Estatística de Policiais Mortos e Baleados em 2017

Ainda não chegamos à metade do mês de outubro e o ano de 2017 já registrou 245 policiais baleados – sendo que 108 não resistiram. Do total, 233 eram PMs, 10 eram PCs e 3 eram agentes da PRF (um deles baleado em 2016). Destes, 114 estavam de serviço, 45 estavam de folga, 25 eram reformados e 2 eram aposentados. Deles, 54 foram atingidos em comunidades pacificadas.

pm-morto

1 de Janeiro: 1 PM morto
Lotado no 3º BPM (Méier), o soldado André William Barbosa de Oliveira, 32 anos, foi morto a tiros enquanto estava em uma festa na Favela do Batan, em Realengo, na Zona Oeste do Rio. O corpo do PM – que trabalhava no Serviço de Inteligência (P-2), onde era permanência – foi encontrado dentro do porta-malas de seu próprio carro, na Rua Clodoaldo de Freitas, em Guadalupe, na Zona Norte.

15870646_1713969582246423_1177780819_n

1 de Janeiro: 1 PM morto
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Andaraí, o soldado Antônio Carlos Paiva Nunes, 34 anos, foi baleado quando passava de viatura pela Avenida Leopoldo Bulhões, na altura da Favela de Manguinhos, em Bonsucesso, na Zona Norte do Rio. Ele estava de serviço na supervisão da Coordenadoria de Polícia Pacificadora (CPP). O PM ainda foi socorrido e levado para o Hospital Quinta D’or, em São Cristóvão, mas não resistiu aos ferimentos, e teve a morte cerebral confirmada pelos médicos no dia seguinte. Há cinco anos na corporação, o soldado Paiva não tinha filhos.

whatsapp-image-2017-01-02-at-17-18-07-jpeg

2 de Janeiro: 1 PM morto
Lotado no 15° BPM (Duque de Caxias), o cabo Cleiton William Santos de Freitas foi assassinado, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. O PM trafegava em seu veículo – o Saveiro preto placa KPG 9143 – e passava pela Estrada do Tinguá, na localidade conhecida como Chapéu do Sol, no bairro Xerém, quando foi abordado por criminosos armados com pistolas e fuzis. Os bandidos efetuaram diversos disparos contra o policial, que não teve chance de defesa nem oportunidade para tentar fugir. O crime ocorreu na região onde ficam a casa do deputado Washington Reis e o cantor Zeca Pagodinho.

2 de Janeiro: 1 PM morto e 1 PM baleado
O subtenente reformado da PM Valteir Lima Teixeira e o sargento reformado da PM Francisco Assis de Aguiar foram baleados durante tentativa de roubo na saída de um banco Bradesco, em Guapimirim, na Baixada Fluminense. Os PMs haviam acabado de sair da agência localizada na Rua Professor Rocha Faria, no bairro Vila Guapi, quando foram abordados. Os dois foram socorridos e levados para o Hospital Municipal de Guapimirim, onde o sargento Francisco não resistiu. O subtenente Valteir permaneceu internado.

4 de Janeiro: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Fazendinha, o cabo Barroso foi baleado por criminosos da facção Comando Vermelho (CV) ao socorrer um morador que havia sido atingido durante ataque dos bandidos aos PMs. Ele foi salvo pelo colete que usava. Os traficantes estavam em lajes, atacaram os policiais próximo à localidade conhecida como Campo do Zé e acabaram atingindo Antônio Cezário da Silva Júnior. Os PMs se abrigaram e revidaram a agressão enquanto o cabo Barroso correu pra socorrer a vítima – que havia sido atingida de raspão no braço – e acabou alvejado no peito. Os disparos de pistola foram amortecidos pela placa de cerâmica do colete balístico. Socorrido e levado para o Hospital Estadual Getúlio Vargas, ele foi submetido a exames e não corre risco de morte. O morador foi encaminhado à Unidade de Pronto Atendimento (UPA).

15826307_1303231213053678_7564389774546770526_n

4 de Janeiro: 1 PM morto
Lotado no 18° BPM (Jacarepaguá), o soldado Jefferson Martins Pedra morreu após ser baleado em frente ao Tijuca Off Shopping, na Tijuca, na Zona Norte do Rio. Um casal também foi baleado. Os três foram socorridos e levados para o Hospital Federal do Andaraí, onde o PM acabou falecendo. Mesmo de folga, o policial tentava impedir a fuga de criminosos que haviam acabado de assaltar uma joalheria no shopping.

15826370_1303499339693532_8279967165242835723_n

5 de Janeiro: 1 PM morto e 1 PM baleado
Lotados na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Lins, o soldado Marcelo Abdalla Neder, 34 anos, e o soldado Carlos Roberto Freitas foram baleados ao se deparar com uma quadrilha que roubava carga, na Rodovia Presidente Dutra, na altura de Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. O soldado Abdalla não resistiu. Ele e o soldado Bruno Aurélio de Carvalho estavam de carona no carro do soldado Carlos – o Prisma preto placa KPS 9450. Moradores de Resende, os três estavam a caminho do Rio para assumir o serviço. Apenas um dele estava armado, pois os outros ainda não haviam conseguido receber o Certificado de Registro de Arma de Fogo (Craf). Próximo ao posto de combustível Mata Virgem, tentando escapar de uma retenção no trânsito, oo soldado Carlos tentou cortar os veículos à sua frente e acabou se deparando com um assalto. Cerca de sete homens armados em uma Amarok abordavam dois caminhões dos Correios. Ao perceber a aproximação do automóvel em que estavam os PMs, os criminosos efetuaram disparos, atingindo o soldado Abdalla, que morreu no local. O soldado Carlos foi baleado no joelho e o soldado Bruno foi agredido a coronhadas. Os bandidos fugiram levando o carro do soldado Carlos e a pistola Taurus calibre 380 do soldado Bruno.

5 de Janeiro: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Pavão, o soldado Vinicius foi baleado durante ataque de criminosos da facção Comando Vermelho (CV) que continuam controlando o tráfico de drogas no morro localizado em Copacabana, na Zona Sul do Rio. O PM estava na viatura e seguia para a base trafegando pela Avenida Pavãozinho quando, na altura da localidade conhecida como Camarote, quando o veículo foi atacado. O soldado foi atingido no braço esquerdo e nas costas. Socorrido, ele foi levado para o Hospital Municipal Miguel Couto, na Gávea.

15978615_1717968771846504_528897465_n

7 de Janeiro: 1 PM morto
O subtenente reformado da PM Cássio Ferreira foi encontrado carbonizado em seu carro – um Renault Sandero cinza -, na Estrada Reta de Santa Cruz, em Itaguaí, na Baixada Fluminense.

gloria

8 de Janeiro: 1 PC morta
Lotada na Chefia da Polícia Civil, a inspetora Glória Fabiane de Souza Melo, 47 anos, morreu após ser baleada pelo próprio irmão, o também policial civil Fernando Rogério de Souza Melo, 49. Ele, que trabalhava na 15DP, foi preso e autuado em feminicídio. O crime ocorreu após uma discussão no imóvel onde os irmãos moravam, na Rua Maria Eugênia, no Humaitá, na Zona Sul do Rio.

