Estatística de Policiais Mortos e Baleados em 2018

Chegamos ao início do mês de dezembro e o ano de 2018 já registra 226 policiais baleados – sendo que 94 não resistiram. Do total, 213 eram PMs, 11 eram PCs, 1 era PF e 1 era PRF. Destes, 111 estavam de serviço, 94 estavam de folga, 1 estava de férias fora do Estado do Rio, 13 eram reformados, 2 estavam adidos a outro órgão, 3 foram vítimas de disparos acidentais e 1 era aposentado. Do total, 29 casos foram em áreas pacificadas. Dos mortos, 42 estavam de folga, 21 de serviço, 1 de férias fora do estado do Rio, 7 eram reformados e 2 estavam adidos a outro órgão.

1 de janeiro: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP), o soldado Diones foi atingido durante ataque de traficantes da facção criminosa Comando Vermelho (CV) que continuam controlando a venda de drogas na Favela do Jacarezinho, em Bonsucesso, na Zona Norte do Rio.

1 de janeiro: 1 PM baleado
Lotado no Batalhão de Polícia de Choque (BPChoque), o cabo Tiago Oiveira da Conceição foi baleado na Favela da Rocinha, em São Conrado, na Zona Sul do Rio, durante ataque de traficantes. Atingido na cabeça, o PM foi socorrido e levado para o Hospital Municipal Miguel Couto, na Gávea, em estado grave.

1 de janeiro: 1 PM baleado
Lotado no 41° BPM (Irajá), o cabo Thiago Silva de Souza Valdiero, 35 anos, estava de folga e foi baleado durante arrastão em Madureira, na Zona Norte do Rio. O PM trafegava em seu Fiat Uno e passava pela Rua Conselheiro Galvão quando, na altura da Rua Domingos Fernandes, três criminosos fecharam a via para roubar carros. Quando se aproximaram para abordar o policial e roubar seu veículo ele reagiu e trocou tiros com os bandidos. O parabrisa ficou com perfurações. O soldado Valdiero foi atingido de raspão na cabeça e Célia Gabriela Cunha Maciel, 21, que o acompanhava, foi baleada no braço esquerdo. Os dois foram socorridos e levados para o Hospital Estadual Getúlio Vargas, na Penha, recebendo alta após atendimento médico. Registro na 29ª DP (Madureira).

3 de janeiro: 1 PM baleado
Lotado na Diretoria Geral de Pessoal (DGP), o sargento Barreto foi baleado ao fugir de um assalto, na Avenida Brasil, na altura de Guadalupe, na Zona Norte do Rio. O crime ocorreu próximo ao Quartel dos Bombeiros. Atingido na mão, o PM – que é motorista do coronel Odair Sandro Tallala Blanco e estava indo buscar o oficial em sua residência – foi socorrido e levado para o Hospital Central da Polícia Militar (HCPM), no Estácio.

26195337_1680611308648998_6253659215099841641_n

3 de janeiro: 1 PM morto
Lotado no 7° BPM (São Gonçalo), o soldado Ivanderson da Silva Pinheiro, 38 anos, morreu após ser baleado durante tentativa de arrastão, no bairro Mutuá, em São Gonçalo. O PM trafegava pela Avenida Paula Lemos acompanhado por outro policial, lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Caju, quando bandidos fecharam a via, próximo a um dos acessos ao trecho Niterói-Manilha da BR-101. Ao perceber a ação criminosa, os dois policiais tentaram fugir, mas os assaltantes atiraram contra o veículo, atingindo o soldado Ivanderson. Ele acabou perdendo o controle da direção e capotando com o automóvel. O soldado que o acompanhava ainda conseguiu correr e se abrigar, enquanto ligava para pedir apoio à PMERJ. Os criminosos fugiram levando a arma do PM.

26167494_1681415408568588_2975024607773730208_n

3 de janeiro: 1 PM morto
Lotado no 22° BPM (Benfica), o sargento Anderson da Silva Santos, 41 anos, morreu após ser baleado durante uma discussão de trânsito, no bairro Jardim São Miguel, em Queimados, na Baixada Fluminense. O PM trafegava pela Rua Olegário Dias quando houve a colisão. Ao descer de seu veículo, o sargento se envolveu em uma briga com o outro motorista, que chegou a entrar em vias de fato com ele. Durante a luta corporal, o homem ainda não identificado roubou a arma do PM e efetuou três disparos contra ele fugindo em seguida. Socorrido e levado para o Hospital Central da Polícia Militar (HCPM), o sargento não resistiu.

26168115_1684359778274151_2399204014956379963_n

5 de janeiro: 1 PM morto
Lotado no 22° BPM (Benfica), o sargento Alexandre Fernandes da Silva, 43 anos, morreu no Hospital Central da Polícia Militar (HCPM), no Estácio – onde estava internado há três meses. O PM foi baleado no dia 2 de outubro, após ser identificado como policial durante um assalto, em São João de Meriti, na Baixada Fluminense. Ele estava na corporação há 21 anos, era casado e deixou quatro filhos.

6 de janeiro: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Fallet/Fogueteiro, o sargento Natalino dos Santos Rodrigues foi baleado ao reagir a um assalto em Bangu, na Zona Oeste do Rio. O PM trafegava pela Rua Ribeiro de Andrade quando, na altura da Rua Francisco Real, foi abordado pelos bandidos. Ele reagiu e acabou atingido por dois tiros no tórax e um na mão. Ele foi encaminhado ao Hospital Municipal Albert Schweitzer, em Realengo. Os criminosos conseguiram fugir. O carro usado por eles foi encontrado abandonado na Estrada Marechal Alencastro, em Deodoro, também na Zona Oeste.

26195833_1688118841231578_6584422103121609631_n

9 de janeiro: 1 PM morto
Lotado no 32° BPM (Macaé), o cabo José Renê Araújo Barros, 35 anos, morreu após ser baleado durante incursão na Favela Lagomar, no bairro de mesmo nome, em Macaé. Trabalhando no Grupamento de Ações Táticas (GAT), ele e os colegas de farda foram para o local depois que moradores pediram ajuda denunciando um intenso tiroteio durante guerra entre traficantes. Criminosos do Comando Vermelho (CV) foram expulsos por rivais da facção Amigos dos Amigos (ADA), que já controlam a venda de drogas na Favela Nova Holanda, também em Macaé. Quando chegaram na favela, os policiais foram recebidos a tiros e revidaram a agressão. No confronto com os bandidos, o PM acabou atingido na cabeça. Ele estava há oito anos na corporação e deixa esposa e três filhos.

26219217_1690628327647296_237863236334832214_n

10 de janeiro: 1 PM morto
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Caju, o cabo Edson Magalhães Ribeiro Junior, 38 anos, foi encontrado morto no sub-bairro Santa Margarida, em Campo Grande, na Zona Oeste do Rio. O corpo estava com marcas de tiros em uma escadaria próximo à Avenida Medianeira. O PM estava na corporação desde 2011.

9668f960-24c1-4025-8c5d-8b91d503f7cd

12 de janeiro: 1 PC morto
Lotado na Central de Garantias, o delegado Fabio Henrique da Silva Monteiro foi assassinado ao ser reconhecido como policial por criminosos da Favela do Jacarezinho, em Bonsucesso, na Zona Norte do Rio. Ele tinha saído da Cidade da Polícia e passava pela localidade conhecida como Buraco do Lacerda quando o veículo em que estava foi abordado pelos bandidos. Ao ver o distintivo e descobrir sua identidade, eles o sequestraram e levaram para dentro da favela. O corpo dele foi deixado dentro do porta-malas do Cobalt preto placa LUP 4757, na Avenida Leopoldo Bulhões, próximo a um dos acessos à Favela do Arará. Ex-agente da Polícia Federal, Fábio Monteiro era professor de Direito Penal e faixa preta de Jiu-Jitsu. Ele estava na Polícia Civil do Estado do Rio de Janeiro (PCERJ) há quatro anos.

12 de janeiro: 1 PM baleado
Lotado no 15º BPM (Duque de Caxias), o sargento Siqueira foi baleado durante perseguição a um carro roubado, no Centro, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. No confronto entre os policiais do Grupamento de Ações Táticas (GAT) e os criminosos, um dos bandidos também foi atingido.

12 de janeiro: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Mandela, o soldado Márcio Nunes Oliveira foi baleado ao trocar tiros com criminosos que fugiam após assaltar a loja da Claro localizada na Rua Visconde de Pirajá, em Ipanema, na Zona Sul do Rio. Os bandidos levaram R$ 10 mil em aparelhos. O PM foi atingido no pé.

13 de janeiro: 3 PMs baleados
Lotados no Batalhão de Ações com Cães (BAC), o subtenente Medeiros, o cabo Luciano e o soldado Maicon foram baleados durante incursão no Morro da Mangueira, em São Cristóvão, na Zona Norte do Rio. O subtenente Medeiros foi atingido na perna e na cabeça e está em estado grave no Hospital Central do Exército (HCE), para onde também foi levado o soldado Maicon, que foi atingido na mão e sofreu uma fratura. Ferido no braço, o cabo Luciano foi levado para o Hospital Central da Polícia Militar (HCPM).

14 de janeiro: 1 PM baleado
Lotado no 6° BPM (Tijuca), o cabo Luís Almir dos Santos foi baleado ao reagir a assalto, em Campo Grande, na Zona Oeste do Rio. O PM estava acompanhado por amigos em um bar na Rua Leopoldo Del Valle quando três bandidos entraram no estabelecimento e anunciaram o assalto, por volta das 17h. Eles começaram a revistar os clientes e recolher objetos pessoais de quem estava no local. Quando se aproximaram do cabo, ele sacou sua arma e atirou em um dos bandidos, mas acabou atingido nas costas e no braço por um dos comparsas do assaltante. Socorrido, ele foi levado para o Hospital Estadual Rocha Faria.

15 de janeiro: 1 PM baleado
Lotado no Batalhão de Polícia de Choque (BPChoque), o cabo L. Vieira foi baleado após reagir a assalto, em Vaz Lobo, na Zona Norte do Rio. Ele estava próximo a casa de familiares quando percebeu a ação criminosa. O PM reagiu e no confronto acabou atingido no pé. Socorrido, ele foi levado para o Hospital Estadual Getúlio Vargas, na Penha, e posteriormente transferido para o Hospital Central da Polícia Militar (HCPM), no Estácio.

16 de janeiro: 1 PM baleado
Lotado no 39º BPM (Belford Roxo), um policial que não teve o nome e nem a patente divulgados foi baleado durante confronto com assaltantes, no Parque São Leopoldo, em Belford Roxo, na Baixada Fluminense. Atingido na perna, ele foi socorrido e levado para o hospital. Os bandidos fugiram e os PMs conseguiram recuperar uma carga que estava sendo roubada.

16 de janeiro: 1 PM baleado
Lotado no Batalhão de Polícia de Choque (BPChoque), o sargento Dantas foi baleado durante confronto com criminosos no Morro do Turano, no bairro Rio Comprido, na Zona Norte do Rio. Atingido no pescoço, ele foi socorrido e levado para o Hospital Central da Polícia Militar (HCPM), no Estácio.

v

16 de janeiro: 1 PM morto
Lotado no Grupamento de Polícia Ferroviária (GPFER), o soldado Marcos Vinícios da Silva Alves Azeredo morreu após ser baleado no bairro Galo Branco, em São Gonçalo. O PM ia visitar a mãe quando foi abordado por criminosos. Ele reagiu e chegou a trocar tiros com os bandidos. O soldado Azeredo ainda foi socorrido e levado para o Hospital Estadual Alberto Torres, mas não resistiu. Morador de Itaipuaçu, ele era lotado no 7ºBPM até o dia 5 de janeiro, quando foi transferido para o Rio.

17 de janeiro: 1 PM baleado
Lotado no Grupamento de Ações Táticas (GAT) do 7ºBPM, um policial que não teve nome e nem patente divulgados foi baleado durante incursão para recuperar uma carga roubada, no bairro Porto do Rosa, em São Gonçalo. Atingido na perna, ele foi socorrido e levado para o Hospital Estadual Alberto Torres, no Colubandê.

17 de janeiro: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Cidade de Deus, o cabo F. Bastos foi baleado durante tentativa de arrastão, em Nilópolis, na Baixada Fluminense. Ele estava em uma viatura descaracterizada acompanhado pelo capitão Antunes, comandante da UPP CDD, a quem tinha ido buscar em casa, a caminho de Jacarepaguá, na Zona Oeste do Rio. Na Rua Moraes Cardoso Júnior, perceberam que criminosos em dois veículos – um HR-V cinza chumbo e um I-30 champagne – fecharam a via e saíram dos carros portando fuzis. Ao notar os dois policiais, eles efetuaram disparos contra a viatura – dois atingiram o carro. Um dos tiros acertou a coluna do automóvel, gerando estilhaços que caíram no nariz do cabo F. Bastos, e outro atingiu a porta do motorista e depois a perna do PM. O oficial revidou à agressão e durante o confronto os bandidos fugiram.

18 de janeiro: 1 PM baleado
Lotado no Batalhão de Operações Policiais Especiais (BOPE), o sargento Luis Claudio dos Santos foi baleado durante confronto na Favela da Rocinha, em São Conrado, na Zona Sul do Rio. Atingido no abdômen, ele foi socorrido e levado para o hospital. Mesmo com a proteção do colete balístico, o PM sofreu uma lesão na parede abdominal, com perda de pele e tecido subcutâneo e exposição da musculatura. Ele vai permanecer em observação por pelo menos 24 horas. Após esse período será avaliada a necessidade de uma intervenção de cirurgia plástica.

18 de janeiro: 1 PM baleado
Lotado no 20° BPM (Mesquita), o sargento Moraes foi baleado durante incursão no Morro da Chatuba, em Mesquita, na Baixada Fluminense. Agentes do Serviço de Inteligência (P-2) realizavam operação na localidade conhecida como Raiz quando foram surpreendidos pelos disparos dos criminosos. Atingido no pescoço, o PM foi socorrido e levado para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Mesquita, sendo posteriormente transferido para o Hospital Central da Polícia Militar (HCPM), no Estácio.

26815276_1698912463485549_6262656950663195825_n

19 de janeiro: 1 PM morto
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) São Carlos, o soldado Patrick Batista Lopes foi encontrado morto no bairro Rio do Ouro, em São Gonçalo. Ele estava caído no banco de trás do Agile preto placa KUN 3885, na altura do KM 8 da RJ-106 (Tribobó-Maricá), próximo ao Trevo de Várzea das Moças. Na cintura, seu coldre e próximo ao corpo sua identidade funcional.

20 de janeiro: 1 PM baleado
Lotado no 12º BPM (Niterói), o cabo Garcia foi baleado durante incursão no Morro do Serrão, no bairro Cubango, na Zona Norte de Niterói.

27072570_1705220216188107_5710034528519182853_n

21 de janeiro: 1 PM morto
Lotado no Batalhão de Policiamento em Vias Especiais (BPVE), o sargento Flávio dos Santos da Cunha, 41 anos, foi baleado por criminosos, na Avenida Brasil, em Barros Filho, na Zona Norte do Rio. Os PMs realizavam patrulhamento de rotina quando, na altura do Morro do Chaves, se depararam com bandidos que roubavam uma carga. Quando notaram a aproximação da viatura os criminosos efetuaram disparos. O policial foi atingido no rosto por um tiro que atravessou sua boca, quebrando alguns dentes, e está alojado no pescoço. Ele permaneceu internado no Hospital Geral de Bonsucesso em estado grave durante três dias, mas não resistiu e faleceu, no dia 24 de janeiro.

