Pastor mata seis e vai pregar na cadeia

Publicado: 25 de agosto de 2010 em Uncategorized

Após trocar a Bíblia por um revólver calibre 38 e as pregações em uma igreja evangélica para cometer seis homicídios em um período de dois anos, o ex-pastor Edson de Sousa Guedes, o Edson Cheiroso, de 29 anos, foi preso por policiais da 79ª DP (Jurujuba), em Itaipu, na Região Oceânica de Niterói, na manhã desta terça-feira, dia 24 de agosto. O acusado só não desrespeitou mais duas vezes o quinto mandamento de Deus – “Não matarás” – porque duas pessoas conseguiram fugir.

De acordo as investigações, os crimes ocorreram entre os anos de 2007 e 2009, no Morro do Santo Inácio, no Largo da Batalha, na Região de Pendotiba, onde o acusado era temido por andar armado e ameaçar quem tentasse atravessar seu caminho.

A série de assassinatos praticados pelo ex-religioso começou em abril de 2007. Motivado por um dos sete pecados capitais, a cobiça, ele decidiu invadir uma casa no alto da comunidade. Sentindo-se lesado, o proprietário do imóvel decidiu conversar com Edson, que ameaçou matá-lo caso ele procurasse a Polícia. Ainda não satisfeito em conseguir tomar a casa, ele resolveu executar a tiros o vizinho, o evangélico Marcelo Dias Rangel, para também se apropriar do imóvel onde a vítima morava.

Revoltados com o crime, moradores da comunidade invadiram a residência do ex-pastor e furtaram eletrodomésticos e outros pertences do acusado. Motivado por outro pecado capital, a ira, ele prometeu matar todos que haviam invadido sua residência.

A promessa de Edson começou a ser cumprida no dia 5 de maio do mesmo ano, quando ele assassinou a tiros Marcos Vinicius de Castro Silva, o Ferruginha, 21, um dos suspeitos de roubar sua casa. Dois meses depois, o alvo do acusado foi Antônio Junior da Silva, o Juninho, 27, executado dentro da própria casa. De acordo com os agentes, ele foi morto porque o ex-pastor descobriu que ele estava com um CD da equipe Furacão 2000, que também havia sido levado de sua casa.

O desejo de vingança de Cheiroso, entretanto, não parou por aí. Em fevereiro de 2008, durante o carnaval, ele vestiu uma fantasia de “Morte” – semelhante à utilizada no filme Pânico – e executou também com dois tiros Alexandre da Silva Linhares, o Baleia, próximo à Unidade Básica de Saúde do Largo da Batalha. A lista negra do ex-pastor ficou completa com as execuções de Adriano Conceição Oliveira, o Nem Gatão, e Carlos Alexandre de Mello Pinto, o Xandinho, 25.

Segundo policiais da 79ª DP, que tiveram o apoio de agentes da Delegacia de Homicídios de Niterói e São Gonçalo (DH-Nit/SG) para elucidar dois dos homicídios, Edson já havia sido condenado anteriormente por roubo e estava foragido.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s