9 de Janeiro: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Providência, um policial que não teve nome, patente e nem idade divulgados foi baleado no Morro da Providência, no Santo Cristo, na Zona Portuária do Rio. Atingido de raspão na cabeça, ele não corre risco de morte.

9 de Janeiro: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Prazeres, um policial que não teve nome, patente e nem idade divulgados foi baleado no Morro dos Prazeres, em Santa Teresa, na região central do Rio.

m2

9 de Janeiro: 1 PRF morto
Baleado no dia 13 de agosto de 2016, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, o inspetor da Polícia Rodoviária Federal Marzio Deon Resende, 56 anos, morreu em Brasília. Lotado no Amazonas e enviado ao Rio de Janeiro para reforçar a segurança durante os Jogos Olímpicos, ele foi atingido durante tentativa de assalto no Trevo das Missões. Socorrido, ele foi levado para o Hospital Estadual Getúlio Vargas, na Penha, e posteriormente transferido para o Hospital Estadual Alberto Torres, no Colubandê, em São Gonçalo. Quando estava estabilizado, o policial foi levado para o Hospital Home, em Brasília,onde permanecia internado na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI).

10 de Janeiro: 1 PM baleado
Lotado no Serviço de Inteligência (P-2) do 16BPM (Olaria), o tenente Montenegro foi baleado durante incursão na Favela Furquim Mendes, no bairro Jardim América, na Zona Norte do Rio. Atingido no abdômen, ele foi socorrido e levado para o Hospital Estadual Getúlio Vargas, na Penha, onde foi submetido a uma cirurgia.

10 de Janeiro: 1 PM baleado
Lotado no 27 BPM (Santa Cruz), o cabo Armando foi baleado durante confronto na Favela do Rola, em Santa Cruz, na Zona Oeste do Rio. Socorrido, o PM foi levado para o Hospital Municipal Pedro II.

10 de Janeiro: 1 PM baleado
Lotado no Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope), um policial que não teve o nome e nem a patente divulgados foi baleado na Favela do Jacarezinho, em Bonsucesso, na Zona Norte.

15996212_1717968638513184_516706895_n

10 de Janeiro: 1 PM morto
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Tabajaras, o soldado Daniel Cavalcante da Silva, 26 anos, foi morto por traficantes da Favela 77, em Padre Miguel, na Zona Oeste do Rio. O corpo dele foi encontrado na Avenida Engenheiro Pires Rebelo, em Bangu, também na Zona Oeste, com marcas de tortura. O PM morava próximo à favela.

15978899_1717980568511991_1051150303_n

12 de Janeiro: 1 PM morto
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Arará/Mandela, o soldado Sandro Mendes de Lyra, 36 anos, morreu após ser baleado durante um ataque à viatura, na localidade conhecida como Igrejinha, na Favela Mandela, no Complexo de Manguinhos, em Bonsucesso, na Zona Norte do Rio. O PM estava na viatura da Supervisão seguindo para a base da UPP quando criminosos em uma moto passaram e efetuaram diversos disparos contra o veículo. Atingido na cabeça, ele ainda foi socorrido e levado para o Quinta D’Or, em São Cristóvão, mas não resistiu. Ele estava na corporação desde 2012 e deixa esposa e dois filhos.

13 de Janeiro: 1 PM baleado
Lotado na Diretoria Geral de Pessoal (DGP), o sargento Flávio Ricardo dos Santos Soares foi baleado em Marechal Hermes, na Zona Norte do Rio, ao se deparar com um “bonde” de criminosos armados realizando uma falsa blitz. O PM trafegava com seu veículo – um Kia Cerato – pela Rua Xavier Curado quando avistou um carro bege fechando a via, próximo à Unidade de Pronto Atendimento (UPA), e notou bandidos com fuzis. Ao perceber a aproximação deles, o PM efetuou disparos e na troca de tiros acabou atingido na perna. Os marginais fugiram e ele foi socorrido e levado para o Hospital Estadual Carlos Chagas.

13 de Janeiro: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Pavão/Pavãozinho/Cantagalo, um soldado que não teve nome e nem idade divulgados foi baleado durante ataque de criminosos da facção Comando Vermelho (CV) que continuam controlando o tráfico de drogas nos morros com acessos pelos bairros Copacabanca e Ipanema, na Zona Sul do Rio. O PM estava na Quadra do DG quando foi atingido. Ferido no pé, foi socorrido e levado para o hospital.

15977213_1311925435517589_8871603836942456663_n

13 de Janeiro: 1 PM morto
Lotado no 14° BPM (Bangu), o sargento Fábio Magalhães Teixeira, 44 anos, morreu após ser baleado durante ataque de criminosos na Favela Vila Kennedy, em Bangu, na Zona Oeste do Rio. Ele trabalhava no Auxílio à Polícia de Trânsito (APTran) e participava de operação conjunta com a Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Vila Kennedy efetuando abordagens a veículos quando foi atingido. Socorrido, foi levado para o Hospital Estadual Albert Schweitzer, em Realengo, onde chegou a ser submetido a uma cirurgia, mas não resistiu. Há 20 anos na corporação, ele deixou esposa e filho.

16112034_1719547495021965_2118372557_n

15 de Janeiro: 1 PM morto
Lotado no 15° BPM (Duque de Caxias), o sargento Cristiano da Anunciação Macedo, 39 anos, morreu após ser baleado ao tentar apartar uma briga durante uma festa no clube Fazenda, no bairro Vila Rosali, em São João de Meriti, na Baixada Fluminense. Ele ainda foi socorrido e levado para o Posto de Atendimento Médico (PAM) Meriti, mas não resistiu aos ferimentos. Uma mulher identificada como Joice Kelly de Jesus, vítima de bala perdida, também deu entrada na unidade, sendo liberada após receber atendimento.

15 de Janeiro: 1 PM baleado
Lotado no 7° BPM (São Gonçalo), o soldado Mendes foi baleado ao se deparar com criminosos armados no bairro Guaxindiba, em São Gonçalo. Socorrido, ele foi levado para o Hospital Estadual Alberto Torres (Heat), no Colubandê, e recebeu alta após atendimento médico.

18 de Janeiro: 1 PM baleado
Lotado no 5° BPM (Praça Harmonia), o soldado Roberto Bragança foi baleado ao reagir a uma tentativa de assalto durante uma falsa blitz, na Avenida Brasil, na altura da Fazenda Botafogo, na Zona Norte do Rio. Acompanhado por um sargento, o PM se dirigia para o batalhão, onde os dois iriam assumir o servio, quando perceberam a ação de quatro criminosos. Eles reagir e houve confronto. Na troca de tiros, o soldado Bragança foi atingido na panturrilha direita. Um motorista que passava pelo local – identificado como Leandro dos Santos – foi vítima de bala perdida na coxa direita. Os dois foram socorridos e levados para o Hospital Central da Polícia Militar (HCPM), no Estácio, recebendo alta após atendimento médico.