21 de janeiro: 1 PM baleado
Lotado no 41° BPM (Irajá), o sargento Renato Régis dos Reis foi baleado durante incursão no Morro do Chapadão, em Costa Barros, na Zona Norte do Rio, nesta segunda-feira, dia 22 de janeiro. Os PMs estavam no blindado da corporação e foram recebidos a tiros. Atingido nas pernas, ele foi socorrido e levado para o Hospital Estadual Albert Schweitzer, em Realengo, de onde foi transferido para o Hospital Central da Polícia Militar (HCPM).

26992719_2005049049511842_7173796039992928268_n

23 de janeiro: 1 PM morto
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Andaraí, o cabo Luiz Otávio Soares Martins foi baleado durante ataque de criminosos que continuam controlando o tráfico de drogas na região. Atingido na cabeça, ele foi socorrido pelos colegas de farda e levado para o Hospital Federal do Andaraí, onde o PM ficou internado durante 1 mês e 19 dias, mas acabou não resistindo.

23 de janeiro: 2 PMs baleados
Lotados no 12° BPM (Niterói), o cabo Rodrigo Narciso e o cabo Victor do Couto foram baleados durante confronto com criminosos que controlam o tráfico de drogas no Morro do Palácio, no Ingá, na Zona Sul de Niterói. Atingido no pé, o cabo Narciso foi levado para o Hospital Estadual Alberto Torres, no Colubandê, em São Gonçalo, e não corre risco de morte. Baleado na perna, o cabo Couto foi levado para o Hospital Icaraí, no Centro de Niterói, porque no Hospital Estadual Azevedo Lima, no Fonseca, não havia cirurgião vascular de plantão. O hospital particular fez contato com o Hospital Estadual Alberto Torres e ele será levado para a unidade. Os dois PMs trabalham no Grupamento de Ações Táticas (GAT) e no último sábado, dia 20 de janeiro, durante incursão na Favela Vila Ipiranga, no Fonseca, apreenderam um fuzil AR-15 e drogas.

23 de janeiro: 1 PM baleado
Lotado no 23° BPM (Leblon), o sargento Márcio Bandeira da Silva estava no interior de um ônibus quando criminosos anunciaram um assalto, na Rodovia Presidente Dutra, na altura de Vila Rosali, em São João de Meriti. Ele reagiu e trocou tiros com os bandidos, acertando um deles. Atingido na mão, o PM não corre risco de morte.

Fotor_151678905648831

24 de janeiro: 1 PM morto
Lotado no 25° BPM (Cabo Frio), o tenente Jeovany Carvalho de Andrade Brito, 29 anos, morreu após ser baleado por criminosos durante uma incursão no Morro da Coca-Cola, em Arraial do Cabo, na Região dos Lagos. Após uma denúncia de que vários criminosos estavam reunidos no local, os policiais montaram uma operação e foram até o morro, localizado no bairro Figueira. Quando chegaram, os PMs foram recebidos a tiros e o oficial foi atingido na cabeça. Ele ainda foi socorrido e levado para o Hospital Geral de Arraial do Cabo (HGAC), mas não resistiu. Dois criminosos foram baleados e duas armas apreendidas – um revólver calibre 38 e uma pistola 9mm. Uma operação continua sendo realizada no Morro da Coca-Cola. Ele estava na corporação desde 2012.

24 de janeiro: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Manguinhos, o sargento João Batista Santana da Costa foi baleado durante uma tentativa de assalto, na Avenida Brasil, em Cordovil, na Zona Norte do Rio. O PM trafegava no sentido Centro da via qua do, na altura da Favela Cidade Alta, foi abordado por criminosos. Ele reagiu e acabou atingido no joelho. Socorrido, o policial foi levado para o Hospital Geral de Bonsucesso.

Fotor_151693421360595

25 de janeiro: 1 PM morto e 1 PM baleado
Lotados no Batalhão de Polícia de Choque (BPChoque), o soldado Tiago Chaves da Silva e o tenente Diego Geraldo Rocha de Souza foram baleados durante incursão na Favela da Rocinha, em São Conrado, na Zona Sul do Rio. Atingido no abdômen, na parte abaixo do colete, o soldado Chaves foi socorrido e levado para o Hospital Municipal Miguel Couto, na Gávea, mas não resistiu. O tenente, atingido na perna, foi levado para a mesma unidade de saúde e liberado após receber atendimento médico.

25 de janeiro: 1 PC baleado
Lotado na 39ª DP (Pavuna), o inspetor Celso foi baleado ao tentar impedir um assalto, na Pavuna, na Zona Norte do Rio. O policial havia acabado de sair da delegacia para cumprir uma diligência quando avistou o crime. Os bandidos efetuaram disparos contra os policiais, atingindo a viatura e o inspetor de raspão. Ele recebeu atendimento médico e foi liberado em seguida.

33002bf5-1822-4eb8-842d-2b1f1c40079c

26 de janeiro: 1 PM morto
Lotado no 32º BPM (Macaé), o cabo Boanerges do Bem Brandão morreu após ser baleado durante um assalto, na cidade de Itaipava, no Espírito Santo. O PM estava acompanhado pelo irmão, que também é PM, lotado no Comando de Polícia Ambiental (CPAm). Ele não se feriu. Os dois estavam de férias.

27 de janeiro: 2 PMs baleados
Lotados no 6° BPM (Tijuca), o sargento Eudercir e o soldado Esteles foram baleados durante ataque de criminosos na Tijuca, na Zona Norte do Rio. Os PMs perseguiam criminosos em um Honda Civic preto quando, na Rua Conde de Bonfim, os bandidos bateram o veículo. Neste momento o sargento Edelcir desceu da viatura para efetuar a abordagem e foi surpreendido por um segundo carro onde estavam comparsas dos fugitivos. O sargento foi atingido no ombro e na perna. Os bandidos também atiraram contra o soldado Esteles, que foi alvejado na perna. Uma mulher que era passageira de um Uber que trafegava na via no momento do tiroteio foi atingida no braço e um garçom que trabalhava em um estabelecimento no endereço acabou morrendo após ser vítima de bala perdida. O sargento Edelcir foi levado para o Hospital Federal do Andaraí. Já o soldado Esteles foi levado para o Hospital Central da Polícia Militar (HCPM).

27 de janeiro: 1 PM baleado
Subcomandante do Regimento de Polícia Montada (RPMont), o tenente-coronel Sérgio Pereira Cardoso, 45 anos, foi baleado durante tentativa de assalto, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. Há dois meses, o oficial já havia sido vítima de assalto no mesmo município. Na ocasião, foi parar no hospital após ser agredido a socos, chutes e coronhadas. Desta vez, ele foi atingido por dois tiros na perna esquerda e um no rosto, que se alojou próximo à coluna. Socorrido e levado para o Hospital Geral de Nova Iguaçu, na Posse, o coronel será submetido a uma cirurgia. Em novembro de 2017, criminosos abordaram o policial próximo ao mercado Maringá, no bairro Vila Anita, e fugiram levando a arma e o carro dele, que foram recuperados depois.

28 de janeiro: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) São João, o soldado Fábio da Silva Osford foi baleado durante ataque de criminosos na Avenida Barão do Bom Retiro, no bairro Engenho Novo, na Zona Norte do Rio. Atingido na altura da axila, o PM foi socorrido e levado para o Hospital Municipal Salgado Filho, no Méier.

28 de janeiro: 1 PM baleado
Lotado no 20º BPM (Mesquita), o soldado Arlindo Teixeira de Almeida Júnior foi baleado durante tentativa de assalto, em Nilópolis, na Baixada Fluminense. Atingido no braço esquerdo, ele foi socorrido e levado para o Hospital Central da Polícia Militar (HCPM), no Estácio, e posteriormente transferido para o Hospital Estadual de Traumatologia e Ortopedia (HTO), na Baixada Fluminense.

29 de janeiro: 1 PM baleado
Lotado no 39º BPM (Belford Roxo), o cabo Reis foi baleado durante confronto com criminosos no bairro São Leopoldo, em Belford Roxo, na Baixada Fluminense.

download

29 de janeiro: 1 PM morto
O sargento reformado Vaulir Richard Costa morreu após ser baleado em Magé, na Baixada Fluminense. O PM saía do supermercado Nossa Rede, no bairro Mauá, quando ocupantes de um Corolla prata de placa não anotada passaram efetuando disparos. Ele ainda foi socorrido e levado a um posto médico, mas não resistiu aos ferimentos.

1_30_pm-5690180

30 de janeiro: 1 PM morto
Lotado no 17°BPM, o tenente Eduardo de Barros Almeida, 30 anos, morreu após ser atingido durante confronto com traficantes da Favela Parque Royal, na Ilha do Governador, na Zona Norte do Rio. O oficial ainda foi socorrido e levado para o Hospital Municipal Evandro Freire, mas não resistiu aos ferimentos.

whatsapp_image_2018_01_31_at_15_44_20__2_-5699504

31 de janeiro: 1 PC morto
Lotado na Coordenadoria de Fiscalização de Armas e Explosivos (CFAE), o inspetor Renato Laelson Batista morreu após ser baleado durante um assalto, no interior do supermercado Prezunic, em Benfica, na Zona Norte do Rio.

537104_228059210661066_253002624_n

1º de fevereiro: 1 PM morto e 1 PM baleado
Lotados no Serviço de Inteligência (P-2) do 21ºBPM, o sargento Alexandre de Souza da Silva e o cabo Rafael dos Santos Castro foram baleados durante ataque de criminosos na Bacia do Éden, em São João de Meriti, na Baixada Fluminense. O sargento foi atingido de raspão na cabeça. O cabo foi baleado na cabeça, no abdômen e na perna. Os PMs participavam de operação. Os dois foram socorridos e levados para o Posto de Atendimento Médico (PAM) de São João de Meriti, mas o cabo Dos Santos não resistiu aos ferimentos.

2 de fevereiro: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Nova Brasília, o soldado Rômulo Tomaz da Silva foi baleado durante assalto em São João de Meriti, na Baixada Fluminense. O PM trafegava pela Rua Belquis, no bairro Coelho da Rocha, quando foi abordado pelos criminosos. Ele tentou fugir e os bandidos efetuaram diversos disparos contra ele. Atingido nas nádegas, o soldado Tomaz foi socorrido e levado para o Posto de Atendimento Médico (PAM) de Vilar dos Teles, sendo posteriormente transferido para o Hospital Central da Polícia Militar (HCPM), no Estácio.

3 de fevereiro: 1 PM baleado
Lotado no 7º BPM (São Gonçalo), o sargento Correa foi baleado durante um assalto, em Itaboraí. O PM estava em uma lanchonete localizada no bairro Manilha quando dois criminosos armados em um Fiat Idea prata entraram no estabelecimento e anunciaram o roubo. Quando se aproximaram do sargento para revistá-lo, ele se atracou com os bandidos e acabou atingido na cabeça. Socorrido e levado para o Hospital Estadual Prefeito João Baptista Caffaro, ele foi posteriormente transferido para o Hospital Estadual Alberto Torres, no Colubandê, em São Gonçalo.

4 de fevereiro: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP)Camarista Méier, o soldado Horácio foi baleado ao reagir a uma tentativa de assalto, em Ricardo de Albuquerque, na Zona Norte do Rio. O PM seguia pela Avenida Marechal Alencastro quando foi abordado pelos bandidos, na altura do Cemitério de Ricardo de Albuquerque. Atingido na altura da axila, o policial conseguiu continuar conduzindo seu veículo e foi até a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Ricardo de Albuquerque, onde recebeu atendimento. Na ação, Lohrane Rodrigues de Souza, 27 anos, também foi baleada. Ferida no antebraço, ela foi socorrida e levada para a mesma unidade de saúde.

5 de fevereiro: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Providência, o soldado Santelmo foi baleado durante ataque de criminosos da facção Comando Vermelho (CV) que continuam controlando o tráfico de drogas no morro localizado na região central do Rio. O PM estava na van que faz o transporte do efetivo para rendição de serviço e foi atingido na cabeça quando descia do veículo, na Rua Miguel Saião. Socorrido, ele foi levado para o Hospital Central da Polícia Militar (HCPM), no Estácio, onde foi submetido a uma tomografia que constatou que ele havia sido ferido de raspão.

6 de fevereiro: 1 PM baleado
Lotado no 27º BPM (Santa Cruz), o cabo Cristiano de Oliveira Gouvea participava de ação em apoio ao 18º BPM (Jacarepaguá) durante operação no Morro São José Operário, na Praça Seca, na Zona Oeste do Rio, quando foi baleado pelo próprio armamento. O PM passava pela Rua Baronesa quando os criminosos efetuaram diversos disparos contra as viaturas. Os policiais revidaram a agressão e durante o confronto o fuzil utilizado pelo cabo C. Gouvea – calibre 762 – apresentou pane, provocando a explosão de uma munição na câmara da arma. Ele foi ferido em uma das mãos e corre o risco de perder um dedo. Socorrido, o PM foi levado para o Hospital Estadual Carlos Chagas, em Marechal Hermes, na Zona Norte.

7 de fevereiro: 1 PM baleado
Lotado no 35° BPM (Itaboraí), o soldado Fabiano Baptista da Cruz foi baleado durante ataque de criminosos, em Tanguá. O PM, que trabalha no Destacamento de Policiamento Ostensivo (DPO) de Duques, cumpria baseamento na BR-101, próximo ao radar de Duques, quando bandidos em um Corolla branco passaram efetuando disparos contra a viatura. Atingido na perna, o soldado Cruz foi socorrido e levado para o Hospital Municipal Desembargador Leal Júnior, no bairro Nancilândia, em Itaboraí. Posteriormente ele foi transferido para o Hospital Estadual Alberto Torres, no Colubandê, em São Gonçalo.

Fotor_152321826806554

8 de fevereiro: 1 PM morto
Lotado no Batalhão de Polícia Rodoviária Estadual (BPRv), o sargento Décio Anastácio Nunes, 52 anos, foi baleado por criminosos, em Belford Roxo, na Baixada Fluminense. Ele estava acompanhado pelo irmão, Márcio Anastácio Nunes, 40, que também foi atingido. Os dois trafegavam pela Estrada de Belford Roxo, no bairro Jardim Bom Pastor – próximo a um dos acessos à Favela Gogó da Ema – quando se depararam com vários bandidos fortemente armados que se preparavam para roubar uma carga. O PM e seu irmão foram socorridos pelo motorista de uma ambulância que passava pelo local e levados para o Hospital Geral de Nova Iguaçu, na Posse. Atingido na cabeça, o sargento Anastácio permaneceu internado em estado grave durante dois meses. Ele não resistiu e faleceu, no dia 8 de abril. Seu irmão foi baleado no braço e no rosto e está internado em observação.

9 de fevereiro: 1 PM baleado
Lotado na Diretoria Geral de Pessoal (DGP), o subtenente Ricardo Barboza foi baleado ao reagir a um arrastão, no trecho Niterói-Manilha da BR-101. O PM seguia em sua moto Bros preta no sentido Itaboraí da via, na altura do KM 309, no bairro Itaúna, em São Gonçalo, quando notou a ação criminosa. Os bandidos haviam roubado os pertences dos ocupantes de um Jeep Renegade branco que estava à sua frente e quando vieram em sua direção, o subtenente sacou sua pistola e trocou tiros com os criminosos. Atingido na coxa e no antebraço do lado direito, o PM foi socorrido pelo motorista assaltado. Dois dos assaltantes também foram baleados. Um deles morreu no local. O policial foi levado para o Pronto Socorro de São Gonçalo (PSSG), no Zé Garoto, e posteriormente transferido para o Hospital Estadual Alberto Torres, no Colubandê.

