Morte de prefeito é encomendada por R$ 100 mil

Publicado: 29 de junho de 2010 em Uncategorized

Fotos: Bruno Eduardo Alves

Cerca de R$ 25 mil. Esse era o valor que seria pago a cada um dos acusados de envolvimento no atentado ao prefeito de Arraial do Cabo, na Região dos Lagos, Wanderson Cardoso de Brito, o Andinho, 43 anos, do Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB). A informação foi divulgada nesta segunda-feira, dia 28 de junho, pelo delegado Paulo Henrique Pinto, titular da Delegacia de Homicídios de Niterói e São Gonçalo (DH-Nit/SG).

A especializada foi a responsável por descobrir o plano, que foi colocado em prática na última semana. Na ocasião, os quatro acusados foram presos por equipes da DH-Nit/SG na Rua Francisco Pires Mendonça, no bairro Praia Grande, em frente à casa do prefeito. Identificados como Valter Menezes da Silva, 55 anos, Renato Jerônimo da Silva, 40, Carlos Roberto Marreto Júnior, 35, e Joelma Moura de Lima, 38, eles já teriam recebido R$ 50 mil. O restante seria pago depois que o crime fosse consumado.

Joelma Moura de Lima, 38 anos

Dos quatro acusados, apenas Joelma, que era manicure, residia na cidade. Todos já possuíam anotações criminais anteriores, por assaltos, furtos, e porte ilegal de arma. Os motivos do atentado, assim como seus mandantes, ainda estão sendo investigados pela Polícia.

O político esteve na delegacia, localizada no Centro de Niterói, na manhã de ontem, e prestou depoimento afirmando que não possui inimigos e nem estava sendo ameaçado. O dinheiro da primeira parcela do pagamento efetuado ao quarteto foi apreendido pelos policiais, juntamente com uma foto do prefeito de Arraial do Cabo.

Valter Menezes da Silva, 55 anos

O delegado Paulo Henrique Pinto explicou que, na noite do último dia 21, o cunhado do prefeito chegou cerca de cinco minutos antes de Andinho na residência do político, em uma rua sem saída na Praia Grande, quando percebeu e estranhou um homem de boné com abas largas sentado no portão da vítima.

O suspeito era Carlos Roberto Marreto, que ainda sacou uma arma para render o cunhado do prefeito, que conseguiu fugir e pedir ajuda a policiais lotados no 25º BPM (Cabo Frio). O criminoso foi resgatado por comparsas, que estavam em um Fiat Palio de cor escura, placa de Miguel Pereira, estacionado nas proximidades.

Carlos Roberto Marreto Júnior, 35 anos

A cerca de dez minutos da casa do prefeito, no bairro Figueira, Renato, Carlos e Valter foram presos e levados para 126ª DP (Arraial do Cabo), onde foram reconhecidos por envolvimento em um assalto à residência ocorrido no último dia 1º de junho.

Logo após a prisão, a Secretaria de Estado de Segurança Pública acionou a DH-Nit/SG, que conseguiu apurar que os três envolvidos, juntamente com a manicure, haviam sido contratados para assassinar o prefeito de Arraial do Cabo. A especializada recebeu informações de que os presos andavam sempre com a mochila cheia de dinheiro e com o retrato do prefeito, para facilitar a identificação.

Renato Jerônimo da Silva, 40 anos

“Eles receberam R$ 50 mil de adiantamento e receberiam mais R$ 50 mil após o crime. Joelma, por ser manicure, conhecia as vítimas e estilo de vida que elas levavam e por isso fornecia essas informações aos demais membros da quadrilha. O trio já estava rondando a casa do prefeito, aguardando a melhor oportunidade para tentar matá-lo. Inclusive, junto com outras pessoas da cidade, já estiveram na casa da vítima, porque o prefeito atendia representantes de comunidades aos sábados”, afirmou o delegado Paulo Henrique, ressaltando que qualquer pessoa pode colaborar com as investigações, tanto em relação aos assaltos praticados pela quadrilha, quanto pela trama para matar o prefeito Wanderson Cardoso, que foi eleito há pouco mais de um ano.

“Estamos trabalhando bastante no caso, mas qualquer pessoa pode nos ajudar, através dos telefones 2253-1177, do Disque-Denúncia, ou 2718-5361, da própria delegacia, para chegarmos aos mandantes e nos motivos desse atentado. Se a pessoa quiser dar um depoimento, ela poderá fazer em qualquer local que desejar. Mandaremos os agentes ao seu encontro. Tudo será mantido em sigilo. Precisamos da ajuda da população nessa hora”, ressaltou o delegado.

Prefeito de Arraial do Cabo, Wanderson Cardoso de Brito, o Andinho, 43 anos

Na saída da delegacia, o prefeito do município da Região dos Lagos revelou desconhecer motivos para que alguém pagasse R$ 100 mil pela encomenda de sua morte.

“Comecei na vida pública muito cedo, há mais de 20 anos. Sempre entendi que não havia motivos para reforçar a segurança por conta de assuntos dessa natureza. Infelizmente agora vou ter que providenciar segurança pessoal e não vou mais poder atender a população nos fins de semana em minha residência. O governador e o secretário de Segurança já estão cientes do que aconteceu”, contou Andinho.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s