16003058_1316298708413595_2034483227805142751_n

18 de Janeiro: 1 PM morto
Lotado na 1CIPM (Palácio Guanabara), o cabo Cosme Rodrigues de Souza Júnior, 32 anos, morreu após ser baleado durante tiroteio no shopping Jardim Guadalupe, no bairro Guadalupe, na Zona Norte do Rio. Atingido na cabeça, o PM chegou a ser socorrido e levado para o Hospital Estadual Carlos Chagas, em Marechal Hermes, mas não resistiu ao ferimento. Os criminosos teriam tentado praticar um assalto à joalheria Meiry Jóias quando o cabo, que estava de folga e passeava no local, tentou intervir e acabou atingido.

19 de Janeiro: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Manguinhos, o soldado Maick foi baleado durante ataque de criminosos da facção Comando Vermelho (CV) que continuam controlando o tráfico de drogas no Complexo de Manguinhos, em Bonsucesso, na Zona Norte do Rio. O PM realizava patrulhamento de rotina e passava pela localidade conhecida como Coréia quando foi atingido. Ferido na coxa, ele foi socorrido pelos colegas de farda e levado para o Hospital Federal de Bonsucesso.

19 de Janeiro: 1 PM baleado
Lotado no 20° BPM (Mesquita), o soldado Rui foi baleado durante confronto com traficantes na Favela Casinhas, no bairro Cosmorama, em Mesquita, na Baixada Fluminense. Socorido, ele foi levado para o Hospital Municipal Juscelino Kubitschek, o Centro, em Nilópolis, também na Baixada. Ferido de raspão na mão, o PM recebeu alta após atendimento médico.

joao-maximo

19 de Janeiro: 1 PM morto
Adido ao Grupo de Apoio à Promotoria (GAP) de Nova Iguaçu, o subtenente João Máximo Guimarães Rodrigues, 52 anos, morreu após ser baleado ao tentar impedir um assalto a uma padaria na esquina da rua onde mora, em Japeri, na Baixada Fluminense. O PM estava no estabelecimento, localizado na Rua Dulce Zilda, no bairro Parque Professor João de Maria, quando criminosos entraram e anunciaram o assalto. Ele reagiu e na troca de tiros acabou atingido. Socorrido por vizinhos, ainda foi levado para o Hospital Geral de Nova Iguaçu, mas não resistiu.

20 de Janeiro: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Macacos, o soldado Mochure foi baleado ao reagir a um assalto, em Mesquita, na Baixada Fluminense. Socorrido, o PM foi levado para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA).

20 de Janeiro: 1 PM baleado
Lotado no 7º BPM (São Gonçalo), o soldado Felipe Amarante da Silva, 25 anos, foi baleado ao reagir a um assalto, no bairro Pita, em São Gonçalo. O PM estava em seu carro – um Punto prata – acompanhado por dois amigos, quando foi abordado pelo criminoso, na Travessa Jorge Santiago. Ele ainda trocou tiros com o bandido. O policial e um de seus amigos, Renato César Silva Maia, 26, foram atingidos. Socorridos, foram levados para o Hospital Estadual Alberto Torres (Heat), no Colubandê. Momentos depois, Pablo César de Lemos Teixeira, 18, deu entrada baleado no Hospital Estadual Azevedo Lima (Heal), no Fonseca, na Zona Norte de Niterói. Reconhecido pelo PM, foi autuado e internado sob custódia.

21 de Janeiro: 2 PMs baleados
Lotados na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Jacarezinho, o sargento Ricardo e o cabo Ferreira foram baleados durante ataque de criminosos da facção Comando Vermelho (CV) que continuam controlando o tráfico de drogas na Favela do Jacarezinho, em Bonsucesso, na Zona Norte do Rio. Os PMs estavam na Avenida Dom Hélder Câmara, na entrada da favela, quando foram atingidos de raspão.

amauri

22 de Janeiro: 1 PM morto
O subtenente reformado Amauri Pena, 52 anos, morreu após ser baleado ao reagir a um assalto em seu bar, no bairro Ramos, na Zona Norte do Rio. O PM estava em seu estabelecimento, localizado na Rua Tupinambás, quando criminosos entraram e anunciaram o assalto. O subtenente Panema trocou tiros com os bandidos, mas acabou atingido. Ele ainda foi socorrido e levado para o Hospital Estadual Getúlio Vargas, na Penha, mas não resistiu. Um dos assaltantes, baleado por ele, também morreu.

22 de Janeiro: 1 PM baleado
Lotado no Batalhão de Policiamento em Vias Especiais (BPVE), o soldado Jeferson dos Santos Silva foi baleado durante confronto com assaltantes, em Irajá, na Zona Norte do Rio. O PM realizava patrulhamento de rotina pela Avenida Brasil e passava no retorno sentido Centro, na atura da Favela de Acari, quando foi abordado por uma vítima que tinha sido assaltada, no sentido Zona Oeste, por dois homens que levaram sua moto. A equipe do BPVE então iniciou buscas e localizou a dupla tentando roubar o Meriva preto placa KQN 8711. Ao notar a aproximação da viatura, os criminosos começaram a atirar. Os policiais revidaram a agressão e no confronto os dois bandidos foram baleados. Atingido na perna direita, o soldado Jeferson foi socorrido e levado para o Hospital Geral de Bonsucesso. Os assaltantes foram presos e uma pistola apreendida com eles.

24 de Janeiro: 1 PM baleado
Lotado no 12º BPM (Niterói), o cabo Barros foi baleado durante confronto com criminosos da facção Comando Vermelho (CV) que controlam o tráfico de drogas no Morro do Preventório, no bairro Charitas, na Zona Sul de Niterói. Socorrido, ele foi levado para o Hospital estadual Azevdo Lima, no Fonseca.

24 de Janeiro: 1 PM baleado
Lotado no 5º BPM (Praça da Harmonia), o sargento Anderson da Silva Pereira foi baleado na Praça Seca, na Zona Oeste do Rio. Ele estava de carona com um amigo identificado como Filipe Doreste Monteiro dos Santos Cruz, 33 anos, e passavam pela Rua General Vossio Brígido quando o motorista de um carro escuro encostou ao lado e um dos ocupantes bateu na janela do motorista com uma arma em punho. Assustado, o amigo do PM acelerou e os criminosos efetuaram diversos disparos, atingindo o policial nas costas e o condutor nas costas e no braço. Mesmo ferido, ele continuou dirigindo e foi até o quartel do Corpo de Bombeiros em Campinho, onde pediram ajuda. Os dois foram socorridos e encaminhados ao Hospital Estadual Carlos Chagas, em Marechal Hermes.