523714_391301944274354_1717970917_n

10 de fevereiro: 1 PM morto
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Rocinha, o soldado Dejair Jardim do Nascimento, 29 anos, morreu após ser baleado dentro de um supermercado, no bairro Boa Vista, em São Gonçalo. O proprietário do estabelecimento contou a policiais do 7º BPM (São Gonçalo) que estiveram no local, na Rua Domingos Nanci, que o PM entrou seguido por um homem armado, que mandou que ele levantasse a blusa. Ao ver a arma, efetuou disparos contra o policial, que morreu no local. O PM tinha acabado de sair de seu veículo, um Fox preto. O bandido fugiu levando a arma do policial.

11 de fevereiro: 2 PMs baleados
Lotados no 23° BPM (Leblon), os soldados Leonardo Sousa dos Santos e André Duarte da Silva foram baleados por um assaltante, no Leblon, na Zona Sul do Rio. Os PMs aguardavam o término de uma ocorrência na 14DP quando foram abordados por uma vítima que tinha acabado de ser assaltada. Ela contou que um bandido tinha levado seu telefone celular e que o rastreador do aparelho mostrava que ele estava nas proximidades. Os PMs então, de posse da informação e das características do criminoso, saíram da distrital e avistaram o assaltante – que seguia a pé pelo lado oposto da rua da delegacia. Ao perceber a aproximação dos policiais, o bandido sacou uma arma e efetuou disparos que atingiu o soldado L. Sousa e o soldado André. Um deles foi atingido de raspão no rosto e o outro na perna. Os dois foram socorridos e levados para o Hospital Municipal Miguel Couto, na Gávea. Nenhum deles corre risco de morte.

12391195_10203826227576518_8272795795013903262_n

13 de fevereiro: 1 PM morto
Lotado no Batalhão de Polícia Rodoviária Estadual (BPRv), o sargento Fábio Miranda Silva foi baleado durante tentativa de assalto, no Méier, na Zona Norte do Rio. O PM estava na Rua Thompson Flores quando foi abordado pelos criminosos. Atingido no queixo, no tórax e na nuca, ele foi socorrido e levado para o Hospital Municipal Salgado Filho, mas não resistiu aos ferimentos.

1_whatsapp_image_2018_03_06_at_16_35_55-6036156

13 de fevereiro: 1 PM morto
Lotado no 7º BPM (São Gonçalo), o cabo Carlos Marcelo Oliveira da Silva foi baleado durante uma tentativa de assalto, na RJ-104, na altura do bairro Jardim Catarina, em São Gonçalo. O PM trafegava em seu carro e passava próximo ao Motel Paloma quando foi abordado pelos criminosos. Uma moto Honda XR ESB Bros branca ficou caída no local. O proprietário não foi localizado. Socorrido, ele foi levado para o Hospital Estadual Alberto Torres, no Colubandê, onde permaneceu internado durante 21 dias, mas não resistiu e faleceu, no dia 6 de março.

18_bangu_pm_morto_rep_rio-5889387 (1)

18 de fevereiro: 1 PM morto
Lotado no 12° BPM (Niterói), o sargento Cristiano das Neves Souza morreu após ser baleado ao tentar impedir um assalto, em Bangu, na Zona Oeste do Rio. Ele e outros policiais estavam reunidos com amigos em comum em uma confraternização depois de um jogo de futebol, na Rua Cobe, quando criminosos chegaram em três carros anunciando o roubo. O sargento Neves – que era motorista do coronel Márcio Rocha, comandante do 12°BPM – reagiu e trocou tiros com os bandidos. No confronto, um tatuador e uma outra pessoa não identificada também foram atingidos. O tatuador morreu no local. O PM ainda foi socorrido e levado para o Hospital Municipal Albert Schweitzer, em Realengo, mas não resistiu.

19 de fevereiro: 1 PM baleado
Lotado no 12° BPM (Niterói), o sargento Laureano foi baleado durante tentativa de assalto em Itaboraí. O PM trafegava pela estrada que liga o município a Maricá quando foi abordado pelos criminosos. Atingido no pé, ele não corre risco de morte.

20 de fevereiro: 1 PM baleado
Lotado no 18º BPM (Jacarepaguá), o subtenente Hegypson Ferreira Gomes foi baleado na Favela Cidade de Deus, em Jacarepaguá, na Zona Oeste do Rio. De folga, o PM foi para a casa que possui na comunidade quando acabou surpreendido por criminosos da facção Comando Vermelho (CV) que controlam o tráfico de drogas no local. Atingido na perna e no tórax, o PM foi socorrido por policiais da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) e levado para o Hospital Municipal Lourenço Jorge, na Barra da Tijuca. Ele está sendo submetido a uma cirurgia.

20 de fevereiro: 1 PM baleado
Lotada na Diretoria Geral de Pessoal (DGP), a cabo Juliana Barbosa Lima foi baleada durante uma tentativa de assalto, em Realengo, na Zona Oeste do Rio. A PM foi abordada pelo criminoso ao descer do trem na estação do bairro, na Rua Joaquim Inácio. Ela estava desarmada e quando colocou a mão no bolso de trás da calça para entregar o celular, o bandido se assustou e efetuou um disparo que a atingiu na altura do quadril. Socorrida por pessoas que passavam pelo local, ela foi levada para o Hospital Municipal Albert Schweitzer.

21 de fevereiro: 1 PM morto
Subcomandante da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Vila Kennedy, o tenente Guilherme Lopes da Cruz morreu após ser baleado durante assalto, em Jacarepaguá, na Zona Oeste do Rio. O PM estava no drive thru do Mc Donald’s, localizado na Estrada do Gabinal, e pegava seu lanche quando foi abordado por dois assaltantes. Ele reagiu e conseguiu atingir um dos bandidos, mas havia um comparsa na cobertura, que surpreendeu o oficial. Ele ainda foi socorrido e levado para o Hospital Municipal Lourenço Jorge, na Barra da Tijuca, mas não resistiu aos ferimentos. Horas antes, o PM havia recuperado na Vila Kennedy a arma do sargento do Exército assassinado durante assalto em Campo Grande, também na Zona Oeste do Rio, na manhã de terça-feira, dia 20.

21 de fevereiro: 1 PM baleado
Lotado no 7º BPM (São Gonçalo), o soldado Espírito foi baleado durante confronto na Favela da Caroba, no bairro Santa Luzia, em São Gonçalo. Atingido na mão, ele foi socorrido e levado para o Hospital Estadual Alberto Torres, no Colubandê. Ele não corre risco de morte.

21 de fevereiro: 1 PM baleado
Lotado no 31º BPM (Recreio dos Bandeirantes), o soldado Willians José Alves dos Santos trabalhava em apoio ao 41ºBPM e participava de baseamento na Rotatória da Pavuna, na Zona Norte do Rio, quando criminosos que roubavam um caminhão passaram em um veículo prata efetuando disparos contra a viatura. O PM foi atingido na perna. Socorrido, foi levado para o Hospital Estadual Getúlio Vargas, na Penha.

28279484_1903672136371440_2884914294472756675_n

24 de fevereiro: 1 PM morto
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Rocinha, o sargento Cláudio Ruschel Nogueira, 43 anos, foi baleado durante tentativa de assalto, em Mesquita, na Baixada Fluminense. O PM estava em um trailler na Rua da Serra, no bairro Santa Terezinha, quando os criminosos chegaram anunciando o roubo. O sargento Ruschel reagiu e acabou atingido no abdômen e no tórax. Socorrido, ele ainda foi levado para o Hospital Geral de Nova Iguaçu, no bairro Posse, onde permaneceu internado por cinco dias no Centro de Tratamento Intensivo (CTI), mas não resistiu aos ferimentos e acabou morrendo na quinta-feira, dia 1º de março.

26 de fevereiro: 1 PC baleado
Lotado na Delegacia de Roubos e Furtos de Cargas (DRFC), o oficial de cartório Alan Oliveira Moreira foi baleado durante incursão na Favela Furquim Mendes, no bairro Jardim América, na Zona Norte do Rio. Equipes da Coordenadoria de Operações e Recursos Especiais (CORE) foram acionadas e resgataram o policial. Socorrido, ele foi levado para o Hospital Estadual Getúlio Vargas, na Penha.

28577344_2096818447124888_7738556264164070776_n

2 de março: 1 PM morto
O subtenente reformado da Polícia Militar Ubirajara Pereira dos Santos, 52 anos, morreu após ser baleado durante assalto na agência do banco Santander localizada na Rua Maria de Freitas, em Madureira, na Zona Norte do Rio.

2 de março: 1 PM baleado
Lotado no 20º BPM (Mesquita), o soldado Rodrigo foi baleado durante incursão na Favela Grão Pará, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. Integrante do Grupamento de Ações Táticas (GAT) da unidade, o PM foi atingido no ombro quando passava pela Estrada de Madureira, no bairro Grão Pará. Socorrido, ele foi levado para o Hospital Geral de Nova Iguaçu e não corre risco de morte.

6dc0ebe9-017f-43bb-9924-d5553ca71e65

4 de março: 1 PM baleado
Lotado no 7º BPM (São Gonçalo), o soldado Bruno Simas Guimarães foi baleado durante tentativa de assalto, no bairro Alcântara, em São Gonçalo. O PM trafegava pela Estrada Raul Veiga quando foi abordado pelos bandidos, que fugiram levando a arma dele. Mesmo ferido, o policial conduziu seu veículo até o Hospital Estadual Alberto Torres, no Colubandê, onde foi submetido a uma cirurgia e permanece internado.

7 de março: 1 PM baleado
Lotado no 7º BPM (São Gonçalo), o soldado Raoni Santos Lima, 34 anos, foi baleado durante tentativa de assalto, no bairro Colubandê, em São Gonçalo. Ele saiu de sua residência para fazer um lanche com a namorada quando foi abordado pelos bandidos, que estavam em um Fiat Strada prata, na Estrada do Malafaia. O PM reagiu e trocou tiros com os criminosos, que fugiram. Atingido no pé e de raspão na nuca, o soldado Raoni foi socorrido e levado para o Hospital Estadual Alberto Torres.

download

7 de março: 1 PM morto
Lotado no 23° BPM (Leblon), o sargento Marcos Aurélio Nascimento Almeida foi assassinado na porta de casa, em Campo Grande, na Zona Oeste do Rio. A namorada do PM contou que eles voltavam de uma pizzaria, onde houve um desentendimento entre o sargento e funcionários do restaurante. Assim que chegaram em casa, na Rua Taquarembo, foram surpreendidos por um homem que estava sentado em um banco na praça localizada em frente à residência. Assim que o policial desceu de seu veículo para abrir o portão e entrar em casa, o homem se aproximou e efetuou diversos disparos, sem qualquer chance de defesa ou reação. Em seguida, o criminoso fugiu em um carro que o aguardava na esquina.

9 de março: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Mangueirinha, o cabo Simões foi baleado durante confronto com criminosos na comunidade que fica localizada no bairro Centenário, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. Os PMs estavam verificando denúncia de endereço onde funcionaria um depósito de cargas roubadas e desmanche na localidade conhecida como Grotão. Eles conseguiram recuperar diversos carros roubados e peças já desmontadas de veículos, além de carga de material ortopédico. No momento em que se preparavam para retirar os objetos, foram surpreendidos por tiros. Atingido no cotovelo, o PM não corre risco de morte.

11 de março: 1 PM baleado
Lotado no 32º BPM (Macaé), o cabo Dias foi baleado durante assalto a uma farmácia, no bairro Parque Aeroporto, em Macaé. O PM estava na Drogaria Boa Saúde, localizada na Rua 62, quando um bandido armado entrou no estabelecimento anunciando o roubo. O policial se atracou com o criminoso e sua pistola acabou disparando, atingindo acidentalmente a sua mão. O bandido – que estava com um simulacro – fugiu levando a arma do PM. O policial foi socorrido e levado para o Hospital Público Municipal Dr. Fernando Pereira da Silva, no bairro Virgem Santa.

29103991_1756759354367526_6815796571491084996_n

12 de março: 1 PM morto
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Chatuba, o cabo Leonardo de Paula da Silva, 35 anos, morreu após ser baleado durante tentativa de assalto, na Linha Amarela, em Bonsucesso, na Zona Norte do Rio. O PM tinha acabado de sair de serviço e seguia para casa quando, na altura da Favela Vila do João, no Complexo da Maré, se deparou com um arrastão. Quando policiais do Batalhão de Policiamento em Vias Especiais (BPVE) chegaram no local, vários carros estavam voltando pela contramão e o PM já estava caído sem vida no asfalto.

12 de março: 1 PM baleado
Lotado no 18º BPM (Jacarepaguá), o tenente Cardoso foi baleado durante confronto com criminosos no Morro Pendura Saia, no Complexo da Covanca, em Jacarepaguá, na Zona Oeste do Rio. Atingido de raspão na mão, o oficial foi socorrido e levado para o Hospital Municipal Lourenço Jorge, na Barra da Tijuca, e recebeu alta após atendimento médico. No confronto, um dos bandidos morreu. Na ação, os PMs apreenderam uma pistola 9mm e um rádio transmissor, além de fardamento militar.

13 de março: 1 PM baleado
Lotado no 41ºBPM (Irajá), o cabo Alexander foi baleado durante confronto na Favela Via Light, em Anchieta, na Zona Norte do Rio. Atingido na coxa, o PM foi socorrido e levado para o Hospital Estadual Carlos Chagas, em Marechal Hermes.

4cc07011-05ff-426a-a8eb-c11a96de2839

13 de março: 1 PM morto
Lotado no 14º BPM (Bangu), o sargento Rafael Luiz Fortunato dos Santos morreu após ser baleado durante tentativa de assalto, em Padre Miguel, na Zona Oeste do Rio. O PM trafegava pela Estrada Porto Nacional quando foi abordado pelos criminosos. O PM reagiu e conseguiu atingir um dos bandidos – o menor Gabriel de Oliveira Marques. Os dois foram socorridos e levados para o Hospital Municipal Albert Schweitzer, em Realengo, também na Zona Oeste. O assaltante já chegou morto na unidade de saúde. Atingido na cabeça e na perna, o sargento Fortunato não resistiu aos ferimentos.

fb_img_1521195494046391837832.jpg

16 de março: 1 PM morto
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Vila Kennedy, o soldado Jean Felipe de Abreu Carvalho, 29 anos, morreu após ser baleado ao reagir a um assalto, no bairro Paciência, na Zona Oeste do Rio. O PM ainda conseguiu matar um dos bandidos, mas foi atingido também e acabou não resistindo. O crime ocorreu na Avenida Cesário de Melo, na altura da estação BRT 31 de outubro.

16 de março: 1 PC baleado
Lotado na Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam), o inspetor Marcellus Piranda Lima foi vítima de um disparo acidental efetuado por ele mesmo, durante discussão com um agente da Lei Seca, na Praça da República, na região central do Rio.

19 de março: 1 PM baleado
Lotado no 3º BPM (Méier), o subtenente Amorim foi baleado durante uma troca de tiros com criminosos, no Engenho de Dentro, na Zona Norte do Rio. No confronto, que ocorreu na Rua Piauí, um dos bandidos também foi atingido. O PM ficou ferido no braço e foi socorrido e levado para o hospital.

29386176_1765960120114116_8469022042265336367_n

19 de março: 1 PM morto
Lotado no 24° BPM (Queimados), o sargento Rogério Lima dos Santos morreu após ser baleado durante incursão no Morro da Caixa D’Água, em Queimados, na Baixada Fluminense. Atingido na cabeça, o PM ainda foi socorrido e levado para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Queimados, mas não resistiu.

19 de março: 1 PM baleado
Lotado no 7° BPM (São Gonçalo), o sargento Assunção foi baleado durante incursão no Morro da Chumbada, no bairro Galo Branco, em São Gonçalo. Atingido no queixo, ele foi socorrido e levado para o Hospital Estadual Alberto Torres, no Colubandê.

