Descoberto plano para matar deputado estadual

Publicado: 25 de agosto de 2010 em Uncategorized

Integrantes de uma milícia que atua na Região dos Lagos pretendiam matar o deputado estadual Paulo Melo (PMDB) e um de seus dois filhos. A descoberta foi feita por policiais da Delegacia de Homicídios de Niterói (DH-Nit) que investigavam a atuação do grupo criminoso que, segundo a Polícia, é liderado pelo sargento reformado da Polícia Militar Sérgio Roberto Egger de Moura, que é vereador em Araruama.

O crime seria cometido em Saquarema, também na Região dos Lagos, onde o parlamentar possui casa, por sete integrantes da quadrilha – entre eles, quatro policiais militares e dois ex-PMs. Armas furtadas de um colecionador na localidade de Praia Seca, em Araruama, seriam usadas nos assassinatos. A informação foi repassada à Secretaria de Estado de Segurança Pública.

“Em tese, as armas foram furtadas pelas mesmas pessoas que pretendiam matar o deputado e seu filho”, revelou o delegado Paulo Henrique Silva Pinto, titular da DH-Nit.

“Segundo o Disque-Denúncia, segundo informações do Setor de Inteligência da Secretaria de Segurança e com base nos depoimentos de várias testemunhas, o crime teria sido determinado pelo vereador Sérgio Egger. Com base nessa coleção de indícios, chegamos à conclusão de que a motivação seria por vingança”, declarou Paulo Henrique, ressaltando que entre o armamento furtado da residência do colecionador Emílio Alarcón, 56 anos, havia uma metralhadora ponto 30.

Os acusados pelo furto são os ex-PMs Álvaro Ferdinando Pinho Gama e Peterson Tenera, o Pepe, 32. O primeiro foi expulso da corporação por tráfico de drogas e já foi condenado pelo crime em São Pedro da Aldeia, além de já ter sido preso em flagrante por equipes da DH-Nit por associação para o tráfico. Quando lotado no 25º BPM (Cabo Frio), trabalhou na Sala de Rádio da unidade e repassava ordens do vereador para que viaturas do batalhão fizessem a segurança de um bingo em Araruama que seria propriedade do político.
Já o segundo, também expulso da corporação por tráfico de drogas, está indiciado em um homicídio, consta como autor de ameaça de morte e disparos de arma de fogo efetuados em frente a uma boate em Araruama, responde a um outro processo por associação para o tráfico e já foi preso em flagrante por tráfico de drogas.

Os dois teriam repassado as armas furtadas para o sargento Evandro, armeiro do 25º BPM, que as teria guardado em sua residência, no bairro São Vicente. A desconfiança de que a metralhadora furtada estaria entre as escolhidas para o crime surgiu após uma testemunha ouvir de Gama a seguinte frase: “Não tem blindagem para ponto 30”, fazendo alusão a um dos filhos do deputado Paulo Melo, conhecido pelo apelido de Pitoco, que seria assassinado em Sana.

“O crime foi evitado porque repassamos a informação para a Secretaria de Segurança. O deputado foi alertado e impediu a viagem do filho”, ressaltou o delegado.

De acordo com as investigações, a reunião para planejar o atentado ocorreu no Destacamento de Policiamento Ostensivo (DPO) de Saquarema, onde se encontraram além de Gama e Peterson, o cabo Ângelo Eduardo dos Santos Peixoto, o soldado Paulo Roberto Mendonça Júnior, o cabo Clebson Barbosa da Silva, Milton Nascimento Neto e Adielson dos Santos Barbosa.

No relatório de informações preliminares enviado pelo titular da DH-Nit à Secretaria de Estado de Segurança Pública e à Chefia de Polícia Civil do Estado do Rio de Janeiro, ele ressalta:

“O perigo é real, uma vez que a quadrilha que envolvia policiais militares, pessoas do povo e um bombeiro militar, todos chefiados por um representante do povo – vereador da cidade de Araruama -, tem contra si vários inquéritos de homicídio, alguns deles por vingança, por motivo fútil, por motivo torpe, e sempre usaram de ameaças para intimidar a população para que não fossem depor como testemunhas, havendo casos de pessoas que tiveram que mudar de cidade”.

No final do mês de março, o deputado chegou a chamar um de seus seguranças ao perceber que havia um homem rondando sua casa. O suspeito foi identificado como sendo o “PM Clebinho”, apelido como é conhecido o cabo Cleberson. Ele e outros integrantes da milícia de Araruama passaram a ser vistos constantemente em Saquarema e a Polícia acredita que isso tenha ocorrido com o intuito de intimidar Paulo Melo e sua família.

O parlamentar chegou a registrar queixa de ameaça contra o vereador de Araruama Sérgio Egger – indiciado também em outros três inquéritos na DH-Nit (tentativa de homicídio, ameaça e homicídio) e que responde a três desacatos e um sequestro registrados na 118ª DP (Araruama). O inquérito instaurado na especializada de Niterói e está em fase de conclusão.

O Jornal POVO do Rio tentou ouvir o deputado estadual Paulo Melo para saber se ele continua com a escolta reforçada e ligou diversas vezes para seu gabinete na Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), inclusive para sua liderança de governo. No entanto, não obteve retorno da assessoria de imprensa do parlamentar e nem dele – que está em seu quinto mandato, tendo sido reeleito em 2006 com 109.408 votos e atualmente faz campanha por mais uma reeleição.


O furto das armas ocorreu no dia 4 de fevereiro desse ano, quando criminosos invadiram o stand de tiro onde Emílio Alarcón e seu filho, Emílio Teixeira, guardavam o armamento, no bairro de Praia Seca, em Araruama, na Região do Lagos. De acordo com as investigações, os bandidos chegaram ao local à tarde, usaram uma escada para atravessar um muro de três metros de altura e entraram no imóvel através de um duto de ar. Eles permaneceram no local por cerca de três horas, até fugirem em uma Kombi, deixando para trás a coronha de uma das armas.

De acordo com Alarcón, que coleciona armas há mais de 20 anos e também é instrutor de tiro, os ex-PMs Peterson Tenera e Álvaro Ferdinando Pinho Gama costumavam freqüentar o stand de tiro e eram os únicos que sabiam da existência do arsenal. Em uma das visitas ao local, um deles teria comentado que conseguiria vender uma das metralhadoras por R$ 40 mil em uma favela do Rio.

“O local é blindado, tem cães do lado de fora e cerca elétrica, além do muro de três metros de altura. Só uma pessoa que conhece o local conseguiria entrar”, afirmou Alarcón.

“Logo que fiz a denúncia, pessoas ligadas a eles vêm mandando recados dizendo que eu e meu filho somos as bolas da vez, que é só a poeira abaixar que a gente vai dançar. Os dois ex-policiais já foram presos algumas vezes, mas foram colocados em liberdade rapidamente”, disse.

Anúncios
comentários
  1. feliciano disse:

    Essa materia é de caráter politico..

  2. Jose Luiz disse:

    É verdade esse PM Milton Nascimento Neto junto com seu irmão matam muito em Bacaxa, é uma pena Saquarema entregue nas mãos desses bandidos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s