24 de Janeiro: 1 PM baleado
Lotado no Centro de Formação e Aperfeiçoamento de Praças (Cfap), o major Cremilson Jorge de Nascimento foi baleado ao reagir a um assalto, em Magalhães Bastos, na Zona Norte do Rio. O oficial estava acompanhado pela família e passava de carro pela Rua Tenente Coronel Cunha quando foi abordado por três criminosos. Ele reagiu e acabou atingido no ombro. No confronto, um dos bandidos também foi baleado, mas conseguiu fugir. O PM foi socorrido e levado para o Hospital Estadual Albert Schweitzer, em Realengo.

zando

24 de Janeiro: 1 PC morto
O inspetor aposentado da Polícia Civil José Luiz Macedo Zandomingos, 57 anos, foi assassinado com vários tiros, em Realengo, na Zona Oeste do Rio. O corpo dele foi deixado no porta-malas do Classic prata placa LUZ 8813,na Rua José Maria de Abreu.

renato

25 de Janeiro: 1 PM morto
Lotado na Diretoria Geral de Pessoal (DGP), o sargento Renato Alves da Conceição, 39 anos, morreu após ser baleado em Jacarepaguá, na Zona Oeste do Rio. Ele passava com seu veículo – uma BMW branca – pela Rua Acapurana, na Favela Gardênia Azul, quando foi alvejado por cerca de oito tiros.

roque

27 de Janeiro: 1 PM morto
Lotado no 34º BPM (Magé), o cabo Roque Medeiros Fonseca Júnior, 34 anos, morreu após ser baleado ao tentar impedir um assalto na loja Casas Bahia, no bairro Piabetá, em Magé, na Baixada Fluminense. O PM ainda foi socorrido e levado para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA), mas não resistiu.

artur

27 de Janeiro: 1 PM morto
Lotado no 6º BPM (Tijuca), o sargento Artur Fernando Ribeiro Moura, 47 anos, morreu após ser baleado durante uma saidinha de banco – quando a vítima é seguida e assaltada após efetuar saque em agência bancária ou caixa eletrônico -, na esquina da Avenida Nossa Senhora de Copacabana com a Rua Joaquim Nabuco, em copacabana, na Zona Sul do Rio. O PM ainda foi socorrido e levado para o Hospital Municipal Miguel Couto, na Gávea, mas não resistiu.

28 de Janeiro: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Vila Cruzeiro, o soldado Rodney Alves da Silva foi baleado na porta de casa, em Irajá, na Zona Norte do Rio. Ele conversava com amigos na porta de sua casa quando criminosos passaram efetuando disparos. Atingido na região pública e na perna direita, o PM foi socorrido e levado para o Hospital Estadual Getúlio Vargas, na Penha.

29 de Janeiro: 1 PM baleado
Lotado no 29º BPM (Itaperuna), o cabo Carlos Henrique de Souza Barros, 33 anos, foi baleado durante operação na Rua José Raimundo de Oliveira, no Morro do Castelo, em Itaperuna. Atingido pelas costas, o PM, que trabalha no Serviço de Inteligência (P-2) do batalhão, foi socorrido e levado para o Hospital São José do Avaí, no Centro. Com os dois pulmões perfurados e uma vértebra quebrada que lesionou a medula, o PM corre o risco de ficar paraplégico.

evaldo

30 de Janeiro: 1 PM morto
Lotado no 29º BPM (Itaperuna),o subtenente Evaldo Fernandes da Silva, 37 anos, morreu após ser atingido por um disparo acidental durante operação para prender os responsáveis por atirar no cabo Barros, na véspera. O PM tropeçou e na queda acabou disparando acidentalmente sua arma. Ele estava de colete, mas o projétil atingiu a clavívula onde não havia proteção, perfurando a veia clava. Socorrido e levado para o Hospital São José do Avaí, no Centro, ele teve várias paradas cardíacas e acabou não resistindo.

30 de Janeiro: 1 PC baleado
Lotado na Delegacia de Combate às Drogas (Dcod), o inspetor Henrique Souza Leal Botelho, conhecido como Miño, foi baleado na Tijuca, na Zona Norte do Rio, ao entrar em um estabelecimento comercial sem saber que estava ocorrendo um assalto. O policial entrou nas Lojas Americanas, na Rua Conde do Bonfim, no momento em que um criminoso rendia um vigilante. Ele tentou então abordar o inspetor, que reagiu e houve confronto. Na troca de tiros, Henrique foi baleado no braço. O assaltante também foi atingido, mas conseguiu correr e fugiu em companhia de um comparsa. O policial foi socorrido e levado para o Pronto Socorro da Tijuca (Tijucor), na Casa de Saúde Santa Therezinha.

andre

31 de Janeiro: 1 PM morto
Lotado na Policlínica da Polícia Militar (PPM) Cascadura, o sargento André Luiz de Araújo, 42 anos, foi baleado dentro de um bar na Rua Dona Maria, no bairro Agostinho Porto, em São João de Meriti, na Baixada Fluminense. Em estado grave, ele foi transferido para o Hospital Estadual Alberto Torres, no Colubandê, em São Gonçalo. Ele permaneceu mais de uma semana internado, mas não resistiu aos ferimentos.

vasconcelos

31 de Janeiro: 1 PM morto
O sargento reformado da PM Carlos Elias dos Santos Vasconcellos foi morto por traficantes da facção Comando Vermelho (CV) que controlam a venda de drogas no Conjunto da Marinha, no bairro Ipiranga, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. Nascido e criado no local, o PM levava uma amiga interessada em alugar seu antigo apartamento quando foi reconhecido pelos criminosos. A amiga, a vendedora Vivian Ribeiro Machado Viana, também foi assassinada. Os dois corpos foram encontrados carbonizados no porta-malas de um carro roubado.

3 de Fevereiro: 1 PM baleado
Lotado no Batalhão de Polícia de Choque (BPChoque), o sargento Alencar foi baleado quando sua pistola disparou acidentalmente, no interior da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), no Centro do Rio. O PM tinha acabado de almoçar e quando entrou no banheiro sua carabina CTT calibre 40 disparou, atingindo o quarto dedo do pé do pé direito. Socorrido, ele foi levado para o Hospital Municipal Souza Aguiar.

4 de Fevereiro: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) São Carlos, o soldado Joel Vianna de Azevedo foi atingido durante patrulhamento de rotina na favela localizada no bairro Estácio, na região central do Rio. Os PMs notaram um táxi com dois ocupantes em atitude suspeita na descida do morro e quando ligaram a sirene determinando parada para realizar a abordagem foram surpreendidos pela reação do condutor do veículo, que fugiu em direção à Rua Maia de Lacerda. Neste momento, os ocupantes efetuaram disparos contra a viatura, atingindo o vidro e ferindo o policial próximo à axila direita. Socorrido, ele foi levado para o Hospital Central da Polícia Militar (HCPM), e não corre risco de morte.

4 de Fevereiro: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Jacarezinho, o soldado Luiz William de Souza Araújo, 31 anos, foi baleado enquanto realizava uma abordagem, no encontro da Rua Viúva Cláudio com a Travessa Jacaré. Os PMs foram surpreendidos pelos ocupantes de um Ônix prata que passaram efetuando disparos contra a viatura. Atingido na cabeça, o policial foi socorrido e levado para o hospital. Ele não corre risco de morte.