12359819_927422894014965_1162445083236908507_n

21 de março: 1 PM morto
Lotado no 39º BPM (Belford Roxo), o sargento Maurício Chagas Barros, 37 anos, morreu após ser baleado durante incursão na Favela Gogó da Ema, no bairro Bom Pastor, em Belford Roxo, na Baixada Fluminense. Atingido no abdômen e na perna, o PM ainda foi socorrido e levado para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Bom Jardim, mas não resistiu.

Fotor_152167361806453

21 de março: 1 PM morto
Lotado no 25° BPM (Cabo Frio), o cabo Luciano morreu após ser baleado ao tentar impedir um assalto, em Cabo Frio, na Região dos Lagos. O PM estava em uma farmácia quando ouviu uma gritaria dentro das Casas Bahia localizada ao lado, no Largo Santo Antônio. Ele entrou na loja para verificar o que ocorria e se deparou com um criminoso armado. No momento em que sacou sua arma para dar voz de prisão ao assaltante, o PM foi surpreendido por outros três bandidos que davam cobertura ao comparsa. O cabo chegou a entrar em luta corporal, mas foi baleado e morreu ainda no local. Os criminosos fugiram levando a arma do PM.

Fotor_152168069922115

21 de março: 1 PM morto
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Rocinha, o soldado Filipe Santos de Mesquita morreu após ser baleado por criminosos que continuam controlando o tráfico de drogas na Favela da Rocinha, em São Conrado, na Zona Sul do Rio. O PM andava pela Rua do Valão a caminho da refeição quando foi surpreendido por tiros efetuados por bandidos que estavam na localidade conhecida como Largo do Boiadeiro. Ele ainda foi socorrido e levado para o Hospital Municipal Miguel Couto, na Gávea, mas não resistiu. No tiroteio um morador também foi atingido e também morreu.

23 de março: 1 PM baleado
Lotado no 41º BPM (Irajá), o sargento Ricardo de Lima Santos foi baleado durante ataque de criminosos na localidade conhecida com Beco do Anchieta, na Zona Norte do Rio. Atingido no rosto, o PM foi socorrido e levado para o Hospital Estadual Carlos Chagas, em Marechal Hermes, sendo posteriormente transferido para o Hospital Central da Polícia Militar (HCPM), no Estácio.

24 de março: 1 PM baleado
Lotado no 11° BPM (Nova Friburgo), o subtenente Alexandre Barroso Garcia foi baleado ao tentar impedir a fuga de um criminoso, no bairro Alto de Olaria, em Nova Friburgo, na Região Serrana. O bandido fugia após atirar no diretor da Escola de Samba Imperatriz de Olaria, Rafael Valeriano dos Santos, o Rafinha, 35 anos. O crime ocorreu em um bar na Rua Presidente Sodré. Testemunhas contaram que o homem armado se aproximou e realizou vários disparos na cabeça de Rafinha, que morreu no local. Logo em seguida, o assassino desceu a pé pela Rua Gustavo Lira e entrou no Sandero bege placa KYW 3255, onde um comparsa o aguardava. Trabalhando no Posto de Policiamento Comunitário (PPC) de Olaria, o subtenente tentou impedir a fuga da dupla e na troca de tiros acabou atingido no ombro. O PM foi levado para o Hospital Raul Sertã, onde foi submetido a uma cirurgia.

27 de março: 1 PM baleado
Lotado no 21º BPM (São João de Meriti), o cabo Douglas Torres Sardella, 40 anos, foi baleado durante tentativa de assalto, na Avenida Brasil, na altura de Ricardo de Albuquerque, na Zona Norte do Rio. O PM foi atingido por quatro tiros – dois no braço, um nas costas e um na perna. Socorrido, ele foi levado para o Hospital Municipal Albert Schweitzer, em Realengo.

27 de março: 1 PM baleado
Lotado no Batalhão de Policiamento em Grandes Eventos (BPGE), o sargento Marcelo Polycarpo de Assumpção foi baleado durante assalto, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. O PM estava no interior de seu veículo e passava pela Praça da Baixadinha, no final da rua Maria Leopoldina, quando foi abordado pelos criminosos. O sargento ainda reagiu, mas acabou atingido no pescoço. Os bandidos fugiram levando a arma dele. Socorrido por um policial lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) São Carlos que é morador do local, ele foi levado para o Hospital Geral de Nova Iguaçu, na Posse, sendo posteriormente transferido para o Hospital Estadual Alberto Torres, no Colubandê, em São Gonçalo.

28 de março: 1 PM baleado
Lotado no 23º BPM (Leblon), o soldado Natan foi baleado durante assalto às Lojas Americanas, no Leblon, na Zona Sul do Rio. O PM, que trabalha no Policiamento Ostensivo Geral (POG), entrou no estabelecimento, localizado na Rua General Urquiza, no momento em que dois bandidos anunciavam o roubo. Atingido nas nádegas, ele foi socorrido e levado para o Hospital Municipal Miguel Couto, no Leblon.

29 de março: 1 PM baleado
Adido à Prefeitura de Araruama, o sargento Cláudio Lopes de Moura, que é subsecretário Municipal de Ordem Pública, foi baleado durante ação para prender criminosos que efetuavam roubos, no bairro Bananeiras, em Araruama, na Região dos Lagos. Ele e o secretário, que também é policial – o sargento Vanderlei Magalhães de Oliveira – foram acompanhados por uma equipe do Patrulhamento Tático Móvel (Patamo) do 25º BPM (Cabo Frio) até a Avenida Novo Horizonte e quando chegaram no endereço foram recebidos a tiros. Os PMs revidaram e após o confronto, conseguiram prender quatro dos bandidos e apreender um revólver calibre 38, além de recuperar uma moto que havia sido roubada no município de Silva Jardim. Atingido de raspão no braço, o sargento Moura foi socorrido e levado para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Araruama. Ele recebeu alta após atendimento médico.

29 de março: 1 PM baleado
Lotado no 7º BPM (São Gonçalo), o soldado Fabiano trabalhava no Motopatrulhamento (MPTran) quando foi atacado por criminosos no bairro Santa Luzia, em São Gonçalo. Ele foi atingido por três tiros – um na mão esquerda, um na perna esquerda e um no braço esquerdo – e fraturou o braço na queda. Socorrido, foi levado para o Hospital Estadual Alberto Torres, no Colubandê.

29695258_1314876201947952_7353560937374416005_n

29 de março: 1 PM morto
Adido na Secretaria de Defesa Civil e Ordem Urbana de Belford Roxo e atual secretário de Ordem Pública de Belford Roxo, o sargento Marcos Vander Silva de Oliveira, 42 anos, morreu após ser baleado durante tentativa de assalto, no bairro Heliópolis, em Belford Roxo, na Baixada Fluminense. O PM ainda foi socorrido e levado para o Hospital Geral de Nova Iguaçu, na Posse, mas não resistiu.

30 de março: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Cidade de Deus, o soldado Anderson Luiz Gil Telles foi baleado ao reagir a um assalto, na Taquara, na Zona Oeste do Rio. O PM trafegava pela Estrada da Soca, quando foi abordado pelos bandidos. Ele reagiu e chegou a trocar tiros com os criminosos, que fugiram levando o carro do policial. Atingido na perna, o PM foi socorrido e levado para o Hospital Municipal Lourenço Jorge, na Barra da Tijuca.

29695448_2333508346675213_764019488010923503_n2

30 de março: 1 PM morto e 1 PM baleado
Lotados no 41° BPM (Irajá), o cabo Raphael Monteiro e o cabo Bruno Marazo foram baleados por criminosos durante ataque em Costa Barros, na Zona Norte do Rio. Acompanhados pelo soldado Filho, os PMs realizavam patrulhamento de rotina e passavam pela Avenida Martin Luther King quando, na altura da Rua Professor Sá Lessa, se depararam com diversos bandidos de moto saindo do Morro da Pedreira. Os criminosos efetuaram diversos disparos contra a viatura, sem que os policiais tivessem tempo de reagir ou se defender. Socorridos por uma viatura do 9° BPM (Rocha Miranda), os dois foram levados para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Rocha Miranda e transferidos para o Hospital Estadual Albert Schweitzer, em Realengo. O cabo Monteiro não resistiu.

29597770_1782884565088338_8047241417526912535_n

2 de abril: 1 PM morto
Reformado há pouco mais de um mês, o subtenente Marcílio de Melo Ferreira morreu após ser baleado durante um assalto, em Campo dos Afonsos, na Zona Norte do Rio. O PM abastecia sua Kombi em um posto de combustíveis localizado na Estrada Intendente Magalhães quando três criminosos chegaram anunciando o roubo. Ele tentou impedir e acabou atingido pelos bandidos. O trio fugiu em um HB20 amarelo levando a arma do subtenente, mas acabou preso minutos depois por policiais do 9°BPM. A pistola do PM foi recuperada. Atingido na cabeça, o subtenente Marcílio chegou a ser socorrido e levado para o Hospital Estadual Carlos Chagas, em Marechal Hermes, mas não resistiu. O policial era conhecido no bairro e um dos funcionários do posto ligou para sua esposa para avisar do ocorrido. Ele tinha se reformado no último dia 12 de fevereiro.

29791990_1786875108022617_4000469676502972016_n

3 de abril: 1 PM morto
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Rocinha, o soldado Lutércio Galiza de Souza Filho, 32 anos, foi assassinado em Queimados, na Baixada Fluminense. O PM estava há três anos na corporação. Ele foi surpreendido pelos criminosos no momento em que passava com seu veículo próximo a uma sorveteria, no bairro São Roque.

4 de abril: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) São Carlos, o cabo Novaes foi baleado durante ataque de criminosos, no Catumbi, na Zona Norte do Rio. Os policiais do Grupamento Tático de Polícia de Proximidade (GTPP) se deslocavam para cumprir ordem de serviço quando desconfiaram de uma dupla caída ao lado de uma moto. Ao se aproximar para verificar o que ocorria, os PMs foram surpreendidos pelos ocupantes de um Honda Civic preto, que passou efetuando disparos. Atingido no pé esquerdo, o policial foi socorrido e levado para o Hospital Central da Polícia Militar (HCPM), no Estácio.

6c02d011-886a-4c5f-aad2-ead09f83e078 (1)

5 de abril: 1 PM morto
Lotado no 41° BPM (Irajá), o sargento Antônio Anderson Ferreira Mattos morreu após ser baleado durante discussão com outro policial militar, em Irajá, na Zona Norte do Rio. O PM tinha estacionado seu carro na Rua Jaracatiá, em frente ao número 194, quando o morador do imóvel – também PM – chegou reclamando porque o veículo estava em frente à entrada da garagem. Os dois sacaram suas armas e o sargento Anderson acabou atingido. Ele ainda foi socorrido e levado para o Hospital Estadual Getúlio Vargas, na Penha, mas não resistiu. O autor dos disparos foi identificado como sendo o soldado Thiago Moraes.

6 de abril: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Batan, o soldado Fábio Soares foi baleado durante apoio à UPP da Providência.

6 de abril: 1 PM baleado
Lotado no Batalhão de Operações Policiais Especiais (BOPE), o sargento Santos foi baleado durante incursão no Morro do Turano, no bairro Rio Comprido, na Zona Norte do Rio.

9 de abril: 1 PM baleado
Lotado no 9º BPM (Rocha Miranda), o cabo Diogo Nascimento foi baleado por criminosos, no bairro Colégio, na Zona Norte do Rio. Ele realizava patrulhamento de rotina acompanhado pelo colega de farda e passavam pela Avenida Pastor Martin Luther King quando desconfiaram dos ocupantes de um veículo. Durante tentativa de abordagem, foram surpreendidos pela reação dos suspeitos, que efetuaram disparos contra os PMs. Atingido no braço e de raspão na cabeça, o cabo foi socorrido e levado para o Hospital Estadual Getúlio Vargas, na Penha.

22450099_1956573767958748_1627281774551094680_n

10 de abril: 1 PM morto
O subtenente reformado Anderson Cláudio da Silva foi executado quando trafegava pela Avenida Guinard, próximo à Praça Miguel Osório, no Recreio dos Bandeirantes, na Zona Oeste do Rio. O PM tinha acabado de sair da casa de parentes a quem tinha ido visitar e estava ao volante de seu veículo – a BMW 120I UF51 preta placa KXR 0598 – quando foi surpreendido pelos criminosos. Os bandidos fugiram pela Avenida Salvador Allende e, na altura do Condomínio Viva Viver, abandonaram a HB 20 branca placa KWX 8795 e roubaram o Ônix prata placa LSN 8462, continuando a fuga no sentido Transolímpica. Na HB 20, policiais que passavam pelo local encontraram um homem baleado. Ele se identificou como David Soares Batista, 48 anos. Dentro do carro, havia uma pistola. O subtenente Anderson se reformou após ser baleado durante incursão no Morro do Chapadão, em Costa Barros, na Zona Norte do Rio, em abril de 2015. Na época ele era lotado no 41º BPM.

12 de abril: 1 PM baleado
Subcomandante da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Manguinhos, o tenente Júlio Bastos de Carvalho foi baleado durante um assalto, na rodovia Rio-Santos, na altura de Itaguaí, na Baixada Fluminense. O PM estava a caminho do trabalho. Atingido no no peito, numa das mãos e numa das pernas, o oficial foi levado para o Hospital São Francisco Xavier.

Fotor_15237329822861

14 de abril: 1 PM morto
Lotado no 12° BPM (Niterói), o cabo Diogo Bernardo Alcântara, 34 anos, foi assassinado na Avenida Presidente Roosevelt, em São Francisco, na Zona Sul de Niterói. Ele tinha acabado de sair de serviço, no Destacamento de Policiamento Ostensivo (DPO) do Largo da Batalha, e foi surpreendido pelos ocupantes de um Renault Fluence preto. Dois criminosos armados com pistolas calibre 40 desceram do carro e efetuaram dezenas de disparos contra a janela e porta do lado do motorista. O cabo Bernardo morreu no local. O PM estava há sete anos na corporação, era casado e deixou um filho de 5 anos.

14 de abril: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Adeus/Baiana, o soldado Alexandre Antônio da Silva, 32 anos, foi baleado durante uma tentativa de assalto no bairro Todos os Santos, na Zona Norte do Rio. O PM estava em seu carro e passava pela Rua Major Mascarenhas quando dois criminosos desceram de um veículo e abordaram três pedestres. Logo depois, abordaram o automóvel do policial, que desceu correndo, mas foi atingido. Ele não corre risco de morte.

18 de abril: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Vila Kennedy, o soldado Dos Santos foi baleado durante perseguição a criminosos, em Bangu, na Zona Oeste do Rio. Uma viatura do 14º BPM (Bangu) perseguia os ocupantes de um Palio Weekend pela Avenida Brasil e pedia apoio a outras equipes que estivessem próximas quando, na altura do Habib’s, a guarnição da UPP VK baseada na Visibilidade Brasil tentou impedir que a fuga continuasse. Os criminosos efetuaram disparos que acabaram atingindo o PM. Socorrido, ele foi levado para o Hospital Municipal Albert Schweitzer, em Realengo.

22 de abril: 1 PM baleado
Lotado no Batalhão de Policiamento em Vias Especiais (BPVE), o sargento Roberto foi baleado durante ataque de criminosos da Favela Vila Kennedy, em Bangu, na Zona Oeste do Rio. O PM estava em um ponto de baseamento no sentido Centro da Avenida Brasil, quando foi alvo de disparos efetuados por bandidos que estavam dentro da localidade conhecida como Caminho dos Fernandes. O PM chegou a notar uma luz vermelha na direção da viatura e quando deu dois passos para tentar enxergar de onde vinha, acabou surpreendido pelo primeiro disparo, que atingiu a sua pistola que estava no colete que ele usava. O sargento ainda tentou revidar, mas efetuou apenas um disparo com o fuzil que segurava, sendo atingido duas outras vezes por projéteis que ficaram no colete – um deles de pistola e outro de fuzil, que foi responsável por jogar o policial no chão. Ele foi se arrastando até o lado da viatura, onde se abrigou. Com a ajuda de um catador de lixo, o parceiro do sargento o colocou no banco traseiro e o levou até o Hospital Estadual Albert Schweitzer, em Realengo. Logo depois, o PM foi levado para o Hospital Central da Polícia Militar (HCPM), no Estácio. Ele sofreu apenas uma fissura em duas costelas.

