Ex-PMs suspeitos de terem vendido arsenal para traficantes do Jacarezinho

Publicado: 4 de maio de 2010 em Denúncia contra Policiais, segurança pública, Tráfico de drogas, Uncategorized

Expulso dos quadros da Polícia Militar na última quarta-feira, dia 28 de abril, e preso sob a acusação de integrar um grupo de extermínio em Araruama, além de ter envolvimento com o tráfico de drogas no município da Região dos Lagos, o ex-soldado Peterson Tenera, o Pepê, 32 anos, está sendo investigado por agentes da 118ª DP (Araruama) pelo furto de um arsenal de 14 armas dos colecionadores Emílio Alarcón, 56, e seu filho, Emílio Teixeira.

Há suspeitas de que o armamento – que incluía duas metralhadoras antiaéreas, cujos projéteis são capazes de perfurar veículos blindados – possa ter parado nas mãos de traficantes da Favela do Jacarezinho, na Zona Norte do Rio. Além dele, outro ex-policial militar, Álvaro Ferdinando Gama – preso em 2008 por agentes da Delegacia de Homicídios de Niterói e São Gonçalo (DH-Nit/SG) pelo envolvimento na mesma quadrilha de Pepê – e um empresário também são investigados de participação no crime.

O furto das armas ocorreu no dia 4 de fevereiro desse ano, quando criminosos invadiram o stand de tiro onde pai e filho guardavam as armas, no bairro da Praia Seca, em Araruama. De acordo com as investigações, os bandidos chegaram ao local à tarde, usaram uma escada para atravessar um muro de três metros e entraram no local através de um duto de ar. Eles permaneceram no local por cerca de três horas até fugirem em uma Kombi, deixando para trás a coronha de uma das armas.

De acordo com Alarcón, que coleciona armas há mais de 20 anos e também é instrutor de tiro, os três eram os únicos que sabiam da existência do arsenal e costumavam frequentar o stand de tiro. Em umas das visitas ao local, um deles teria comentado que conseguiria vender uma das metralhadoras por R$ 40 mil em uma favela do Rio.

“Logo que fiz a denúncia, pessoas ligadas a eles vêm mandando recados dizendo que eu e meu filho somos as bolas da vez, e que é só a poeira abaixar que a gente vai dançar. Os dois ex-policiais já foram presos duas vezes, mas foram colocados em liberdade rapidamente”, disse o colecionador, acrescentando que já solicitou proteção à Polícia.

As duas metralhadoras do colecionador foram adquiridas em 1989 – antes da implantação do Estatuto do Desarmamento – durante um leilão feito pelo Exército Brasileiro para armas com mais de 40 anos de uso. A última vistoria feita pelo Exército, em dezembro do ano passado, atestou que o stand possuía segurança para guardar o material.

“O local é blindado, tem cães do lado de fora e cerca elétrica, além do muro de três metros de altura. Só uma pessoa que conhece o local conseguiria entrar”, completou Alarcon.

Em outubro de 2008, agentes da DH-Nit/SG desarticularam uma quadrilha formada por policiais militares acusados de cometer vários crimes, entre eles homicídio e tráfico de drogas. Na ação, o então soldado Peterson Tenera, na época lotado no Batalhão Especial Prisional (BEP), foi preso na casa da namorada, em Araruama, com R$ 17,5 mil em espécie, jóias, quatro quilos de maconha, papelotes de cocaína e uma arma.

De acordo com as investigações, o PM comprava drogas em uma favela carioca para revender na Região dos Lagos. O soldado ainda tentou esconder parte do entorpecente no vaso sanitário e em um terreno baldio.

A Polícia agora investiga ligações do ex-PM com criminosos da Favela do Jacaré. O número do telefone do acusado teria sido encontrado em um caderno de anotações do tráfico, apreendido durante uma operação na comunidade da Zona Norte do Rio. Tais ligações, ainda segundo as investigações, justificariam a tatuagem de um jacaré feita por Tenera em seu braço esquerdo.

Anúncios
comentários
  1. […] This post was mentioned on Twitter by Cecília Olliveira, Gustavo Carvalho. Gustavo Carvalho said: Armas de colecionador podem ter ido parar nas mãos de traficantes do Jacaré. http://bit.ly/b9oEsC […]

  2. Emílio Galdeano Alarcón disse:

    É impressionante como o Estado recruta, treina e coloca na rua, pessoas desse naipe para proteger a cidade. Como diz um importante jornalista, ISSO É UMA VERGONHA.
    E para a informação de todos, passados mais de dois anos desse FURTO, até hoje, nossa valorosa POLÍCIA , não fez nada. O inquérito encontra-se parado, sequer as testemunhas arroladas foram ouvidas, os marginais envolvidos continuam soltos, traficando, roubando e ameaçando. As armas furtadas, todas registradas no EXÉRCITO, continuam desaparecidas e ninguem punido.
    As vítimas, prestaram informações relevantes sobre pessoas envolvidas e NADA foi apurado, nada foi feito, uma palha foi movida, a não ser, as inúmeras ameaças de morte recebidas pelas vítimas ( pai e filho), que foram registradas e mais uma vez, nada foi feito.
    Talvez, por se tratar de EX POLICIAIS, a polícia, esteja com PENINHA desses meliantes.
    Não tenho palavras para expressar meu repúdio, chega a ser nojento tanto descaso.
    Que POLÍCIA de MER_ _ .

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s