16472816_1334260176617448_618288058519748341_n

5 de Fevereiro: 1 PM morto
Lotado no 4° BPM (São Cristóvão), o soldado Eduardo Ribeiro Paraguai, 36 anos, foi morto dentro de casa, na Rua Tinharé, no bairro São José do Imbassaí, em Maricá. O PM foi surpreendido pelo ex-marido de sua namorada. Morador de Bonsucesso, na Zona Norte do Rio, ele saiu recentemente da cadeia após ser preso por assalto a mão armada. O assassino fugiu levando a pistola do policial. Segundo informações da Polícia, o criminoso pulou o muro da residência de sua ex-mulher e atirou no PM pelas costas.

bispo

7 de Fevereiro: 1 PM morto
Lotado no 20° BPM (Mesquita), o cabo Tiago Bispo dos Santos, 34 anos, morreu após ser baleado durante incursão na Favela Dom Bosco, no bairro Cabuçu, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. Atingido no peito, o PM sofreu um rompimento da artéria subclávia. Ele ainda foi socorrido e levado para o Hospital Geral de Nova Iguaçu, mas não resistiu ao ferimento.

nelson

10 de Fevereiro: 1 PM morto
O cabo reformado da PM Nielson do Carmo Costa morreu após ser baleado na porta de casa, em Belford Roxo, na Baixada Fluminense. O PM tinha acabado de sair da academia e conduzia seu veículo pela Rua Sílvio Rocha, no Centro, quando foi cercado pelos ocupantes de um carro não identificado – um deles armado com um fuzil. O policial ainda desceu de seu automóvel e correu tentando entrar em casa, mas foi atingido por diversos disparos. Ele chegou a ser socorrido e levado para o Hospital Geral de Nova Iguaçu, na Posse, mas não resistiu.

wallace

10 de Fevereiro: 1 PM morto
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Manguinhos, o soldado Wallace Guimarães de Souza, 27 anos, morreu após ser baleado ao reagir a uma tentativa de assalto, em Nilópolis, na Baixada Fluminense. O PM estava na Rua Senador Fernando Mendes, no Centro, quando foi abordado por dois criminosos em uma moto. Ao descobrir que a vítima era policial, os bandidos efetuaram disparos e fugiram levando a mochila do soldado. Ele ainda foi socorrido e levado para o Hospital Municipal Juscelino Kubitschek, mas não resistiu.

gemerson

11 de Fevereiro: 1 PM morto
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Rocinha, o soldado Gemerson Augusto Chaves da Silva, 27 anos, morreu após ser baleado durante uma discussão na saída de um forró, no bairro Retiro, em Volta Redonda. O autor do crime também era PM – o soldado Everton de Freitas Vieira, lotado no 10ºBPM (Barra do Piraí). Ele foi preso no dia seguinte ao crime, por policiais da 93ª DP (Volta Redonda).

renault

13 de Fevereiro: 1 PM morto
O soldado reformado Renault Ferreira Feitosa, 39 anos, morreu após ser baleado, em São Cristóvão, na Zona Norte do Rio. O PM, que era portador de esquizofrenia, discutiu com um homem durante uma festa na Favela Barreira do Vasco e quando saiu do local e passava pela Rua Ricardo Machado, foi alvo de tiros.

marins

14 de Fevereiro: 1 PM morto
Lotado no 22º BPM (Benfica), o sargento Márcio Leandro do Nascimento Marins, 46 anos, foi assassinado, em Guadalupe, na Zona Oeste do Rio. O corpo do PM foi encontrado carbonizado no porta malas de seu carro, próximo à Favela da Palmeirinha.

18 de Fevereiro: 1 PM baleado
Lotado no 16° BPM (Olaria), o cabo Haroldo Félix da Silva Filho foi baleado durante incursão na Favela Cidade Alta, em Cordovil, na Zona Norte do Rio.

16681971_1539096686130511_5450689593184840198_n

21 de Fevereiro: 1 PM morto e 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Jacarezinho, o soldado Michel de Lima Galvão, 32 anos, morreu após ser baleado durante ataque de criminosos que continuam controlando o tráfico de drogas na Favela do Jacarezinho, no bairro Jacaré, na Zona Norte do Rio. O PM foi baleado pelas costas. O tiro entrou pelo ombro e perfurou o pulmão. Ele ainda foi socorrido e levado para o Hospital Municipal Salgado Filho, no Méier, mas não resistiu. Na ação criminosa, o soldado Thiago Gregório Ribeiro da Silva também foi atingido – ferido por um tiro que atravessou sua orelha. Ele recebeu alta após atendimento médico.

21 de Fevereiro: 1 PM baleado
Lotado na Operação Centro Presente, o soldado Jackson Mendes da Silva foi atingido no abdômen durante tiroteio no Centro do Rio. A perseguição a criminosos teve início na Avenida Presidente Vargas, na altura da Rua Uruguaiana, e terminou na Rua Passos. Um dos bandidos foi preso e outros dois conseguiram fugir. Após passar por procedimento no Hospital Municipal Souza Aguiar, ele será transferido para o Hospital Central da Polícia Militar (HCPM) e não corre risco de morte.

22 de Fevereiro: 1 PM baleado
Lotado no Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope), o sargento Felipe Bernardo foi baleado durante incursão na Favela do Jacarezinho, em Bonsucesso, na Zona Norte do Rio. Atingido na região íntima, o PM não corre risco de morte.

23 de Fevereiro: 2 PMs baleados
Lotados, respectivamente, no Batalhão de Ações com Cães (BAC) e no 22° BPM (Benfica), o cabo Maurício Pires de Carvalho e o sargento Alex Sandro Cruz dos Santos foram baleados durante uma operação da Favela Nova Holanda, no Complexo da Maré, em Bonsucesso, na Zona Norte do Rio. Enquanto o cabo Pires foi atingido no abdômen, o sargento Cruz foi atingido na perna. O primeiro PM foi socorrido e levado para o Hospital Federal de Bonsucesso e o segundo para o Hospital Central da Polícia Militar (HCPM), no Estácio.

23 de Fevereiro: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Nova Brasília, o soldado Bruno dos Santos Roque, 35 anos, foi baleado no abdômen e na perna durante ataque de criminosos da facção Comando Vermelho (CV) que continuam controlando o tráfico de drogas no Complexo do Alemão, na Penha, na Zona Norte do Rio. O ataque ocorreu na localidade conhecida como Largo do Samba. Socorrido, o PM foi levado para o Hospital Estadual Getúlio Vargas.

23 de Fevereiro: 1 PM baleado
Lotado no 3° BPM (Méier), o sargento Gilson Carvalho, 50 anos, foi baleado durante incursão no Morro do Juramentinho, em Vicente de Carvalho, na Zona Norte do Rio. O PM estava na Rua Maracá quando foi atingido. Socorrido, ele foi levado para o Hospital Estadal Getúlio Vargas, na Penha.

23 de Fevereiro: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Mangueira, o soldado Vinicius Lima Cavalcante foi baleado ao reagir a um assalto, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. O PM estava na Estrada de Madureira, em frente ao Conjunto Habitacional da Marinha, no bairro Ipiranga, quando viu dois criminosos em uma moto assaltando pedestres. Ele trocou tiros com os bandidos e acabou atingido. Socorrido, foi levado para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Cabuçu, sendo posteriormente transferido para o Hospital Geral de Nova Iguaçu.

23 de Fevereiro: 1 PM baleado
Lotado no 20° BPM (Mesquita), o subtenente Anderson Lima da Silveira foi baleado durante incursão na Favela da Chatuba, em Mesquita, na Baixada Fluminense. Socorrido, o PM foi levado para o Hospital Geral de Nova Iguaçu, na Posse. Ele corre o risco de perder a visão.