23 de abril: 1 PC baleado
Lotado na Corregedoria Interna da Polícia Civil (Coinpol), Júlio Carlos Paes Rodrigues foi baleado ao tentar impedir uma ação criminosa no Túnel Santa Bárbara. Ele se deparou com seis bandidos tentando realizar um arrastão e interviu. No entanto, sua arma – uma pistola Taurus PT40 falhou. Atingido na perna, o policial foi socorrido por uma viatura do 4º BPM (São Cristóvão) e levado para o Hospital Municipal Souza Aguiar, no Centro, onde permanece internado.

23 de abril: 1 PM baleado
Lotado no 7º BPM (São Gonçalo), o soldado José Geraldo Daniel foi baleado ao tentar escapar de assaltantes que usavam duas charretes para cometer crimes em Bonsucesso, na Zona Norte do Rio. O PM conduzia seu veículo quando foi abordado por três bandidos em duas charretes. Ao acelerar para fugir, foi surpreendido por disparos efetuados pelos criminosos contra o vidro dianteiro de seu carro. Atingido de raspão na mão esquerda, o policial continuou conduzindo seu automóvel e dirigiu até a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Alemão, onde recebeu atendimento médico e foi liberado. Os assaltantes fugiram sem levar nada.

27 de abril: 1 PM baleado
O sargento reformado Ronnie Lessa foi baleado durante assalto em um quiosque, na Avenida do Pepê, altura do Quebra-Mar, na Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio. Socorrido, o PM foi levado para o Hospital Municipal Lourenço Jorge.

27 de abril: 1 PM baleado
Lotado no 7º BPM (São Gonçalo), o cabo Edson Jacinto da Silva, 37 anos, foi baleado ao reagir a um assalto, em Itaboraí. O PM abastecia seu veículo em um posto de combustíveis, no bairro Aldeia da Prata, quando dois criminosos chegaram no estabelecimento anunciando o assalto. Ele reagiu e houve confronto. Na troca de tiros, foi atingido na perna. Socorrido, o PM foi levado para o Hospital Estadual Alberto Torres, no Colubandê, em São Gonçalo. Um dos bandidos também foi baleado. Ele está internado sob custódia no Hospital Municipal Desembargador Leal Junior, em Itaboraí. Com ele, foi apreendida uma pistola. O comparsa dele conseguiu fugir.

31403626_1814788805231247_3009510145441478701_n

28 de abril: 1 PM morto
Lotado no 41°BPM (Irajá), o sargento Carlos Eduardo Gomes Cardozo, 36 anos, morreu após ser baleado durante incursão no Morro Bateau Mouche, na Praça Seca, na Zona Oeste do Rio. Equipes do batalhão de Irajá (41°BPM), de Bangu (14°BPM) e da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Cidade de Deus apoiavam policiais do 18°BPM. Integrante do Grupamento de Ações Táticas (GAT), o sargento Cardozo ainda foi socorrido e levado para o Hospital Municipal Lourenço Jorge, na Barra da Tijuca, mas não resistiu. O PM era casado e tinha dois filhos. A esposa dele faz aniversário amanhã. Ele estava há 12 anos na corporação.

28 de abril: 1 PM baleado
Adido à Operação Lei Seca, o major Victor Schmitt Moreira foi baleado durante assalto no bairro Rio do Ouro, em São Gonçalo. O oficial passava na altura da Favela da Linha quando foi abordado pelos criminosos. Atingido por dois disparos, o PM foi socorrido por uma ambulância que passou pelo local momentos após o crime e levado para o Hospital Estadual Alberto Torres, no Colubandê. Um dos tiros perfurou o pulmão e o outro transfixou a virilha, saindo na nádega.

31404006_1814932685216859_3718226814480736294_n

28 de abril: 1 PM morto
Lotado no Batalhão de Polícia Rodoviária Estadual (BPRv), o cabo Antônio Carlos Oliveira de Moura, 33 anos, foi executado por criminosos que o sequestraram no bairro Iguabinha, em Araruama, na Região dos Lagos. O PM foi colocado no porta-malas de um Punto preto. O carro dele foi encontrado incendiado no bairro Engenho Novo, também em Araruama, e o corpo a poucos metros do automóvel, em uma área de mata, com várias marcas de tiros. O cabo De Moura estava há oito anos na corporação e atualmente trabalhava no setor administrativo do posto do BPRv de Tribobó, em São Gonçalo. Ele deixa a esposa grávida.

30 de abril: 1 PM baleado
Lotado no 24º BPM (Queimados), o sargento Marcelo da Silva Macedo foi baleado durante incursão na Favela da Reta, no bairro Jardim América, em Itaguaí, na Baixada Fluminense. Os PMs realizavam ação para coibir o tráfico de drogas e outras ações criminosas quando foram recebidos a tiros. Os policiais revidaram e durante o confronto dois bandidos foram atingidos. Com eles, foram apreendidos um fuzil 556 e uma pistola 9mm, além de rádios transmissores e material entorpecente. Atingido por estilhaços na cabeça, o sargento Macedo foi socorrido e levado para o Hospital Municipal São Francisco Xavier. Os dois criminosos baleados foram conduzidos para a mesma unidade de saúde, mas não resistiram.

1_cartaz_44-6604145

2 de maio: 1 PM morto
Lotado no 21º BPM (São João de Meriti), o sargento Luiz Alves de Carvalho Filho, 42 anos, foi executado em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. Ele tinha acabado de entrar em seu carro, na Avenida do Canal, no bairro Imbariê, quando foi surpreendido por um criminoso que desceu de outro veículo efetuando diversos disparos contra o vidro do lado do motorista. O PM estava há 21 anos na corporação e deixou esposa e quatro filhos.

download

3 de maio: 1 PM morto
Lotado no 18º BPM (Jacarepaguá), o capitão Stefan Cruz Contreiras, 36 anos, morreu após ser baleado ao reagir a um assalto, em Jacarepaguá, na Zona Oeste do Rio. O oficial trafegava em sua moto pela Avenida Geremário Dantas quando, na altura da Estrada do Capenha, foi abordado por criminosos que também estavam em uma moto. O PM chegou a trocar tiros com os bandidos, mas foi atingido e morreu no local. Ele estava na corporação há 16 anos.

e1613aad-61d0-4a12-8f2d-e01530ab647c

3 de maio: 1 PM morto
O subtenente reformado Mauro Baptista de Azevedo, 46 anos, morreu após ser baleado em Paciência, na Zona Oeste do Rio. O PM estava na Rua 21 do Conjunto Manguariba quando foi abordado pelos criminosos. Atingido por vários tiros, o policial morreu no local.

31958692_1623097304426238_5398955439339601920_n

4 de maio: 1 PM morto e 1 PM baleado
Lotados respectivamente no 5° BPM (Praça da Harmonia) e na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Mangueirinha, o cabo Eduardo da Conceição Rosa, 34 anos, e o cabo André Luiz Cordeiro Nascimento foram baleados no trecho Niterói-Manilha da BR-101, em São Gonçalo. Os PMs trafegavam pela via quando, na altura do bairro Itaúna, se depararam com criminosos tentando roubar um caminhão das Casas Bahia. Eles tentaram impedir o roubo de carga e trocaram tiros com os bandidos, mas acabaram atingidos. Mesmo baleado, o cabo Cordeiro dirigiu seu veículo até encontrar uma viatura do 7° BPM (São Gonçalo), a quem pediu auxílio. Ele e o cabo Rosa foram socorridos e levados para o Hospital Estadual Alberto Torres, no Colubandê. O cabo Eduardo Rosa não resistiu aos ferimentos e faleceu na unidade de saúde. Atingido na região lombar, o cabo Cordeiro não corre risco de morte.

4 de maio: 1 PM baleado
Lotado no 15º BPM (Duque de Caxias), o sargento George Harrison de Lima foi baleado ao tentar escapar de um assalto, no bairro Pilar, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. Ele estava acompanhado pelo irmão e passava em seu Fiat Stilo pela Rua Leonel de Moura Brizola, na altura da rodovia Washington Luiz, quando foi abordado por dois bandidos em uma moto. Ele tentou escapar e acabou atingido por dois disparos efetuados pelos criminosos: um no pulso esquerdo e outro na cabeça. Socorrido, o PM foi levado para o Hospital Estadual Adão Pereira Nunes, em Saracuruna.

6 de maio: 1 PM baleado
Lotado no 20°BPM (Mesquita), o sargento Marcelo foi baleado durante um cerco feito para tentar prender criminosos que haviam roubado uma carga na Rodovia Presidente Dutra, na altura de Mesquita, na Baixada Fluminense. O PM foi atingido no braço por criminosos que tentavam fugir com o caminhão. Ele foi socorrido e levado para o Hospital Geral de Nova Iguaçu, na Posse.

1_policial-6668743

8 de maio: 1 PM morto
Lotado no 16° BPM (Olaria), o sargento Luiz Felipe de Castro Moraes, 43 anos, foi assassinado, na Rua Seritinga, no Conjunto do Quitungo, em Brás de Pina, na Zona Norte do Rio. O PM tinha saído de serviço e estava fardado. Ele ainda foi socorrido e levado para o Hospital Estadual Getúlio Vargas, na Penha, mas não resistiu.

32073536_830675400463412_9192424250571489280_n

8 de maio: 1 PM morto
Lotado no 30º BPM (Teresópolis), o sargento Carlos Renato dos Santos Dália foi encontrado carbonizado no porta-malas de seu veículo, em Itaboraí. A Polícia investiga se ele foi assassinado após ser identificado como policial durante um assalto. O PM saiu de Teresópolis, na Região Serrana, onde mora, em direção ao município, no início da manhã. Ele estava em seu carro – o Jetta branco placa KOX 2702. O veículo foi encontrado carbonizado, à tarde, na Rua dos Silões, no bairro Curuzu. O irmão do sargento Renato, que também é sargento lotado no 30ºBPM, foi até a Divisão de Homicídios de Niterói, Itaboraí e São Gonçalo (DH-NitSG), e depois ao Instituto Médico Legal (IML).

32157597_1041356209355507_7287950775597137920_n

9 de maio: 1 PM morto e 1 PM baleado
Lotado no Batalhão de Polícia de Choque (BPChoque) o sargento Anderson Luiz Rosa da Conceição, 40 anos, morreu após ser baleado durante confronto na Favela da Rocinha, em São Conrado, na Zona Sul do Rio. Ele e o soldado Jandré foram atingidos por um criminoso na localidade conhecida como Terreirão. Atingido na cabeça, o sargento Anderson não resistiu. O soldado, baleado na perna, foi socorrido e levado para o Hospital Central da Polícia Militar (HCPM), no Estácio. Ele recebeu alta após atendimento médico. O PM estava na corporação há 16 anos e deixa esposa e quatro filhos.

11 de maio: 1 PM baleado
Lotado no Batalhão de Ações com Cães (BAC), o sargento Alexander Ximenes Martins foi baleado ao reagir a uma tentativa de assalto, em Ricardo de Albuquerque, na Zona Norte do Rio. O PM, que é motorista do tenente-coronel Rubens Peixoto – comandante do BAC -, estava acompanhado pelo cabo Reis, que trabalha no Serviço de Inteligência (P-2) da unidade especializada. Os dois seguiam para o batalhão e passavam pela Estrada Marechal Alencastro quando foram abordados por três criminosos que se aproveitaram de uma parada no trânsito. Os PMs reagiram e um dos bandidos foi atingido. Com um projétil alojado na mão, o sargento Ximenes foi socorrido e levado para o Hospital Estadual Albert Schweitzer, em Realengo.

13718772_496155997245167_5803969157773000037_n

11 de maio: 1 PM morto
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Fé/Sereno, o soldado Wesley Valentino de Lima morreu após ser baleado ao tentar impedir o roubo de uma carga de cigarros, em São João de Meriti, na Baixada Fluminense. O PM trafegava em seu veículo pela Rua Coronel Mota, no bairro Coelho da Rocha, quando percebeu a ação criminosa. Ele tentou dar voz de prisão aos criminosos, mas eles atiraram na direção do policial e fugiram. Atingido, o soldado Valentino ainda foi socorrido por uma equipe do 21º BPM (São João de Meriti) e levado para o Posto de Atendimento Médico (PAM) Meriti, mas não resistiu aos ferimentos.

11 de maio: 1 PM baleado
Lotado no 7º BPM (São Gonçalo), o soldado Ferreira foi baleado durante incursão no Morro do Feijão, no Paraíso, em São Gonçalo. Atingido no braço, ele foi socorrido e levado para o Hospital Estadual Alberto Torres, no Colubandê.

21463058_1630233170330051_6529025796398990075_n

12 de maio: 1 PM morto
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Jacaré, o cabo Rafael José Pereira, 34 anos, morreu após ser baleado durante um assalto, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. O PM havia saído da boate Exclusive, na Via Light, e acabou se deparando com criminosos efetuando roubos na Rodovia Presidente Dutra. O amigo que o acompanhava correu e conseguiu fugir. Identificado como policial, o cabo R. Pereira foi assassinado. Os bandidos fugiram levando a arma dele.

14 de maio: 1 PC baleado
Lotado na Coordenadoria de Operações e Recursos Especiais (CORE), o inspetor Roberto Cordeiro Candreva foi baleado durante incursão no Morro do 18, em Água Santa, na Zona Norte do Rio. Atingido na parte lateral do abdômen, ele foi resgatado pelo helicóptero do Serviço Aeropolicial (SAER) e levado para o Hospital Municipal Miguel Couto, na Gávea.

32624552_1839026362807491_2332735070764269568_n

16 de maio: 1 PM morto
Lotado na Coordenadoria de Polícia Pacificadora (CPP), o sargento Robert Nogueira de Almeida, 42 anos, morreu após ser baleado ao ser identificado como policial durante um assalto, em Cascadura, na Zona Norte do Rio. O PM estava a caminho do trabalho e conduzia sua moto pela Rua do Souto quando foi abordado pelos criminosos, que estavam em outra moto. Ao perceberem a arma dele e constatarem que era um policial, os bandidos efetuaram disparos contra o PM e fugiram. O sargento Robert estava na corporação desde 1996 e deixou esposa e dois filhos.

16 de maio: 1 PM baleado
Lotado no 7º BPM (São Gonçalo), o cabo Albert foi baleado enquanto cumpria Regime Adicional de Serviço (RAS) Compulsório, no bairro Colubandê, em São Gonçalo. O PM estava na RJ-104 (Niteroi-Alcântara), próximo à loja de materiais de construção Casa Show quando foi atingido. O disparo foi efetuado por criminosos que ocupavam um HB20 branco e um Honda Fit. Os bandidos fugiram em direção ao bairro Coelho. Atingido nas nádegas por um tiro que saiu na perna, o PM foi socorrido e levado para o Hospital Estadual Alberto Torres, também no Colubandê.

17 de maio: 1 PM baleado
Lotado no Batalhão de Operações Policiais Especiais (BOPE), o sargento Alessandro de Souza Pimenta, 38 anos, foi baleado ao ser identificado como policial durante um assalto, no Catete, na região central do Rio. O PM efetuou saque na agência bancária do Bradesco localizada na Rua do Catete e na saída foi surpreendido pelo criminoso. O sargento Pimenta ainda reagiu e trocou tiros com o bandido, o atingindo. Mesmo baleado, o assaltante fugiu levando a arma do PM. Atingido por três tiros no abdômen, um no braço, um na perna e um no rosto, o PM sofreu fratura de fêmur direito, uma lesão no fígado, ferimentos no braço esquerdo, fratura de mandíbula e perda de dentes e de um pedaço da língua. Ele foi socorrido e levado para o Hospital Municipal Souza Aguiar, no Centro, onde foi submetido a uma cirurgia.

