Tiroteio interrompe festa de aniversário em Niterói

Publicado: 23 de agosto de 2010 em Uncategorized

Uma festa de aniversário interrompida a tiros terminou com duas pessoas mortas – entre elas uma estudante de 14 anos – e outras duas baleadas na Favela Coronel Leôncio, na Engenhoca, Zona Norte de Niterói, na madrugada deste domingo, dia 22 de agosto.

De acordo a Polícia, um grupo composto por pelo menos cinco homens, armados de fuzis e pistolas, entraram atirando na comunidade por volta das 2h, no momento em que ocorria um show de forró, na Rua Coronel Leôncio, na localidade conhecida como Fundão. Segundo moradores, cerca de 50 pessoas participavam do evento, entre elas Edpo de Oliveira Costa, 22, o primeiro a ser executado, com mais de 20 tiros de armas de quatro calibres diferentes.

Ao ouvir os disparos, a estudante Kimberly de Almeida Reis Peçanha, 14, correu com as amigas para se abrigar em uma casa, mas acabou sendo atingida nas nádegas. Ela chegou a ser socorrida por familiares, mas morreu ao dar entrada no Hospital Estadual Azevedo Lima (Heal), no Fonseca, na Zona Norte de Niterói, mesma unidade onde também deram entrada Ilma da Silva de Souza, 39 – baleada no abdômen – e uma mulher não identificada, atingida em uma das mãos. A primeira foi submetida a uma cirurgia para a retirada do projétil e seu estado de saúde é considerado estável. A outra foi medicada e liberada ainda pela manhã.

Peritos do Instituto de Criminalística Carlos Éboli (ICCE) que estiveram no local do crime recolheram 18 cápsulas para fuzil 556 e pistolas de três calibres diferentes – nove milímetros, 45 e 380. No bolso da calça de Edpo, os agentes encontraram duas pedras de crack. Familiares da vítima informaram que ele era apenas usuário e não tinha qualquer envolvimento com o tráfico de drogas.

Policiais da 78ª DP (Fonseca) investigam a denúncia de que o crime pode ter sido motivado devido à expulsão de uma moradora da comunidade por traficantes locais, ligados à facção criminosa Terceiro Comando Puro (TCP). Outra hipótese é de que criminosos da Favela Nova Brasília, também na Engenhoca, cujo comércio de drogas é controlado pela facção rival Comando Vermelho (CV), teriam tentado invadir a comunidade vizinha.

“Ela estava muito feliz. Tirou várias fotos durante a festa. Parecia que estava se despedindo de todo mundo”. As palavras da estudante Caroline Rangel, 12, irmã de Kimberly, resumiram o sentimento da família da vítima e dos moradores da Favela Coronel Leôncio. Ainda assustados, eles lembravam os momentos de terror pelo qual passaram durante a madrugada.

“Nós estávamos juntas e quando ouvimos os tiros começamos a correr. Quando percebi, a Kimberly havia ficado para trás. Olhei para a rua e a vi caída no chão. Foi horrível”, disse, muito emocionada, uma amiga da estudante, que cursava o sétimo ano do Ensino Fundamental (antiga 6ª série) na Escola Estadual Mululo da Veiga, na Rua Coronel Guimarães, também na Engenhoca.

“Eu tenho que ser a fortaleza da família para ajudar meu filho nessa perda irreparável. Ontem mesmo, ele expressou o desejo de se mudar daqui e hoje acontece uma coisa dessas”, completou a diarista Roseli Maria da Silva, 58, avó da adolescente.

Anúncios
comentários
  1. que saudades da minha amada Kimberly de Almeida que Deus a tenha em seus braços e foi se uma flor gloriosa!Palavras de quem ela tanto amava e graças a Deus eu estou bem e vivo e com saúde!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s