23 de Fevereiro: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Camarista Méier, o soldado Araújo foi baleado durante ataque de criminosos da facção Comando Vermelho (CV) que continuam controlando o tráfico de drogas no Complexo do Lins, no Lins de Vasconcellos, na Zona Norte do Rio. Atingido na localidade conhecida como Boca do Mato, o PM foi salvo pelo colete.

lance

23 de Fevereiro: 1 PM morto
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Camarista Méier, o cabo Thiago de Oliveira Lance, 31 anos, morreu ao reagir a um assalto, em Cordovil, na Zona Norte do Rio. O PM tinha saído de serviço e estava indo para casa quando foi abordado pelos criminosos, na Rua Iranduba. Ele trocou tiros com os assaltantes, mas acabou atingido. Os bandidos fugiram levando a arma e a moto do policial, que ainda foi socorrido e levado para o Hospital Estadual Getúlio Vargas, na Penha, mas não resistiu. O cabo Lance deixou esposa grávida de sete meses. A expectativa é de que o filho do casal nasça no final do mês de abril.

24 de Fevereiro: 1 PM baleado
Lotado no 4° BPM (São Cristóvão), o subtenente Dimas de Mello Azevedo foi baleado ao reagir a um assalto, em Piedade, na Zona Norte do Rio. O PM estava na Rua Clarimundo de Melo, próximo à Rua Assis Carneiro, quando foi abordado por criminosos que tentaram roubar seu veículo – um Gol branco. O policial reagiu e trocou tiros com os assaltantes, mas acabou atingido na perna direita e de raspão no rosto. Ele estava a caminho do batalhão para assumir o serviço e ainda conseguiu continuar dirigindo e foi até o Hospital Municipal Salgado Filho, no Méier, onde foi socorrido.

ademilson pereira

26 de Fevereiro: 1 PM morto
O sargento reformado da PM Ademilson Pereira, 47 anos, morreu após ser baleado durante um assalto na Rua André Rocha, no bairro Taquara, na Zona Oeste do Rio.

26 de Fevereiro: 1 PM baleado
Lotado no 4° BPM (São Cristóvão), o soldado Edilson Cordeiro Ferreira foi baleado durante ataque de criminosos do Morro da Providência, no bairro Santo Cristo, na Zona Portuária do Rio, à viatura em que trafegava, na madrugada do domingo de carnaval. O soldado Cordeiro e seu colega de farda, soldado Assunção, receberam determinação da Sala de Operações Policiais (SOP) de sua unidade para buscar um policial no sambódromo, por volta da 00h30. Na tentativa de encurtar tempo e distância, eles resolveram acessar a via binário e pegar a Rua Rivadávia Correia para percorrer o túnel João Ricardo, na Gamboa. Assim que saíram do túnel, na Central do Brasil, foram surpreendidos pelos disparos, que atingiram as costas do soldado Cordeiro – que estava no volante da viatura. Mesmo baleado na altura da região lombar, ele conseguiu continuar dirigindo e foi até o Hospital Municipal Souza Aguiar, no Centro, onde foi socorrido. O PM não corre risco de morte mas ainda não foram divulgadas informações sobre o procedimento cirúrgico.

ricardo feitosa

26 de Fevereiro: 2 PMs mortos
Lotados no 16º BPM (Olaria), os cabos Rodrigo Severo e Ricardo Feitosa foram assassinados e tiveram os corpos deixados dentro de um carro carbonizado, na Rua Jorge Coelho, em Brás de Pina, na Zona Norte do Rio.

severo

27 de Fevereiro: 1 PM baleado
Lotado no 41º BPM (Irajá), o soldado Biral foi baleado durante confronto com criminosos que tentavam roubar caixas eletrônicos da agência da Caixa Econômica Federal (CEF) de Anchieta, na Zona Norte do Rio. Bandidos invadiram a CEF localizada na Avenida Nazaré, mas acabaram surpreendidos pelos PMs. No confronto em que o soldado foi atingido, um dos criminosos também foi alvejado. Ele não resistiu e morreu ainda no local – com um artefato explosivo preso à cintura. Um dos comparsas dele, também baleado, foi preso e conduzido ao Hospital Estadual Carlos Chagas, em Marechal Hermes, onde foi internado sob custódia. Socorrido e levado para a mesma unidade de saúde, o PM não corre risco de morte. Na ação, os policiais apreenderam um fuzil AK, um revólver, uma pistola e uma granada.

28 de Fevereiro: 2 PMs baleados
Lotados na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Mangueirinha, os soldados Evandro e Peçanha foram baleados durante confronto com criminosos que continuam controlando o tráfico de drogas no Morro da Mangueirinha, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. O primeiro foi atingido no braço e o segundo na perna.

9 de Março: 1 PM morto
O subtenente reformado da PM José Luiz da Silva Filho, 55 anos, morreu após ser baleado ao tentar impedir um assalto, no bairro Laranjal, em São Gonçalo. O PM estava levando seu cachorro para passear quando presenciou uma mulher sendo abordada por assaltantes na esquina das ruas Imbitiba e César Lattes. Ele entrou em luta corporal com o criminoso, mas acabou desarmado e executado com a própria pistola. O bandido fugiu levando a arma e o celular da vítima.

luiz alberto

12 de Março: 1 PM morto
Lotado no 7º BPM (São Gonçalo), o sargento Luiz Alberto do Couto Neves, 39 anos, foi assassinado ao tentar recuperar uma moto roubada, em São Gonçalo. Três primos do PM também morreram na ação: o funcionário de uma empresa de iluminação pública, Jorge da Silva Barcellos Filho, 35, o eletricista Everaldo Leckar da Silva, 46, e o mecânico Carlos Augusto Leckar Magalhães, 47.

14 de Março: 1 PM baleado
Lotado no 12° BPM (Niterói), o soldado Alexandre foi baleado durante perseguição a assaltantes, no Fonseca, na Zona Norte de Niterói.

14 de Março: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Arará/Mandela, o soldado Sales foi baleado durante ataque de criminosos da facção Comando Vermelho (CV) que continuam controlando o tráfico de drogas na favela localizada em Bonsucesso, na Zona Norte do Rio. O PM e outros colegas de farda se dirigiam para a rendição e passavam pela localidade conhecida como Pontilhão, na Favela do Mandela, quando foram atacados. Atingido na perna, o soldado só conseguiu ser socorrido com a chegada do veículo blindado. Ele foi levado para o Hospital Geral de Bonsucesso.