32920066_1840808029295991_1961552404927217664_n

17 de maio: 1 PM morto
Adido à Operação Barreira Fiscal, o sargento Eduardo Silva Dias, 48 anos, foi baleado durante arrastão no viaduto da Posse, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. O PM morreu na madrugada do dia 18, no Hospital Geral de Nova Iguaçu, onde estava internado.

18 de maio: 2 PMs baleados
Lotados na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Manguinhos, o cabo Davi de Oliveira Araújo e o soldado Fábio Cordeiro Matheus dos Santos foram baleados por criminosos que fugiam de uma blitz do 22°BPM, em Bonsucesso, na Zona Norte do Rio. Os PMs, que fazem parte da operação Visibilidade, ouviram no rádio da corporação que uma moto BMW havia escapado de uma abordagem e foram em apoio, providenciando um cerco. Ao se deparar com os policiais, os bandidos efetuaram diversos disparos, atingindo o cabo na lateral da perna esquerda, próximo às nádegas, e o soldado na perna. O primeiro foi socorrido e levado para o Hospital Central do Exército (HCE) e o segundo para o Hospital Geral de Bonsucesso (HGB).

24 de maio: 1 PM baleado
Lotado no 7°BPM (São Gonçalo), o cabo Gabriel Leite Fernandes foi baleado durante confronto com criminosos que controlam o tráfico de drogas no bairro Jardim Miriambi, em São Gonçalo. Atingido no braço esquerdo, o PM foi socorrido e levado para o Hospital Estadual Alberto Torres, no Colubandê. Ele não corre risco de morte. No confronto, um criminoso também foi baleado, um foi preso e drogas e uma arma foram apreendidas.

24 de maio: 1 PM baleado
Lotado no Serviço de Inteligência (P-2) do 8° BPM (Campos), um policial que não teve nome e nem patente divulgados foi baleado durante incursão na Favela Tira Gosto, no bairro Parque Riachuelo, em Campos. Atingido no braço, ele foi socorrido e levado para o hospital. O PM não corre risco de morte.

26 de maio: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Caju, o cabo Ibson Jorge da Silva foi baleado ao reagir a um assalto, em Nilópolis, na Baixada Fluminense. O PM tinha acabado de sair de serviço e estacionava seu veículo próximo ao Supermercado Cristal, na Estrada Antônio José Bitencourt, no Centro, quando criminosos em um Honda Fit chumbo se aproximaram. Ao perceber a ação, o policial efetuou disparos ainda de dentro de seu automóvel e após se abrigar trocou tiros com dois dos bandidos. Os assaltantes fugiram. Atingido nas pernas e no braço, o PM foi socorrido por um taxista e levado para o Hospital Municipal Juscelino Kubitschek.

27 de maio: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Rocinha, o soldado Frota foi baleado durante confronto com criminosos da facção Comando Vermelho (CV) que controlam o tráfico de drogas na Favela da Rocinha, em São Conrado, na Zona Sul do Rio. Atingido no braço, ele foi socorrido e levado para o Hospital Municipal Miguel Couto, na Gávea. Ele não corre risco de morte.

jpg

27 de maio: 1 PM morto
O subtenente reformado da Polícia Militar Reinaldo de Araújo Martins foi baleado ao reagir a um assalto, em Pilares, na Zona Norte do Rio. Atingido no abdômen, peito e perna direita, o PM foi socorrido e levado para o Hospital Municipal Salgado Filho, no Méier. Ele permaneceu internado na unidade de saúde durante cinco dias, mas não resistiu e faleceu no dia 1º de junho.

4 de junho: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Rocinha, o soldado Fabrício Pereira da Silva foi vítima de um disparo acidental dentro da cabine do 3ºBPM localizado na Avenida Pastor Martin Luther King, em Inhaúma, na Zona Norte do Rio. O PM – que cumpria Regime Adicional de Serviço (RAS) na área do Méier – foi atingido na mão por um disparo de uma carabina calibre 40 que estava em cima da mesa do posto policial. A arma disparou sozinha. Socorrido, o policial foi levado para o hospital e liberado após receber atendimento médico.

cacbba46-9871-4299-9574-179134f4f943

5 de junho: 1 PM morto
O subtenente reformado Edemilson de Oliveira, 60 anos, morreu após ser baleado ao reagir a um assalto, em Belford Roxo, na Baixada Fluminense. O PM trafegava em seu veículo pela Avenida Júlio de Amorim Pereira, no bairro Heliópolis, quando foi surpreendido pelos criminosos. Os bandidos, que estavam em um Honda Civic, bateram de frente no carro do policial e em seguida desceram do automóvel com as armas em punho. O PM então reagiu e chegou a trocar tiros com os assaltantes, mas acabou atingido. Ele ainda foi socorrido e levado para o Hospital Geral de Nova Iguaçu, na Posse, mas não resistiu. O subtenente, que entrou na corporação em 1980 e trabalhou muitos anos no 6ºBPM, deixa esposa e três filhos.

34675017_1870883969621730_2488220665065242624_n

7 de junho: 1 PM morto
Lotado no 15° BPM (Duque de Caxias), o sargento Douglas Fontes Caluete, 35 anos, morreu após ser identificado como policial durante um assalto em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. O PM estava acompanhado pela namorada e trafegava pela Avenida Rio Branco, em Gramacho, quando o casal foi abordado por um veículo de onde saíram cinco criminosos. Dois deles estavam armados com fuzis. Eles anunciaram o roubo e no momento em que subtraíam objetos do casal viram a arma do policial. Sem qualquer chance de defesa ou reação, o PM acabou atingido, morrendo no local. Ao reconhecer o corpo do filho, Maria José Fontes, 56 anos, acabou passando mal e também morreu.

7 de junho: 1 PM baleado
Comandante da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Lins de Vasconcellos, o capitão Galvão foi baleado durante incursão na região. Atingido por estilhaços na perna no momento em que passava na localidade conhecida como Parma, o PM foi socorrido e não corre risco de morte.

34798320_1871336496243144_3605893132555649024_n

7 de junho: 1 PM morto
Lotado no 22° BPM (Benfica), o sargento Robson Airon Coelho Alves morreu após ser baleado em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. O PM estava em um bar próximo à garagem da viação Trell, na Rua Parapeuna, no bairro Maria Helena, quando foi baleado por criminosos ainda não identificados. Ele foi socorrido pela própria esposa e levado para o Hospital Estadual Adão Pereira Nunes, em Saracuruna, mas não resistiu.

8 de junho: 1 PM baleado
Lotado no 9º BPM (Rocha Miranda), o sargento Jorge Luiz da Silva da Correia foi baleado durante confronto no Morro da Serrinha, em Madureira, na Zona Norte do Rio. Atingido no ombro direito, o PM foi socorrido e levado para o Hospital Municipal Salgado Filho, no Méier.

34963024_1876442629065864_7038748943357837312_n

8 de junho: 1 PM morto
Lotado na Diretoria Geral de Saúde (DGS), o sargento Anderson Ferreira de Azevedo foi encontrado carbonizado dentro de seu veículo, no bairro Neves, em São Gonçalo. O PM saiu de sua casa, na Rua Floriano Peixoto, na Covanca – a poucos metros de onde seu veículo foi encontrado -, por volta de meio-dia para buscar uma quentinha que tinha encomendado para o almoço, mas não voltou. Por volta das 15h, o carro dele foi deixado na Rua Barão de São Gonçalo por criminosos que antes de fugirem atearam fogo no automóvel. O Corpo de Bombeiros foi acionado e após apagar o incêndio constataram que havia um corpo. Equipes do 7°BPM e da Divisão de Homicídios de Niterói, Itaboraí e São Gonçalo (DHNISG) estão no local.

10 de junho: 1 PC baleado
Lotado na Delegacia de Roubos e Furtos de Automóveis (DRFA), o inspetor Roberto Ferreira de Carvalho, 47 anos, foi baleado durante assalto, na Pavuna, na Zona Norte do Rio. Atingido no braço e no abdômen, o PM foi socorrido e levado para o Hospital Geral de Nova Iguaçu, na Posse.

10 de junho: 1 PM baleado
Lotado no 3º BPM (Méier), o tenente Pablo Vinícius Bueno Pereira Faria foi baleado durante confronto com criminosos, no Méier, na Zona Norte do Rio. O PM estava de serviço como Oficial de Operações quando se deparou com bandidos na esquina das ruas Dias da Cruz e Intendente Cunha Menezes. Na troca de tiros, ele conseguiu atingir dois dos bandidos. Um morreu no local. O PM foi socorrido e levado para o Hospital Municipal Salgado Filho.

11 de junho: 1 PM baleado
Lotado no 39º BPM (Belford Roxo), o sargento Wallace Santos de Abreu foi baleado durante assalto em Mesquita, na Baixada Fluminense. Ele trafegava em seu veículo e passava pela Rua Voltaire quando, na altura da Avenida Governador Celso Peçanha, no bairro Banco de Areia, foi abordado pelos criminosos. Atingido no abdômen e na perna, o PM foi socorrido e levado para o Hospital Geral de Nova Iguaçu, na Posse. Os bandidos fugiram levando a pistola do sargento.

a524e89a-ec6d-44ca-a8c6-0dc96333b1df (1)

12 de junho: 1 PC morto
Lotado na Delegacia de Combate às Drogas (Dcod), o inspetor Ellery de Ramos Lemos, 51 anos, foi baleado durante incursão na Favela de Acari, na Zona Norte do Rio. Atingido na cabeça, ele foi socorrido e levado para o Hospital Estadual Albert Schweitzer, em Realengo, na Zona Oeste, mas não resistiu. Ele estava há 16 anos na instituição.

12 de junho: 1 PM baleado
Lotado no 7° BPM (São Gonçalo), o cabo P. Matheus foi baleado durante confronto no Jardim Catarina, em São Gonçalo. Integrante do Grupamento de Ações Táticas (GAT), ele foi atingido na perna. Socorrido, o PM foi levado para o Hospital Estadual Alberto Torres, no Colubandê. O projétil atingiu apenas o músculo e ele foi liberado após receber atendimento médico.

12 de junho: 1 PM baleado
Lotado no 20° BPM (Mesquita), o cabo Rangel foi baleado durante confronto na localidade conhecida como Dom Bosco, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. Atingido nas nádegas, ele foi socorrido e levado para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Cabuçu.

12 de junho: 1 PM baleado
Lotado no 7° BPM (São Gonçalo), o cabo Azevedo – motorista da Supervisão de Oficial – foi atingido no ombro durante ataque de traficantes. Ele trafegava pela Avenida Albino Imparato e passava na altura da Favela Final Feliz, já voltando para o batalhão, quando dois bandidos em uma moto BMW F800 emparelharam ao lado da viatura e dispararam uma rajada. Um dos tiros atingiu o ombro esquerdo do PM – transfixou pelas costas na altura do pescoço. Socorrido, o PM foi levado para o Hospital Estadual Alberto Torres, no Colubandê, onde permanece internado.

13 de junho: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Macacos, o soldado Saraiva foi vítima de um disparo acidental no momento em que efetuava a rendição. Trabalhando na rádio patrulha, ele foi até a base e acabou atingido por um tiro da submetralhadora CT40, que disparou sozinha. Baleado no tórax, o PM – que estava de colete – foi socorrido e levado para o hospital.

14 de junho: 1 PM baleado
Lotado no 24º BPM (Queimados), o sargento Marcelo Almeida Domingos foi baleado ao tentar impedir um assalto em Quintino, na Zona Norte do Rio. O PM passava pela Rua Manuel Murtinho quando presenciou a ação criminosa. Ao ver os bandidos armados rendendo o motorista de uma Fiorino. O policial deu voz de prisão, mas foi os criminosos atiraram. Ele revidou e houve confronto, mas acabou surpreendido por comparsas dos assaltantes que estavam dando cobertura. Atingido nas costas, no braço e abdômen, o PM foi socorrido e levado para o Hospital Municipal Salgado Filho, no Méier.

15 de junho: 1 PM baleado
O soldado reformado da PM Ângelo José Meira foi baleado durante ataque de traficantes, em Piratininga, na Região Oceânica de Niterói. O PM tinha ido levar um amigo em casa, na Favela da Ciclovia, e quando saía do local foi surpreendido pelos disparos. Criminosos da facção Comando Vermelho (CV) que controlam o tráfico de drogas na localidade atiraram diversas vezes contra seu veículo. Neste momento, o policial acelerou seu carro e continuou dirigindo até a Unidade de Urgência Mário Monteiro, no mesmo bairro. De lá, ele foi transferido para o Hospital Estadual Azevedo Lima, no Fonseca, na Zona Norte. Atingido na cervical, o PM não corre risco de morte.

18 de junho: 1 PM baleado
Lotado no 20º BPM (Mesquita), o sargento Victor foi baleado durante confronto com assaltantes, no bairro Austin, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. A troca de tiros ocorreu durante assalto a um galpão onde funciona o depósito das Lojas Americanas. Atingido no pé, o PM não corre risco de morte.

35548146_1890269781016482_8171359835384709120_n

18 de junho: 1 PM morto
Lotado no 16° BPM (Olaria), o subtenente Rogenir Moura de Oliveira, 50 anos, morreu após ser baleado ao tentar escapar de um assalto na porta de sua casa, no bairro Brasilândia, em São Gonçalo. O PM conduzia seu Fox cinza placa LPJ 3763 e se preparava para entrar na garagem, na Rua João Silvares, quando foi abordado por criminosos. Ele ainda efetua cerca de quatro disparos e acelera seu veículo, mas os bandidos conseguem atingi-lo. Socorrido, o PM ainda foi levado para o Pronto Socorro de São Gonçalo (PSSG), no Zé Garoto, mas não resistiu. Ele estava na PMERJ há 29 anos.

22 de junho: 1 PM baleado
Lotado no 25º BPM (Cabo Frio), o cabo Raibolt foi baleado durante confronto em Búzios, na Região dos Lagos. Integrante do Grupamento de Ações Táticas (GAT), ele foi até o bairro Cem Braça verificar denúncia de que traficantes tinham implantado uma boca-de-fumo dentro de uma creche. Chegando no local, os PMs foram recebidos a tiros. Além do policial, um dos bandidos também foi atingido. Os dois foram socorridos e levados para o Hospital Municipal Dr Rodolpho Perisse, no bairro São José. Baleado no joelho, o cabo não corre risco de morte.

Luiz-Carlos-PF-assassinado-1

26 de junho: 1 PF morto
O agente da Polícia Federal aposentado Luiz Carlos Dias morreu após ser baleado durante um assalto, no Recreio dos Bandeirantes, na Zona Oeste do Rio. O policial estava fazendo uma caminhada e passava pela Rua Gustavo Corção quando, na altura da Avenida Guinard, foi abordado por bandidos que estavam em um carro branco. O policial tentou correr, mas acabou atingido. Os criminosos fugiram levando a arma dele.

27 de junho: 1 PC morto
Lotado na 20ª DP (Vila Isabel), o oficial de cartório Marcus Aurélio Garcia da Fonseca foi baleado ao tentar impedir um arrastão, no Andaraí, na Zona Norte do Rio. O policial civil seguia para a delegacia quando se deparou com criminosos anunciando roubos na esquina da Rua Ferreira Pontes com a Rua Uberaba. Ele efetuou um disparo ainda de dentro de seu veículo e desceu tentando prender os bandidos, mas havia comparsas na cobertura e o policial acabou baleado seis vezes. Atingido nas nádegas, no tornozelo esquerdo, na mão esquerda, no ombro direito e no antebraço direito. Socorrido, ele foi levado para o Hospital Federal do Andaraí, onde foi submetido a uma cirurgia que durou sete horas. Ele permaneceu internado durante oito dias, mas não resistiu e faleceu, na quinta-feira, dia 5 de julho.

