Caso Alexandre Ivo: sangue no carro de acusado é compatível com o da mãe da vítima

Publicado: 15 de agosto de 2010 em Uncategorized

O sangue encontrado no carro de um dos acusados de envolvimento no assassinato do estudante Alexandre Thomé Ivo Rajão, 14 anos – seqüestrado e torturado até a morte por um grupo simpatizante da ideologia ‘skinhead’, na madrugada do último dia 21 de junho – é compatível com o material genético colhido da mãe da vítima, Angélica Vidal Ivo, 40.

De acordo com o Laudo de Exame de DNA, divulgado nesta sexta-feira, dia 13 de agosto, por policiais da 72ª DP (Mutuá), das 15 amostras de sangue coletadas no veículo do brigadista Eric Boa Hora De Bruim, 22, 13 apresentaram vínculo de primeiro grau com perfil genético da mãe do adolescente, vítima de intolerância sexual.

Com o resultado do exame de DNA, os policiais encaminharam à Justiça o pedido de prisão preventiva dos três jovens acusados de participação no assassinato do estudante: o eletricista Allan Siqueira de Freitas, 22, o açougueiro André Luiz Marcoge da Cruz Souza, 23, além do brigadista.

De acordo com os agentes do Núcleo de Homicídios da 72ª DP, o sangue encaminhado para confronto de material genético foi encontrado no controle remoto do rádio do veículo de Eric e, principalmente, em uma lanterna que pode ter sido utilizada para matar o estudante.

De acordo com os agentes do Núcleo de Homicídios da 72ª DP, o sangue encaminhado para confronto de material genético foi encontrado no controle remoto do rádio do veículo de Eric e, principalmente, em uma lanterna que pode ter sido utilizada para matar o estudante.

O exame também constatou que no carro havia sangue de uma segunda pessoa, que os policiais acreditam ser de um dos acusados de matar o adolescente.

“Essa era a última peça técnica que faltava para a conclusão do inquérito, que vai ser encaminhado à Justiça, juntamente com o pedido de prisão preventiva dos envolvidos nesse crime brutal”, finalizou o delegado.

O estudante Alexandre Rajão foi encontrado morto ao lado de um valão na Rua Leopoldo Marins, no bairro Califórnia, em São Gonçalo, na madrugada do dia 21 de junho. De acordo com as investigações, ele saía de um churrasco na casa de uma amiga, quando foi sequestrado, torturado e estrangulado até a morte por um grupo de skinheads, que prega a ideologia neonazista de intolerância.

Dois dias após o crime, os agentes conseguiram identificar e prender os três jovens acusados de envolvimento no assassinato do adolescente. Acusados de praticar homicídio duplamente qualificado por motivo torpe, Eric, Allan e André podem pegar, segundo a Polícia, uma pena de 12 a 30 anos de prisão.

“A cada confirmação de uma prova contra os envolvidos na morte do meu filho vem aquele sentimento de alegria, mas sempre acompanhado da imagem de todo o sofrimento pelo qual o Alê foi submetido. Eles não foram primários em nada nesse crime, tanto que fizeram de tudo para associar a morte do meu filho a de um bandido. Acharam que iam distorcer toda a situação, mas o Alexandre tinha família, tinha mãe. Tudo o que eles tentaram vai cair por terra. Vou lutar por Justiça até o fim. Não vou brigar apenas pelos 12 anos de prisão desses jovens, mas pelos 30. E gostaria que todas as mães fizessem isso pelos seus filhos, pois ninguém está livre da violência”, disse a mãe de Alexandre Rajão.

Anúncios
comentários
  1. vilma-chan disse:

    gostei da informação teve materia sobre esse assunto na tv/ os ocusados estao presos ou soltos no momento?

  2. vilma-chan disse:

    os acusados vao ter prisao preventiva mas no momento eles estao presos ou soltos??
    desejo a angelica um pouco de paz pelo menos o crime esta sendo resolvido e punido

  3. Anonimo. disse:

    No momento os acusados estão soltos e ninguém sabe onde os mesmos se encontram, isso tudo por culpa da Nossa ilustríssima Juíza Patricia Acioli e deste promotor de merda que jura de pés juntos que os acusados são inocentes. Com tantas evidencias, ele é capaz de dizer uma coisa dessas. como sempre deve está levando um Galo a mais.
    Uma Vergonha essa Justiça Brasileira.
    Ainda tem mais, o sangue encontrado no carro reagiu 50% com o da mãe e eles não levaram isso em consideração.

  4. Iolanda Maria Pinheiro Craveiro Leitão disse:

    É contra a natureza um filho morrer antes de sua mãe. Tenho um filho que está entrando na adolescência e fico imaginando, projetando em meus sonhos e expecitativa,s como será toda a sua vida e o tempo que terei para acompanhá-lo em sua jornada. A você foi tirado este direito de modo brutal. Só tenho que lamentar pelo mundo em que vivemos e me solidarizar, como mãe, pela sua dor. Deus proteja nossos filhos.

  5. Renato Bizarro disse:

    E hoje mais um caso de muitos (Kaique Augusto) e nenhum avanço aconteceu! Alguém sabe dizer oq aconteceu com os acusados?????
    Renato Bizarro https://www.facebook.com/rebizarro

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s