15 de Março: 1 PM baleado
Lotado no 12° BPM (Niterói), o cabo Josias Fabiano Cardoso de Almeida foi baleado ao tentar impedir a fuga de criminosos que tinham assaltado uma pedestre, em Santa Rosa, na Zona Sul de Niterói. O PM estava dentro de seu carro, na Avenida Sete de Setembro, na altura do número 226, quando viu os ocupantes de um Hyundai HB20 abordando uma senhora e uma mulher que caminhavam na calçada. Depois que a vítima entregou seus pertences, o policial saiu de seu veículo e tentou prender os assaltantes, mas eles recebiam cobertura de comparsas que estavam em uma Toyota Hilux logo atrás.
O PM conseguiu balear um dos assaltantes, mas acabou atingido na altura da bacia. O criminoso fugiu com ajuda dos comparsas. Socorrido e levado para o Hospital Niterói D’Or – localizado a poucos metros do local do crime – o cabo Cardoso foi transferido para o Hospital Estadual Azevedo Lima, no Fonseca, na Zona Norte, onde está sendo submetido a uma cirurgia.

roberto

15 de Março: 1 PM morto
Lotado no 6º BPM (Tijuca), o sargento Roberto Soares Santanna Júnior, 42 anos, foi assassinado na porta de sua residência, em São João de Meriti, na Baixada Fluminense. O PM estava afastado do serviço em Licença para Tratamento de Saúde (LTS). O crime ocorreu na Avenida Maria Augusta da Silva, no Centro.

17360935_1752083041768410_1337243385_n

16 de Março: 1 PM morto
Lotado no 5° BPM (Praça da Harmonia), o soldado Gabriel Brasil Soares morreu após ser baleado ao se deparar com um “bonde”, em Magé, na Baixada Fluminense. Ele se dirigia ao trabalho para assumir o serviço e passava pela Estrada da Mineira – fuga do pedágio dá Rio-Teresópolis – quando se deparou com criminosos em um carro preto e com escolta de comparsas em duas motos.
A arma do policial foi levada. Ele ainda foi socorrido por policiais do 34° BPM (Magé), mas não resistiu.

17354701_1752113688432012_1757744641_n

16 de Março: 1 PM morto
Lotado na Diretoria Geral de Pessoal (DGP), o sargento Renato César Jorge Cardoso, 48 anos, morreu após ser baleado ao reagir a um assalto, no Maracanã, na Zona Norte do Rio. Ele seguia em sua moto pela Rua São Francisco Xavier quando, na altura da esquina com a Rua Radialista Waldir Amaral – próximo à Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) – quando foi abordado por assaltantes. O PM reagiu e chegou a trocar tiros com os bandidos, mas acabou atingido. O PM reagiu e chegou a trocar tiros com os bandidos, mas acabou atingido.

16 de Março: 1 PM baleado
Lotado na Coordenadoria de Operações e Recursos Especiais (Core), o inspetor Gabriel Lott Pereira Martins, 37 anos, foi baleado durante incursão na Favela Nova Holanda, no Complexo da Maré, na Zona Norte do Rio. Socorrido, ele foi levado para o Hospital Geral de Bonsucesso.

17 de Março: 3 PMs baleados
Lotados no 22° BPM (Benfica), o tenente Guedes, o cabo Albuquerque e o soldado Bruno Silva ficaram feridos no bairro Higienópolis, na Zona Norte do Rio. Os PMs realizavam patrulhamento de rotina e passavam pela Rua Francisco de Medeiros quando se depararam com um Jeep Renegade branco e um Ford Ranger azul, na altura da Rua Tamiarana. Ao notar o desconforto dos ocupantes dos veículos com a presença da viatura, os policiais resolveram efetuar a abordagem, mas os criminosos desobedeceram à ordem de parada e fugiram. Já na altura da Rua Darke de Matos, com o sinal fechado, os suspeitos desceram dos carros efetuando disparos contra os PMs e roubaram um Renault Sandero, com o qual conseguiram fugir. O tenente Guedes foi atingido na perna e o cabo Albuquerque e o soldado Bruno Silva nas mãos. Nos automóveis abandonados no local, foram apreendidos 14 aparelhos de telefone celular, um carregador de pistola e um coldre.

17362898_1373882555988543_7533034209941884121_n

18 de Março: 1 PM morto
O sargento da reserva remunerada da PMERJ, Luiz Carlos Sampaio Silva Mendes, 62 anos, morreu após ser baleado ao reagir a um assalto, no Engenho de Dentro, na Zona Norte do Rio.

17309285_1375271182516347_6927441097508986878_n

19 de Março: 1 PM morto
Lotado no 20° BPM (São João de Meriti), o soldado Eli Barbosa dos Santos, 38 anos, morreu após ser baleado, no bairro Engenheiro Pedreira, em Japeri, na Baixada Fluminense. O homicídio foi cometido por criminosos da facção Comando Vermelho (CV) que controlam o tráfico de drogas na Favela Santa Amélia. O PM tinha deixado a esposa e os dois filhos na casa de parentes na região mais cedo e estava indo buscá-los. A Divisão de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF) vai apurar a denúncia que afirma que os traficantes descobrir que ele era policial e ficaram monitorando até o horário em que ele retornou. A arma do PM foi roubada.

17424833_1375836205793178_1724071882094642742_n

20 de Março: 1 PM morto
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Vidigal, o soldado Samuel Oliveira da Silva morreu após ser baleado durante assalto na Linha Vermelha, na altura de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. O PM, que ainda não tinha conseguido receber seu Certificado de Registro de Arma de Fogo (Craf), estava desarmado e conduzia sua moto quando foi abordado pelos criminosos, na altura do quartel do Corpo de Bombeiros. Os militares chegaram no local para prestar socorro achando que era um acidente de trânsito mas descobriram que o policial tinha marcas de projéteis de arma de fogo no tórax, no braço e na cabeça. Socorrido, ele foi levado para o Hospital Estadual Adão Pereira Nunes, no bairro Saracuruna, mas não resistiu.

17458228_1377771972266268_4380272242807653614_n

22 de Março: 1 PM morto
O sargento reformado Gilmar Rapozo – que foi lotado no extinto Batalhão de Polícia Florestal e de Meio Ambiente (BPFMA) – morreu após ser baleado na porta de sua residência, na Favela Vila Kennedy, em Bangu, na Zona Oeste do Rio. O crime ocorreu na Travessa Croácia.

23 de Março: 2 PMs baleados
Lotados na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Nova Brasília, os soldados L. Dutra e Wendel foram baleados durante ataque de criminosos da facção Comando Vermelho (CV) que continuam controlando o tráfico de drogas no Complexo do Alemão, na Penha, na Zona Norte do Rio. O primeiro levou um tiro de raspão nas costas que em seguida transfixou seu braço esquerdo e o segundo foi atingido próximo à nádega por um projétil que saiu perto da virilha. Após tomografia se constatou que ele raspou na veia femoral. Apesar de ter lesionado a veia, não a rompeu. Os dois PMs foram socorridos e levados para o Hospital Estadual Getúlio Vargas, onde receberam atendimento médico, sendo posteriormente conduzidos ao Hospital Central da Polícia Militar (HCPM), no Estácio, e receberam alta logo depois.

17457763_1380599185316880_8163703363738976785_n

24 de Março: 1 PM morto
O subtenente reformado Dilson Medina Soares foi assassinado em Cabo Frio, na Região dos Lagos. O PM – que faria aniversário neste sábado, dia 25 – estava em um bar na Avenida Adolfo Beranger Júnior, no bairro Guarani, acompanhado por um amigo. Os dois bebiam cerveja em uma das mesas do lado de fora do estabelecimento quando dois bandidos encapuzados chegaram em uma moto. O policial ainda correu para dentro do comércio, mas acabou morrendo no local após ser atingido por um disparo na cabeça. Os criminosos fugiram sem levar a arma do subtenente Medina, que era morador do bairro Vila do Sol.