13266042_687535151385683_3975238839017997466_n

27 de junho: 1 PC morto
Lotado na Coordenadoria de Fiscalização de Armas e Explosivos (cfae), o inspetor Eduardo Freire Pinto Guedes Filho, conhecido Paquetá, foi baleado ao reagir a um assalto, no bairro Engenho de Dentro, na Zona Norte do Rio. O policial foi abordado por um criminoso que tentou roubar o seu cordão. Atingido no tórax, ele foi socorrido e levado para o Hospital Municipal Salgado Filho, no Méier.

sargento pinheiro

28 de junho: 1 PM morto
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Macacos, o sargento Geison da Costa Pinheiro morreu após ser baleado durante incursão no Morro dos Macacos, em Vila Isabel, na Zona Norte do Rio. Atingido na cabeça, o PM ainda foi socorrido e levado para o Hospital Federal do Andaraí, mas não resistiu ao ferimento.

28 de junho: 1 PM baleado
Lotado no 39º BPM (Belford Roxo), o cabo Charles Henrique da Silva foi baleado durante ataque de criminosos que controlam o tráfico de drogas na Favela Gogó da Ema, no bairro Jardim Bom Pastor, em Belford Roxo, na Baixada Fluminense. O PM estava dentro do blindado e chegava ao local para verificar denúncia de um roubo de carga em andamento quando o tiro entrou pela escotilha e o atingiu nas costas. Levado inicialmente para o Hospital Municipal de Belford Roxo, ele foi transferido para o Hospital Estadual Adão Pereira Nunes, em Saracuruna.

5 de julho: 2 PMs baleados
Lotados no 25º BPM (Cabo Frio), o sargento Farias e o cabo Perrin foram baleados durante apoio a operação que equipes do Grupamento de Apoio à Promotoria (GAP) do Ministério Público realizavam na Favela Boca do Mato, em Cabo Frio, na Região dos Lagos. Atingidos nas pernas, os dois PMs foram socorridos e levados para o Hospital Central de Emergências (HCE), no bairro São Cristóvão. Posteriormente, o sargento Farias foi transferido com auxílio do Grupamento Aeromóvel (GAM) para o Hospital Estadual Alberto Torres, no Colubandê. Eles não correm risco de morte.

9 de julho: 1 PM baleado
O subtenente reformado Jorge Alves de Jesus foi baleado durante uma saidinha de banco – quando a vítima é seguida e assaltada após efetuar saque em agência bancária ou caixa eletrônico -, no bairro Largo da Batalha, na Região de Pendotiba, em Niterói. O PM tinha acabado de retirar dinheiro no Bradesco localizado na Estrada Caetano Monteiro quando foi abordado dentro do banco por um criminoso armado com uma faca. O bandido conseguiu pegar a pistola do policial e efetuou disparos contra o subtenente usando a arma dele. No local, os policiais apreenderam uma faca e um aparelho de telefone celular que não pertencia ao PM e por isso os agentes desconfiam que seja do assaltante. As investigações estão sob responsabilidade de equipes da 79ªDP. Socorrido por policiais do 12ºBPM, o subtenente Jesus foi levado para o Hospital Estadual Azevedo Lima, no Fonseca, na Zona Norte de Niterói. De acordo com o comandante do batalhão niteroiense, tenente-coronel Márcio Guimarães, ele não corre risco de morte.

15940939_1269783423116750_8748500644583737503_n

10 de julho: 1 PM morto e 1 PM baleado
Lotados no Patrulhamento Tático Móvel (Patamo) do Batalhão de Policiamento em Vias Especiais (BPVE), o soldado Rodrigo Passos Soares, 28 anos, e o sargento Inaldo Botelho, 45, foram baleados durante ataque de criminosos na Avenida Brasil, na altura de Bonsucesso, na Zona Norte do Rio. Os dois foram socorridos e levados para o Hospital Geral de Bonsucesso. Atingido três vezes – no pé, na coxa e nas nádegas – o sargento Botelho está sendo submetido a uma cirurgia. Baleado no peito, o soldado Soares não resistiu e faleceu na unidade de saúde. Os PMs realizavam patrulhamento de rotina quando desconfiaram dos ocupantes de uma moto BMW e resolveram efetuar a abordagem, na altura da passarela 7 – próximo a um dos acessos ao Morro do Timbau. No entanto, foram surpreendidos pelos ocupantes de um Fiat Fiorino que, armados com fuzil e pistola, davam cobertura aos comparsas. Houve intenso confronto e além dos dois policiais, dois bandidos também ficaram feridos. Um deles – identificado como Ruan Rodrigues Silva Pereira, 24 – morreu no mesmo hospital para onde foram levados os PMs. Com ele foi apreendido um fuzil AK-47 e uma pistola. O segundo criminoso – deu entrada no Hospital Estadual Adão Pereira Nunes, no bairro Saracuruna, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, cerca de quatro horas após o confronto. Identificado como Lucas Pinheiro da Silva, 22, ele fugiu da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da Maré e reconhecido por participação na ação criminosa permanece custodiado no hospital de Saracuruna.

36963948_1933618886681571_7744758467792994304_n

11 de julho: 1 PM morto
O cabo reformado da Polícia Militar Ronalde Pereira da Costa morreu após ser baleado durante assalto em Irajá, na Zona Norte do Rio. O PM conduzia a sua moto pela Rua Gabriel Lisboa quando, na altura da Rua Major Medeiros, foi abordado por criminosos que anunciaram o roubo. Ele reagiu e chegou a atingir um dos bandidos, mas acabou alvejado e morreu no local. Os assaltantes fugiram levando a arma do PM.

12 de julho: 1 PM baleado
Lotado no 3º BPM (Méier), o sargento Paschoal foi baleado durante assalto, em Bangu, na Zona Oeste do Rio. O PM trafegava pela Rua Santana do Ipanema quando foi surpreendido por dois criminosos armados. Ele reagiu à investida e conseguiu balear um dos bandidos, que morreu no local. O comparsa dele fugiu. Atingido no ombro, o sargento foi socorrido e levado para o Hospital Municipal Albert Schweitzer, em Realengo.

12 de julho: 1 PM baleado
Lotado no 5°BPM, o sargento Carvalho foi baleado durante ataque de criminosos na Linha Amarela, na altura do bairro Pilares, na Zona Norte do Rio. O PM estava de serviço na MotoPatrulha de Trânsito (MPTran) em apoio ao 3°BPM quando tentou abordar um Fox, atrás do condomínio Arena, e foi surpreendido pela ação de um dos ocupantes do veículo, que efetuou dois disparos de dentro do carro. Um dos tiros atingiu o sargento na mão direita e o outro – na altura do peito – parou no colete balístico. Socorrido, o PM foi levado para o Hospital Municipal Salgado Filho, no Méier, e não corre risco de morte.

12 de julho: 1 PM baleado
Lotado no 14º BPM (Bangu), o sargento Gouveia foi baleado durante ataque de criminosos da facção Comando Vermelho (CV) que continuam controlando o tráfico de drogas na Favela Vila Kennedy, em Bangu, na Zona Oeste do Rio. Atingido no queixo, ele foi socorrido e levado para o Hospital Municipal Albert Schweitzer, em Realengo, e não corre risco de morte.

21 de julho: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Manguinhos, o soldado Alan foi baleado durante ataque de criminosos em Bonsucesso, na Zona Norte do Rio. Os PMs realizavam baseamento na Avenida Dom Hélder Câmara quando desconfiaram de um homem em atitude suspeita e resolveram abordá-lo. Nesse momento, bandidos da Favela de Manguinhos efetuaram disparos na direção dos policiais. O soldado Alan foi atingido na perna esquerda e dois pedestres foram atingidos por balas perdidas. Um deles morreu. Outro, identificado como Sandro Alberto Ferraz Pereira, 43 anos, foi socorrido e levado para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA). Ele recebeu alta após atendimento médico.

37308856_1831066553640212_492880280701370368_n

22 de julho: 1 PM morto
Lotado na Unidade Prisional da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro (UP-PMERJ), o cabo Samuel Ribeiro da Silva, 39 anos, foi assassinado após ser identificado como policial durante abordagem de criminosos no bairro Porto do Rosa, em São Gonçalo. O PM tinha saído da casa da avó para abastecer seu veículo em um posto de combustível quando foi abordado pelos bandidos, na Avenida Flávio Monteiro de Barros – também conhecida como Avenida Central -, que dá acesso ao Complexo do Salgueiro. Um morador ainda viu o momento em que, ao ser identificado como policial, o PM foi levado em direção à localidade conhecida como Balança. Ele ligou para o 190, que repassou a informação ao 7º BPM (São Gonçalo), onde o tenente que trabalhava na Supervisão alegou não haver condições de realizar uma operação de resgate. O corpo do cabo Samuel foi encontrado na manhã de segunda-feira, dia 23, dentro de seu carro incendiado, na Estrada do Comperj, em Guaxindiba.

25 de julho: 1 PM baleado
Lotado no 33º BPM (Angra dos Reis), um policial que não teve nome e nem patente divulgados foi baleado durante incursão na Favela Sapinhatuba, em Angra dos Reis. Socorrido, ele foi levado para o Hospital Geral de Japuíba.

37772647_1959809794062480_383986375663288320_n

25 de julho: 1 PM morto
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Caju, o soldado Jorge Lucas da Silva Torquato de Araújo, 23 anos, morreu após ser baleado durante ataque de criminosos da Favela da Palmeirinha, em Honório Gurgel, na Zona Norte do Rio. O PM cumpria escala no Regime Adicional de Serviço (RAS) quando traficantes que fugiam de operação do 9°BPM se depararam com a viatura e efetuaram diversos disparos. Atingido, o PM foi socorrido e levado para o Hospital Estadual Carlos Chagas, em Marechal Hermes, mas não resistiu aos ferimentos. Ele estava na corporação desde 2015 e deixou esposa e um filho de 1 ano de idade.

37867848_1961854160524710_1508916130998124544_n

26 de julho: 1 PM morto
Lotado no 24° BPM (Queimados), o sargento Heleno Peres, 41 anos, morreu após ser baleado durante ataque de criminosos em Itaguaí. O PM e o sargento Anderson seguiam para o Hospital São Francisco Xavier, no Centro, para rendição do serviço de custódia quando se depararam com bandidos que ao avistar a viatura efetuaram diversos disparos. Sem chance de defesa ou reação, o sargento Heleno foi atingido. Ele ainda foi socorrido por seu companheiro de viatura e levado até o hospital, mas não resistiu aos ferimentos. O sargento Heleno tinha comemorado aniversário no último dia 15. Ele deixa esposa e dois filhos.

37985290_1967375246639268_8587109714700009472_n

29 de julho: 1 PM morto
Lotado no 39° BPM (Belford Roxo), o capitão Diogo Lins Canito, 34 anos, morreu após ser baleado em Marechal Hermes, na Zona Norte do Rio. O oficial – que tinha saído de serviço após cumprir uma escala de 24 horas – estava acompanhado pela esposa e chegava na residência de um soldado lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Parque Proletário para participar de um almoço. Os dois PMs se cumprimentavam na porta do imóvel, na Rua Vidal Ramos, quando quatro criminosos em um Honda Civic branco se aproximaram anunciando o assalto. Não houve reação, mas ao serem identificados como policais, foram atacados pelos bandidos. O capitão Canito foi atingido no tórax, abdômen, braço esquerdo e pescoço. Socorrido, ele ainda foi levado para o Hospital Estadual Carlos Chagas, mas não resistiu aos ferimentos. O soldado não se feriu. Os assassinos fugiram levando a arma do PM e os objetos pessoais da esposa dele. O oficial deixou esposa e quatro filhos.

14 de agosto: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Vidigal, o cabo Thiago Rodrigues Pereira, 29 anos, foi baleado durante ataque de criminosos que controlam o tráfico de drogas no Morro do Vidigal, em São Conrado, na Zona Sul do Rio. O projétil entrou no pescoço, de cima para baixo, e se alojou nas costas. Socorrido, o PM foi levado para o Hospital Municipal Miguel Couto, na Gávea, e foi transferido para o Hospital Central da Polícia Militar (HCPM), no Estácio.

39998623_2018027928240666_5076782086971457536_n

22 de agosto: 1 PM morto
Lotado no 21° BPM (São João de Meriti), o soldado Paulo Vitor Barbosa Lopes, 37 anos, morreu após ser baleado durante assalto, no bairro da Luz, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. Atingido no tórax e no braço, o PM ainda foi socorrido por uma viatura do 20°BPM e levado para o Hospital Geral de Nova Iguaçu, na Posse, mas não resistiu aos ferimentos. Com isso, chega a 72 o número de policiais do Rio assassinados em 2018 – 66 PMs, cinco policiais civis e um policial federal.

111-243x300

25 de agosto: 1 PM morto
Lotado no 7º BPM (São Gonçalo), o cabo Guilherme da Costa Penetra, 32 anos, morreu após ser baleado durante confronto com criminosos na Favela Buraco da Cobra, no bairro Boaçu, em São Gonçalo. Integrante do Grupamento de Ações Táticas (GAT), ele acompanhava a equipe em patrulhamento de rotina quando houve o alerta sobre um roubo de carga ocorrido momentos antes. Os PMs então se dirigiram ao local, onde foram recebidos a tiros. Eles conseguiram revidar a agressão, mas no confronto o cabo Guilherme foi atingido na cabeça. Ele ainda foi socorrido e levado para o Hospital Estadual Alberto Torres, no Colubandê, mas não resistiu. O PM estava na corporação desde 2011 e deixa um filho de 8 anos.

SARGENTO-NEPPEL-DO-BOPE

1º de setembro: 1 PM morto e 1 PM baleado
Lotado no Batalhão de Operações Policiais Especiais (BOPE), o sargento Carlos Lúcio Neppel de Araújo, 41 anos, morreu após ser baleado durante confronto com criminosos que controlam o tráfico de drogas na Favela São Jorge, no bairro Engenheiro Pedreira, em Japeri, na Baixada Fluminense. Ele chegou a ser socorrido para o Hospital Geral de Nova Iguaçu, na Posse, mas não resistiu. Para a mesma unidade de saúde foi levado o soldado Rafael Faria Bento, que também foi atingido no confronto. O sargento Neppel estava na corporação desde 2001 e há 15 anos servia no BOPE. Ele deixou esposa e duas filhas gêmeas de 6 anos.

41375530_2043670939009698_7628911152436609024_n

9 de setembro: 1 PM morto
Lotado no 2° BPM (Botafogo), o soldado Leonardo Silveira da Silva, 33 anos, morreu após ser baleado ao reagir a um assalto na pizzaria que mantinha em frente à sua residência, em Marechal Hermes, na Zona Norte do Rio. Para reforçar o orçamento, o PM fazia pizzas quadradas para vender. Ele estava no estabelecimento, localizado na Rua Carandaí, quando os criminosos chegaram. Ele ainda conseguiu trocar tiros com os bandidos, mas foi atingido. Um motoboy da pizzaria também ficou ferido. Os dois foram socorridos e levados para o Hospital Estadual Carlos Chagas. Segundo um testemunha, os dois assaltantes desceram de um Gol prata e já entraram na pizzaria falando “não mete a mão não”. Ao chegar na unidade de saúde, o PM não resistiu.

