PM acaba com a palhaçada em Niterói

Publicado: 6 de agosto de 2010 em Uncategorized

Fotos: Pedro Pantoja

Uma quadrilha carioca especializada em roubos a residências e sequestros-relâmpagos – quando a vítima é retida e obrigada a efetuar saques em agências bancárias ou caixas eletrônicos – que estava atuando na Região Oceânica de Niterói começou a ser desarticulada, após a prisão de um dos integrantes, na manhã desta sexta-feira, dia 6 de agosto.

Identificado como Fabiano Xavier da Silva, o Magrinho ou Fininho, 29 anos, ele foi surpreendido por policiais do 12º BPM (Niterói) na descida da Caixa D’Água, em frente à sede do Batalhão de Polícia Rodoviária Estadual (BPRv), no Fonseca, na Zona Norte de Niterói.

Fabiano Xavier da Silva, o Magrinho ou Fininho, 29 anos

Ele estava ao volante do Honda Civic cinza placa KWJ 1350, que havia sido roubado cerca de uma hora antes no bairro Piratininga, na Região Oceânica. Um funcionário aposentado do Banco do Brasil, de 74 anos, e sua esposa, de 65, saíam de casa, na Rua 6, quando foram abordados por quatro homens armados, por volta das 9h50. O filho das vítimas foi até o Destacamento de Policiamento Ostensivo (DPO) de Camboinhas e pediu ajuda aos PMs que estavam de plantão na unidade.

“Ele nos disse que os pais tinham sido levados por quatro homens em um Renault Scénic de cor escura e que o carro deles também havia sido levado. Passamos a informação via rádio para o batalhão e o alerta foi repassado para as outras viaturas que iniciaram um cerco em vários pontos da cidade”, explicou um dos PMs que participou da ocorrência.

Uma viatura chegou a ser posicionada no acesso à Ponte Rio-Niterói pela Rua Jansen de Melo, no Centro, permitindo a passagem de apenas um veículo por vez. Com a descrição e características do casal e dos dois automóveis envolvidos no seqüestro, os policiais monitoravam o tráfego.

Por volta das 11h15, outra viatura do 12º BPM se deparou com o carro das vítimas e realizou a abordagem. Em liberdade condicional desde o dia 2 de agosto de 2006 – após ser preso em 2003 e cumprir pena de três anos por participação em um roubo a residência na Ilha do Governador, na Zona Norte do Rio – Fininho alegou que pegou o veículo na BR-101, na altura do bairro Manilha, em Itaboraí, e afirmou que receberia R$ 1 mil para entregá-lo a um homem conhecido como Renatinho na Avenida Brasil, em frente a um atacadão, na altura de Guadalupe, na Zona Oeste do Rio.

“Eu sabia que o carro era roubado, mas me disseram que o roubo tinha sido ontem (quinta-feira). Eu não participei desse assalto. Estou morando há um ano na casa da minha mãe, em Guadalupe, e trabalho com ela vendendo roupas na feira do Clube Olaria”, garantiu Fininho, que cumpriu parte de sua pena na Penitenciária Moniz Sodré e outra parte no Presídio Elizabeth Sá Rego, antigo Bangu 5, ambos no Complexo de Gericinó, em Bangu, na Zona Oeste do Rio.

Apesar de negar envolvimento no crime, Fininho foi reconhecido pelas vítimas. Pai de dois meninos – de 2 e 7 anos – e noivo, ele também era considerado foragido da Justiça. Contra ele havia um mandado de prisão expedido pela 29ª Vara Criminal do Rio por um roubo registrado na 37ª DP (Ilha do Governador). Com diversas anotações criminais, ele acumula várias passagens pela Polícia, de 2002 a 2010, e possui três tatuagens de palhaços na perna esquerda.

Símbolo de alegria, mas também de terror e medo, o palhaço tatuado marca matadores de policiais. Conhecido pelo vulgo Palhaço, Marcus Vinícius Martins Vidinhas Júnior, 27 – genro do traficante Celso Luís Rodrigues, o Celsinho da Vila Vintém, 40 – possui comparsas com a mesma tatuagem. Após um golpe de estado que tentou aplicar no sogro, um dos líderes da facção criminosa Amigos dos Amigos (ADA), ele fugiu da Favela Vila Vintém, em Padre Miguel, na Zona Oeste do Rio, e foi expulso da facção.

“Fiz essas tatuagens porque gosto. Não tem nenhum significado. Eu também ia tatuar um circo”, alegou Fininho, que foi autuado por roubo qualificado e formação de quadrilha armada.

Nascido em Angra dos Reis e criado no Parque União, no Complexo da Maré, em Bonsucesso, na Zona Norte do Rio, Fininho é irmão de criação de Antônio Jacinto da Silva Neto, o Belo ou Lindo, 29 – apontado pela Polícia como líder do Bonde dos Palhaços.

Antônio Jacinto da Silva Neto, o Belo ou Lindo, 29 anos

“Ele é meu irmão de criação e me ligou hoje na hora do assalto porque somos muito amigos. Nem todo mundo que eu conheço faz essas coisas que eu faço”, disse, sem mencionar que Belo também responde ao mesmo inquérito que ele, por um roubo a residência na Ilha do Governador, onde documentos e as digitais dos dois foram coletados pela Polícia.

Os comparsas de Fininho conseguiram fugir ao cerco e abandonaram o casal no Hospital Universitário Clementino Fraga Filho, mais conhecido como Hospital do Fundão, na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), na Ilha do Governador.

“A vítima disse que estava passando mal e pediu para ser deixada em um hospital. De lá, pegaram um táxi e vieram até a delegacia”, contou o delegado Flávio Loureiro, titular da 81ª DP (Itaipu).

“Essa ocorrência prova a integração entre as duas forças policiais. Os PMs trouxeram o preso e nós começamos a identificar o restante da quadrilha. Em um mês, eles praticaram cerca de quatro assaltos nos mesmos moldes desse. Eles invadem a residência, roubam a casa e o carro das vítimas e as levam até o Rio, após efetuar saques. Eles são ladrões profissionais. Algo deu errado hoje e não chegaram a entrar na residência”, disse Loureiro, que vai chamar as outras vítimas para fazer identificação através de fotos.

Quem tiver qualquer informação que auxilie nas investigações policiais e ajude a Polícia a identificar, localizar e prender os criminosos pode ligar para o Disque-Denúncia, através do telefone 2253-1177. Não é preciso se identificar.

Anúncios
comentários
  1. […] This post was mentioned on Twitter by Roberta Trindade, Izidoro Silva. Izidoro Silva said: PM acaba com a palhaçada em Niterói « Pauta do Dia: Em liberdade condicional desde o dia 2 de agosto de 2006 – apó… http://bit.ly/9m7guh […]

  2. […] PM acaba com a palhaçada em Niterói « Pauta do Dia […]

  3. leoney disse:

    esses caras sao loucos como eu pura adrenalina

  4. zika disse:

    eh se FODERAM, e nao FODERÃO!

  5. eduardo disse:

    teem quii mete o revolver na cara da madame i do patrao !

  6. policia e bom e morto…..kkkk

  7. […]  https://robertatrindade.wordpress.com/2010/08/06/bondedopalhaco/ […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s