao Jornal POVO do Rio, em 13 de abril, o ex-PM enfatizou: “Recebi méritos da corporação, e o comandante do 25º BPM não tem nada contra mim”. Ele já tinha sido submetido a Conselho de Disciplina, em 2002, e possuía anotações que somam 110 dias de prisão e cinco punições de natureza grave, sendo duas por envolvimento com cooperativas de transporte alternativo. Sua expulsão foi publicada no Boletim Interno da PM, de número 46, do dia 16 de março, e seu relato possui quatro páginas.

O coronel Antônio Uostom Borges Germano sai do 38º BPM (Três Rios) e vai para o RCCECS (Campo Grande)

O coronel Antônio Uostom Borges Germano sai do 38º BPM (Três Rios) e vai para o RCCECS (Campo Grande)

Já o coronel Antônio Uostom Borges Germano, que estava à frente do 38º BPM (Três Rios), vai substituir o tenente-coronel Weber Guttemberg Collyer no comando do Regimento de Cavalaria Coronel Enry Cony dos Santos (RCCECS). Considerado ineficiente no combate às milícias em Campo Grande, o coronel Weber – assim como o coronel Adilson – foi transferido para a Diretoria Geral de Pessoal (DGP) – a famosa “geladeira” da corporação. A atuação dele havia sido classificada como “ineficiente” em documento confidencial assinado pelo coronel Paulo César Lopes, enquanto comandante do 2º Comando de Policiamento de Área (2º CPA). O ofício, enviado em fevereiro ao coronel Gilson Pitta, sugeria a substituição do oficial, além de mudanças no Serviço de Inteligência (P-2) da unidade.

O coronel Paulo César Lopes deixa o 2º CPA (Zona Oeste) para assumir o 3º CPA (Baixada Fluminense)

O coronel Paulo César Lopes deixa o 2º CPA (Zona Oeste) para assumir o 3º CPA (Baixada Fluminense)

A conexão de policiais do Regimento de Cavalaria com grupos de milicianos é citada em relatório de inteligência da Polícia Civil. No último dia 23, o cabo André Oliveira, 35 anos, lotado na P-2 do RCCECS, morreu ao ser alvejado por mais de 20 tiros de fuzil, quando chegava em casa, no bairro Santa Rosa, em Campo Grande. Ele era apontado como amigo do ex-PM Luciano Guinâncio – filho de Jerônimo Guimarães, o Jerominho. De acordo com a Polícia, o PM executado tinha envolvimento com a Liga da Justiça, chefiada pelo ex-PM Ricardo Teixeira da Cruz, o Batman.

Foi ao 2º CPA que o despachante André Luiz Batista Menezes, 34, se dirigiu para pedir ajuda, em julho do ano passado, ao ser informado de que estava sendo procurado por integrantes do Comando Chico Bala em viaturas oficiais da Polícia Civil. Ele prestou declarações à P-2 e o documento foi encaminhado pela vítima ao Ministério Público, à Corregedoria da Polícia Civil e à Vara Criminal de Campo Grande. A denúncia foi publicada com exclusividade pelo Jornal POVO do Rio, na edição de sexta-feira, dia 24.

Outras mudanças

Depois de dois anos à frente do 7º BPM (São Gonçalo), o tenente-coronel Ricardo Quemento Lobasso é o novo comandante do 31º BPM (Recreio dos Bandeirantes)

Depois de dois anos à frente do 7º BPM (São Gonçalo), o tenente-coronel Ricardo Quemento Lobasso é o novo comandante do 31º BPM (Recreio dos Bandeirantes)

O comando do 2º CPA também mudou. O coronel Lopes vai assumir o 3º CPA – responsável por seis batalhões da Baixada Fluminense – trocando de cargo com o coronel Roberto de Oliveira Penteado. À frente do 7º BPM (São Gonçalo) há dois anos, o tenente-coronel Ricardo Quemento Lobasso é o novo comandante do 31º BPM (Recreio dos Bandeirantes), substituindo o coronel Paulo Augusto do Couto Mouzinho, que vai para o 26º BPM (Petrópolis). No batalhão gonçalense, assume o coronel Mauro Gonçalves Teixeira,que era comandante do Comando de Policiamento em Áreas Especiais (CPAE).

O coronel Paulo Augusto do Couto Mouzinho deixa o 31º BPM (Recreio dos Bandeirantes) e vai para o 26º BPM (Petrópolis)

O coronel Paulo Augusto do Couto Mouzinho deixa o 31º BPM (Recreio dos Bandeirantes) e vai para o 26º BPM (Petrópolis)

Para esta unidade operacional especial vai o coronel Luiz Cláudio Calixto Barbosa, que estava no batalhão da Região Serrana, enquanto o tenente-coronel Cláudio Lima Freire assume o BPVE, deixando o 39º BPM (Belford Roxo), onde assume o tenente-coronel José Luiz Nepomuceno Marinho, que estava na DGP.

Outro oficial que estava sem cargo, o tenente-coronel Fernando Príncipe Martins, que já foi comandante do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope), assume o comando do 6º BPM (Tijuca). Já o coronel Décio de Mello deixa o Laboratório Industrial Farmacêutico (LIF), que passa a ser comandando pelo tenente-coronel Luiz Arthur Lutterbach Erthal.

Agora ex-comandante do 6º BPM (Tijuca), o tenente-coronel Ruy Loury Ariolando de Oliveira assume a chefia do Estado Maior do 1º CPA (Capital)

Agora ex-comandante do 6º BPM (Tijuca), o tenente-coronel Ruy Loury Ariolando de Oliveira assume a chefia do Estado Maior do 1º CPA (Capital)

Ex-comandante do 6º BPM, o tenente-coronel Ruy Loury Ariolando de Oliveira assume a chefia do Estado Maior do 1º CPA. Para fechar o pacote de mudanças, o novo comandante do 38º BPM é o tenente-coronel Álvaro Sério Alves de Moura.

Anúncios
comentários
  1. monica disse:

    como pode o secretario de segurança dizer que essas trocas de comando são normais devido a dar maior poder de ação para contra o crime pois com essas mundaças vão melhorar pois nao moram na região que trabalha não tem familia na região ,até entendo mais o verdadeiro policial que estar nas ruas prendendo e trocando tiro mora onde hem oque fazer né , o coronel tem casa paga pelo o estado o policial ganha um bom dinheiro para ajuda de moradia advinha quanto menos de 5,00 é isso mesmo menos de cinco reais´.
    oque fazer ?

  2. ANTONIO disse:

    e o Cel Pitta?
    Tinha esperanças que o mundinho e o Almirante Bigode fossem prá rua!!!

  3. […] Efeito Chico Bala x Batman: dois comandantes são exonerados. PMERJ aproveita e altera outros 12 com… […]

  4. […] Efeito Chico Bala x Batman: dois comandantes são exonerados. PMERJ aproveita e altera outros 12 com… […]

  5. […] Efeito Chico Bala x Batman: dois comandantes são exonerados. PMERJ aproveita e altera outros 12 com… […]

  6. […] Efeito Chico Bala x Batman: dois comandantes são exonerados. PMERJ aproveita e altera outros 12 com… […]

  7. […] Efeito Chico Bala x Batman: dois comandantes são exonerados. PMERJ aproveita e altera outros 12 com… […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s