41456625_2044213368955455_820915434499866624_n

10 de setembro: 1 PM morto
Lotado no 15° BPM (Duque de Caxias), o cabo Alexandro de Lima Ribeiro realizava patrulhamento de rotina no entorno do Destacamento de Policiamento Ostensivo (DPO) localizado no Morro do Badu, no bairro Jardim Primavera, quando criminosos atacaram a viatura. Houve troca de tiros e o cabo foi atingido. Ele ainda foi socorrido e levado para o Hospital Estadual Adão Pereira Nunes, em Saracuruna, mas não resistiu.

edson

13 de setembro: 1 PM morto
O sargento reformado Edson de Jesus Silveira, 68 anos, morreu após ser baleado durante um assalto, em São João de Meriti, na Baixada Fluminense. O PM estava em uma serralheria na Rua Wilson Gil da Mata, no Centro, quando criminosos entraram no estabelecimento anunciando o roubo. O sargento ainda foi socorrido e levado para o Posto de Atendimento Médico (PAM) de Meriti, mas não resistiu.

41764453_2659304600962106_8240882711523229696_n

14 de setembro: 1 PM morto
Lotado no Batalhão de Polícia de Choque (BPChoque), o soldado Rodrigo Limeira Gregory, 32 anos, foi executado ao ter sua identidade descoberta por criminosos durante assalto a uma barbearia, em Vicente de Carvalho, na Zona Norte do Rio. O PM estava cortando o cabelo quando os bandidos entraram no estabelecimento, localizado na Rua Agrário de Menezes, próximo à Avenida Vicente de Carvalho. Ao notar a arma do policial, os assassinos mandaram os funcionários entrarem no banheiro e efetuaram diversos disparos contra o PM. Ele ainda foi socorrido e levado para o Hospital Estadual Getúlio Vargas, na Penha, mas não resistiu. Ele estava na corporação desde junho de 2013. Era solteiro e não deixou filhos.

DnJ2j19XcAAZulO

15 de setembro: 1 PM morto
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Vidigal, o soldado Héber de Oliveira, 37 anos, morreu após ser baleado em Resende. O PM tinha uma loja de telefonia no município para complementar a renda. De férias, o soldado Héber estava trabalhando no estabelecimento, localizado no bairro Baixada da Olaria, quando foi surpreendido por três criminosos que entraram na loja e efetuaram disparos contra ele. Atingido na cabeça, no pescoço e no ombro, o policial ainda foi socorrido e levado para o Hospital Municipal de Emergência Henrique Sergio Gregori, no bairro Liberdade, mas não resistiu. A irmã dele contou a policiais do 37°BPM (Resende) que estiveram no local que ele havia discutido com alguns homens há cerca de uma semana. As investigações estão sob responsabilidade de policiais da 89ª DP (Resende).

18 de setembro: 1 PM baleado
Lotado no 9°BPM (Rocha Miranda), o subtenente Hugo Cavalcante Albuquerque de Sá foi atingido no rosto durante incursão no Morro do Saçu, em Quintino, na Zona Norte do Rio. Socorrido, ele foi levado para o Hospital Municipal Salgado Filho, no Méier, e recebeu alta após atendimento médico.

18 de setembro: 2 PMs baleados
Lotados na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Fallet/Fogueteiro, dois PMs foram baleados durante ataque de criminosos que controlam o tráfico de drogas no morro localizado em Santa Teresa, na região central do Rio. O soldado Benevides ficou ferido depois que o próprio fuzil explodiu em suas mãos. Com ferimentos no rosto provocados por estilhaços, ele não corre risco de morte. Um outro PM foi salvo pelo colete, que amorteceu o projétil. Na ação, três acusados de envolvimento com o tráfico de drogas foram baleados. Eles foram socorridos e levados para o Hospital Municipal Souza Aguiar, no Centro, onde dois deles não resistiram e morreram.

42182321_1988486697839443_649261951209177088_n

18 de setembro: 1 PM morto
Lotado no 3° BPM (Méier), o soldado Glaucon Nunes da Cruz, 33 anos, morreu no Hospital Naval Marcílio Dias, onde estava internado há dois dias. Baleado durante ataque de criminosos que controlam o tráfico de drogas no Complexo do Lins, no bairro Lins de Vasconcelos, na Zona Norte do Rio, no dia 18 de setembro, ele morreu no dia 20. O PM estava na viatura que subia para levar as quentinhas para refeição da equipe de serviço na Companhia Destacada – antiga Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Camarista Méier – quando, na altura da localidade conhecida como Boca do Mato, criminosos desceram uma escadaria e atacaram os policiais pelas costas. O PM foi atingido na nuca.

21 de setembro: 1 PM baleado
Lotado no 7º BPM (São Gonçalo), o sargento Abinader foi baleado durante confronto com criminosos que explodiram caixas eletrônicos em um supermercado no bairro Vista Alegre, em São Gonçalo. Atingido por estilhaços no rosto e no braço, o PM foi socorrido e levado para o Hospital Estadual Alberto Torres, no Colubandê.

87cda184-d3c6-4937-8cdd-95752ffa9e58

21 de setembro: 1 PM morto
O subtenente reformado Sérgio Santana Cézar, 58 anos, morreu após ser baleado durante uma tentativa de assalto, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. O PM estava na esquina da Rua Darcy Vargas com a Avenida Presidente Kennedy, no bairro Gramacho, quando quatro criminosos em duas motos anunciaram o roubo. Ele ainda foi socorrido e levado para o Hospital Municipal Dr. Moacyr Rodrigues do Carmo, no Parque Beira-Mar, mas não resistiu.

24 de setembro: 1 PM morto e 2 PMs baleados
Lotado no 10ºBPM (Barra do Piraí), o soldado Deivid Ribeiro Silva, 38 anos, morreu após ser baleado durante ataque de criminosos, no bairro Areal, em Barra do Piraí. Ele e seus companheiros de farda verificavam denúncia que afirmava que havia homens armados no local quando foram surpreendidos pelos disparos. Outros dois PMs também foram atingidos, mas não correm risco de morte. O soldado Silva estava há cinco anos na corporação.

27 de setembro: 1 PM morto
Lotado no 23°BPM (Leblon), o soldado Luís Gorni Tavares, 31 anos, morreu após ser identificado como policial durante uma discussão, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. Ele estava a caminho do batalhão para assumir o serviço quando parou em uma padaria localizada na Avenida Rio Branco, no bairro Jardim Gramacho, para comprar um lanche, por volta das 4h. Houve um desentendimento com um outro cliente do estabelecimento e durante a discussão o soldado Gorni se identificou como PM. Nesse momento, o outro homem sacou uma pistola e efetuou disparos contra ele, que ainda tentou reagir mas foi atingido antes. O criminoso pegou a arma do policial e fugiu. O PM ainda foi socorrido por uma viatura do 15°BPM (Duque de Caxias) e levado para o Hospital Municipal Doutor Moacyr do Carmo, mas não resistiu. Ele seria promovido a cabo nesta sexta-feira, dia 28. O soldado deixou esposa e dois filhos, um de 3 anos e outro de oito meses.

30 de setembro: 1 PM morto
Lotado no 41°BPM (Irajá), o cabo Leandro Lamas Souza, 34 anos, morreu após ser baleado durante tentativa de assalto, em Oswaldo Cruz, na Zona Norte do Rio. O PM trafegava em seu veículo pela Rua João Vicente quando, na altura da garagem da viação Real, foi fechado por criminosos armados que anunciaram o assalto. Ele então reagiu e chegou a trocar tiros com os bandidos, mas foi atingido. O policial ainda foi socorrido e levado para o 8° Grupamento de Bombeiros Militar, de onde foi levado em uma ambulância para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Campinho, mas não resistiu.

6 de outubro: 1 PM morto
Lotado no 5°BPM (Praça da Harmonia), o soldado Marçal Teles de Brito, 37 anos, foi assassinado após ser reconhecido como policial, no Centro do Rio. Segundo informações preliminares, o PM estava acompanhado por um amigo que é cabo Fuzileiro Naval da Marinha em um boteco na localidade conhecida como Pedra do Sal. Trabalhando no Setor Alfa – responsável justamente pelo patrulhamento ostensivo naquela região – ele teria sido reconhecido por criminosos do Morro da Conceição, que implantaram uma “estica” (boca-de-fumo no asfalto) ali. Os dois militares foram retirados do estabelecimento e baleados. Cada um foi atingido por dois tiros no rosto e morreram no local. Os corpos estão na Rua Sacadura Cabral, próximo à Avenida Venezuela. O fuzileiro naval ainda não foi identificado. Uma equipe do 5°BPM está no local aguardando a chegada de policiais da Divisão de Homicídios (DH).

8 de outubro: 1 PM morto
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Adeus/Baiana, o soldado Jefferson Franklin dos Santos, 29 anos, morreu após ser baleado ao ser identificado como policial durante um assalto, em Padre Miguel, na Zona Oeste do Rio. Os criminosos fugiram levando a arma do PM – que estava há quatro anos na corporação.

14 de outubro: 1 PM morto
Lotado no 12ºBPM (Niterói), o sargento Anchises Avelino de Azevedo Neto, 47 anos, morreu após ser baleado ao ser reconhecido como policial durante tentativa de assalto, em Maricá. Ele estava desarmado. Na PMERJ há 20 anos, ele deixou três filhos.

14 de outubro: 1 PRF morto
Lotado na 7ªDPRF (Resende), o policial rodoviário federal Leandro Marques Verli, 39 anos, morreu após ser baleado durante uma tentativa de assalto, em São João de Meriti, na Baixada Fluminense.

21 de outubro: 1 PM morto
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Formiga, o cabo Adriano Góes Lisboa, 36 anos, morreu após ser baleado por um criminoso que tinha saído de cadeia três dias antes e o reconheceu, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense.

23 de outubro: 1 PM morto
Lotado no 41°BPM (Irajá), o cabo Mauro Jorge Guimarães Firmino, 35 anos, morreu após ser baleado durante confronto com traficantes no Morro do Juramento, em Vicente de Carvalho, na Zona Norte do Rio. Atingido no abdômen, ele estava em uma região de mata da favela e só conseguiu ser resgatado após chegada de reforço de equipes do 9°BPM e do Batalhão de Operações Policiais Especiais (BOPE) com apoio aéreo do Grupamento Aeromóvel (GAM). O PM já estava dentro da ambulância chegando ao Hospital Central da Polícia Militar (HCPM), no Estácio, quando não resistiu ao ferimento e faleceu.

6 de novembro: 1 PM baleado
Lotado no 24º BPM (Queimados), o sargento Bruno Queiroz Barros foi baleado durante confronto com criminosos que tentavam explodir caixas eletrônicos de uma agência bancária no Centro de Queimados, na Baixada Fluminense. O PM e seu colega de viatura se dirigiram à Avenida Doutor Pedro Jorge para verificar disparo de alarme na agência dos Correios que fica próximo ao Banco do Brasil e se depararam com bandidos armados que estavam em três veículos e ao perceber a aproximação dos policiais efetuaram diversos disparos contra a viatura. Atingido na mão direita, o sargento Barros foi socorrido e levado para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Queimados, sendo posteriormente transferido para o Hospital Central da Polícia Militar (HCPM), no Estácio. A viatura ficou com perfurações no paralamas direito, na lanterna direita e no parabrisa dianteiro. Outras equipes do 24ºBPM foram então para o endereço do banco, onde encontraram explosivos dentro de caixas eletrônicos e descobriram que a detonação foi frustrada com a chegada da viatura do sargento Barros. Um dos carros utilizado na ação criminosa foi localizado na Rua Bela Vista – o Polo prata que ostentava a placa QNI 9500, mas que na verdade tinha como placa verdadeira LTK 2246. O automóvel constava como roubado na área da 57ª DP (Nilópolis), no último dia 29 de outubro.

6 de novembro: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Sereno, o soldado P. Nascimento foi baleado durante ataque de criminosos da facção Comando Vermelho (CV) à base da UPP. Atingido de raspão no braço, o PM foi socorrido e levado para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da Penha.

14 de novembro: 1 PM morto
Lotado no Batalhão de Rondas Especiais e Controle de Multidões (Recom), o sargento Fábio de Almeida Correa, 45 anos, morreu após ser baleado durante assalto em Bento Ribeiro, na Zona Norte do Rio. O PM estava acompanhado por uma mulher em seu carro, na Rua Gita, quando criminosos em outro veículo emparelharam com ele. Dois bandidos então desceram do automóvel e anunciaram o roubo, pegando objetos do PM e da mulher. Ao descobrir que ele era policial, os criminosos efetuaram disparos e fugiram levando o carro dele. Um motorista que passou logo em seguida pelo local socorreu o sargento, o levando para o Hospital Estadual Carlos Chagas, em Marechal Hermes, também na Zona Norte, mas ele não resistiu. Ele estava há 21 anos na corporação, era casado e deixou três filhos. No momento em que realizavam a perícia no local, policiais da Divisão de Homicídios (DH) foram surpreendidos por bandidos que passaram efetuando disparos contra as viaturas. Eles revidaram a agressão e um dos criminosos morreu. Com ele, os agentes da especializada apreenderam um revólver calibre 38.

24 de novembro: 1 PM morto
O subtenente da reserva Cláudio Campello Marazzo, 54 anos, morreu após ser baleado durante um assalto, em Engenheiro Leal, na Zona Norte do Rio. O policial chegava em casa e ainda tentou reagir, buscando a arma que estava dentro de seu carro, mas acabou atingido. Socorrido por familiares, o PM ainda foi levado para o Hospital Maternidade Herculano Pinheiro, em Madureira, mas não resistiu. O subtenente entrou na corporação em 1986, era casado e deixou cinco filhos.

30 de novembro: 1 PM morto e 1 PM baleado
Lotado no 10ºBPM (Barra do Piraí), o sargento Nilton Moura Júnior, 44 anos, morreu após ser atingido durante confronto com criminosos no bairro Camorim Grande, em Angra dos Reis. O PM integrava o apoio ao 33ºBPM (Angra dos Reis). Um policial do Grupamento de Ações Táticas (GAT) do 33ºBPM também foi atingido. Baleado de raspão atrás do joelho, ele não corre risco. O sargento Moura estava há 18 anos na corporação e deixou esposa, uma filha e uma enteada.

8 de dezembro: 1 PM morto
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Fazendinha, o cabo Daniel Hilário Pereira, 37 anos, morreu após ser baleado na saída da casa de shows Kabanna Catonho, em Sulacap, na Zona Oeste do Rio. Ele estava há sete anos na corporação.

8 de dezembro: 2 PMs baleados
Lotados na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Jacarezinho, os soldados Fernanda Lovatti da Costa e Leonan Leonardo de Lima foram baleados durante ataque de traficantes. Ela foi atingida no tórax e ele na perna. Os dois foram socorridos e levados para o Hospital Municipal Salgado Filho, no Méier. A PM continua internada na unidade de saúde, enquanto o policial foi transferido para o Hospital Central da Polícia Militar (HCPM), no Estácio.

10 de dezembro: 1 PM baleado
Lotado no 24ºBPM (Queimados), o sargento Jorge Alexandre de Oliveira Melo foi baleado durante ataque de criminosos à padaria de sua propriedade, no bairro Grande Rio, em São João de Meriti, na Baixada Fluminense. O estabelecimento fica localizado na Rua Wilson Lago. Os criminosos, que estavam em um Ônix branco, efetuaram diversos disparos e atingiram uma das funcionárias da padaria. Identificada como Yasmin da Silva Mendes, 18 anos, ela foi baleada na perna e levada para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de São João de Meriti. Outras duas vítimas foram atingidas por balas perdidas. O ladrilheiro Marco Antônio Pinheiro Oliveira, 41, e o pedreiro Jailson Oliveira Adão, 46, passavam pelo local no momento do tiroteio e não resistiram aos ferimentos. A Divisão de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF) revelou que instaurou um inquérito para apurar as circunstâncias do crime.