Caso Bruno: da humildade à acusação de crime brutal

Publicado: 13 de julho de 2010 em Uncategorized

Descalço, de bermuda, sem camisa e rodeado principalmente por crianças, que viam como ídolo o dono da camisa número 1 de um dos clubes brasileiros mais conhecidos mundialmente. Era assim que o goleiro Bruno Fernandes das Dores de Souza, 24 anos, costumava ficar durante suas visitas ao humilde bairro Guaxindiba, em São Gonçalo, onde alguns dos seus familiares moram. Além dos churrascos realizados em uma pequena casa de festas em Santa Luzia, ele não dispensava a já tradicional pelada com os amigos e parentes no campo de várzea do bairro.

Tivemos acesso a fotografias de uma das festas realizadas pelo jogador, em São Gonçalo, nos primeiros meses de sua passagem pelo Flamengo. Além do atleta, também estiveram presentes no churrasco: Luiz Henrique Ferreira Romão, o Macarrão, e os primos do jogador, Sérgio Rosa Sales e o menor de 17 anos, todos acusados de participação no seqüestro e morte da modelo Eliza Silva Samudio, 25, ex-amante do goleiro. Nas imagens, ele aparece cercado pelas crianças no campo de Santa Luzia e sentado na calçada conversando com os moradores.

Para a realização da festa, Bruno alugou uma casa com piscina e churrasqueira, em Santa Luzia, e comprou cerca de 20 caixas de cerveja. Entre os convidados, também estavam o jogador Paulinho, meio-de-campo do Flamengo em 2007, e amigas de Bruno, que chegaram à comemoração em uma van. Entretanto, de acordo com pessoas que participaram do evento, a postura do goleiro na época em nada lembra as atitudes tomadas pelo atleta, que terminou com a morte de Eliza Samudio.

“O Bruno sempre demonstrou ser muito humilde e tranqüilo. Andava descalço pelas ruas daqui do bairro, sempre cercado pelas crianças, que o admiravam. Depois do churrasco, ele jogou bola com a gente, mas não atuou como goleiro. Nas peladas, ele gostava mesmo é de brincar na linha (risos)”, contou o motorista gonçalense, que denunciou a participação do sobrinho de 17 anos no seqüestro de Eliza.

Amigos do atleta acreditam que o sucesso, o dinheiro e algumas das más amizades que o atleta fez ao longo da carreira – principalmente com Macarrão – foram fatores decisivos para a mudança do comportamento do goleiro.

“Quando começou no Flamengo, Bruno andava muito com o Paulinho, que era amigo dele de verdade e não pelo dinheiro. Um cara humilde, sério e que fazia questão vir aqui. Foi uma covardia o que Bruno fez com essa garota”, disse um amigo, que preferiu não se identificar.

Anúncios
comentários
  1. […] This post was mentioned on Twitter by Roberta Trindade. Roberta Trindade said: Caso Bruno: da humildade à acusação de crime brutal: http://wp.me/p4i7R-1fi […]

  2. ana carolina disse:

    quero mais que ela si fú eu estou poco me lichan ele e mesmo um babaca hahahaha tem que moreeeeeeeeeee…

  3. ana carolina disse:

    bruno mato ta matado não liga a vida e assim nos perdemos mas tanbem levantamos hahahaha…

  4. ana paula disse:

    eu não gostava da eliza mesmo ela era muito chata mas tudo bem…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s