Traficante da ADA fica à frente das bocas-de-fumo do Buraco do Boi por menos de 24 horas

Publicado: 24 de maio de 2011 em Uncategorized

Jorge Fraga de Oliveira Júnior, o Cachorrão, 31 anos

Sete anos após ser expulso da Favela Buraco do Boi, no Barreto, na Zona Norte de Niterói, o traficante Jorge Fraga de Oliveira Júnior, o Cachorrão, 31 anos, retornou à comunidade onde foi criado para retomar as bocas-de-fumo de sua antiga facção criminosa, o Comando Vermelho (CV). Entretanto, sua liderança durou menos de 24 horas. Ele foi preso por policiais do 12º BPM (Niterói) com um fuzil Ruger calibre 223 em uma casa no alto do morro, na noite do último sábado, dia 21 de maio.

De acordo com a Polícia, para invadir o Buraco do Boi, Cachorrão contou com apoio de bandidos das favelas da Rocinha, em São Conrado, na Zona Sul do Rio, e do Sabão, em São Lourenço, na região central de Niterói – ambas controladas pela facção Amigos dos Amigos (ADA). Ele e mais 10 criminosos, armados de fuzis e pistolas, chegaram à comunidade por volta das 23h da última sexta-feira, dia 20 de maio, e conseguiram expulsar os rivais do CV após intensa troca de tiros.

A ação seria uma represália à decisão de Jorge Esteves Santana, o Nem Rato, 31, de expulsá-lo da comunidade, em 2004. A ordem acatada por Nem Rato teria partido de Paulo César Gomes Jardim, o Paulinho Madureira, 43, apontado como o chefão do pó no Buraco do Boi.

Paulo César Gomes Jardim, o Paulinho Madureira, 43 anos

Na ocasião, os irmãos de Cachorrão também foram obrigados a deixar a favela – um deles após ser baleado – e dois dos seus comparsas, identificados como Ailton Wellington Lacerda de Assis e Igor Miguel Moreira, foram executados a tiros. Eles tiveram os corpos jogados no porta-malas de um veículo, que foi abandonado às margens do trechi Niterói-Manilha da BR-101.

Após o episódio, Cachorrão passou a integrar a facção ADA e contou com o apoio de Antônio Francisco Bonfim Lopes, o Nem da Rocinha, 34 – considerado um dos traficantes mais procurados do Estado – e de Alex Moreira Pereira, o Drill, 25 – chefe das bocas-de-fumo na Favela do Sabão – para tentar retomar a comunidade da Zona Norte de Niterói.

No início da tarde de sábado, policiais do Grupamento de Ações Táticas (GAT) do 12º BPM seguiram para a favela após receberem denúncias sobre a invasão e de que o líder da ação criminosa, identificado como Cachorrão, estava desfilando de moto na comunidade com um fuzil nas costas. Houve intensa troca de tiros. No confronto, um homem, identificado apenas como Felipe, morreu e dois adolescentes foram baleados.

Na ação, os PMs apreenderam uma pistola calibre 40, um revólver calibre 38, uma granada, além de meio quilo de maconha, 278 cápsulas de cocaína e três rádios transmissores. No momento em que apresentavam o material na 78ª DP (Fonseca), os policiais receberam a informação de que o líder da invasão estava escondido em uma casa no alto do morro. Eles retornaram à comunidade e flagraram Cachorrão com o fuzil.

lmd_source=”23176965″;lmd_si=”33505537″;lmd_pu=”22478543″;lmd_c=”BR”;lmd_wi=”468″;lmd_he=”60″;

Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s