13533265_1793284820889609_4855914635955898462_n

26 de Março: 1 PM morto
O sargento reformado Gastão Pedro Gama Carmo, 69 anos, foi assassinado ao ser identificado como policial durante um assalto, em Marechal Hermes, na Zona Norte do Rio. Morador do bairro, o PM seguia para a igreja e passava pela Rua Henrique Albuquerque em seu Voyage quando foi fechado pelos ocupantes de um Fiat Siena que anunciaram o roubo. O crime ocorreu na altura da Rua Descartes. Assim que viram a arma do sargento, os criminosos efetuaram disparos contra o policial, que não teve chance de defesa ou reação. Ele ainda foi socorrido e levado para o Hospital Estadual Carlos Chagas, mas não resistiu.

28 de Março: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Manguinhos, o cabo Robert foi atingido no abdômen e no braço esquerdo no Complexo de Manguinhos, em Bonsucesso, na Zona Norte do Rio. Os policiais verificavam denúncia de que havia um caminhão roubado na localidade conhecida como Varginha quando foram recebidos a tiros. Socorrido, ele foi levado para o Hospital Municipal Souza Aguiar, no Centro do Rio.

28 de Março: 1 PM baleado
Lotado no 41° BPM (Irajá), o cabo Antônio Pedro Mendes de Araújo foi baleado durante ataque de criminosos da facção Comando Vermelho (CV) que continuam controlando o tráfico de drogas no Complexo de Manguinhos, em Bonsucesso, na Zona Norte do Rio. O PM e seu colega de farda seguiam com uma mulher e uma criança para a Cidade da Polícia – onde está localizada a Central de Garantias – para registrar uma ocorrência quando a viatura em que estavam foi atacada pelos traficantes. Os dois policiais saíram da viatura para se abrigar e revidar e houve um intenso confronto. Atingido, o cabo Pedro foi socorrido por policiais da Coordenadoria de Operações e Recursos Especiais (Core) que passavam pelo local também a caminho da Cidade da Polícia e levado para o Hospital Municipal Souza Aguiar, no Centro. O soldado Azevedo permaneceu a todo tempo resguardando as vítimas e pedindo prioridade pelo rádio por não conseguir se aproximar do local em que o outro policial caiu. O cabo Pedro foi submetido a uma cirurgia e permanece internado em estado grave.

17629884_1386463458063786_8479699539654618780_n

28 de Março: 1 PM morto
Lotado no Grupo de Apoio à Promotoria (GAP), o subtenente Antônio Gonçalo dos Santos Filho, 54 anos, morreu após ser baleado ao ser identificado como policial, em Magé, na Baixada Fluminense. O PM abastecia seu veículo em um posto de combustíveis localizado na Avenida Simão da Mota, no Centro, quando quatro bandidos chegaram no estabelecimento. Ele ainda foi socorrido e levado para o Hospital Municipal de Magé, mas não resistiu.

29 de Março: 1 PM morto
Lotado no 39º BPM (Belford Roxo), o soldado Fábio de Oliveira Melo, 34 anos, morreu após ser baleado durante assalto na Avenida do Porto, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. Ele estava há quatro anos na corporação.

fernando

29 de Março: 1 PM morto
Lotado no 31º BPM (Recreio dos Bandeirantes), o soldado Fernando Santos Andrade e Silva morreu após ser baleado durante uma abordagem a criminosos, no Recreio dos Bandeirantes, na Zona Oeste do Rio. O PM, que trabalhava no Serviço de Inteligência (P-2) da unidade, ainda foi socorrido e levado para o Hospital Municipal Lourenço Jorge, na Barra da Tijuca, mas não resistiu.

17457505_1387766381266827_2605498667106425862_n

30 de Março: 1 PM morto
O subtenente reformado Almir Tadeu Alves de Oliveira, 57 anos, morreu após ser baleado ao tentar impedir um assalto no interior das Lojas Americanas, na Avenida 28 de setembro, em Vila Isabel, na Zona Norte do Rio.

17760146_1392426567467475_7977551365809181369_n

1º de abril: 1 PM morto e 1 PM baleado
Lotados no 24° BPM (Queimados), o soldado Gilberto Guimarães Pereira Corrêa, 38 anos, e o capitão Reis foram baleados durante incursão na Favela 40, em Japeri, na Baixada Fluminense. Os dois estavam de colete. O equipamento amorteceu o tiro que atingiu o oficial na barriga, mas o soldado Guimarães foi atingido na área lateral do abdômen, que o colete não protege, além do queixo. Os dois foram socorridos e levados para o Hospital Geral de Nova Iguaçu, na Posse. O capitão Reis recebeu alta após receber atendimento médico. O soldado Guimarães ainda permaneceu internado durante três dias, mas não resistiu e faleceu no dia 4 de abril.

1º de abril: 1 PM baleado
Lotado no 3° BPM (Méier), o cabo Dos Santos foi atingido no ombro e no peito durante operação na Favela Morada Carioca, no bairro Triagem. A ação tinha como objetivo reprimir um baile funk promovido por traficantes de drogas. Socorrido, o PM foi levado para o Hospital Municipal Salgado Filho, no Méier.

1º de abril: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Caju, o soldado Sílvio Gomes dos Santos foi atingido na perna ao reagir a um assalto, em Nilópolis, na Baixada Fluminense. O PM trafegava com a sua moto pela Rua João Moraes Cardoso quando foi abordado pelos assaltantes. Os bandidos fugiram e o soldado Gomes foi socorrido e levado para o Hospital Municipal Juscelino Kubitschek, no Centro. Ele não corre risco de morte.

3 de abril: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Cidade de Deus, um policial que não teve nome e nem patente divulgados foi baleado na localidade conhecida como Tangará, na Favela Cidade de Deus, em Jacarepaguá na Zona Oeste do Rio. Atingido no pé, o PM foi socorrido e levado para o Hospital Municipal Lourenço Jorge, na Barra da Tijuca.

17813880_1762733307370050_278822536_n

4 de abril: 1 PM morto
Lotado no 39°BPM, o sargento Sérgio Cordeiro da Silva, 48 anos, morreu após ser baleado por criminosos, em Belford Roxo, na Baixada Fluminense. Ele participava de blitz na via de acesso à Favela Parque Floresta, no bairro de mesmo nome, quando um veículo preto desobedeceu à ordem de parada e iniciou fuga em direção à comunidade. Os PMs saíram em perseguição e assim que entraram na favela foram surpreendidos por diversos disparos efetuados contra a viatura. Atingido na altura do pescoço, o sargento ainda foi socorrido e levado para o Hospital Geral de Nova Iguaçu, na Posse, mas não resistiu. Ele estava há 20 anos na corporação.

17796570_1393800273996771_1878257215528871687_n

4 de abril: 1 PM morto e 1 PM baleado
Adidos à Lei Seca, os sargentos Anselmo Alves Júnior e Mendes foram baleados durante operação, em Queimados, na Baixada Fluminense. A barreira estava montada na Avenida Marinho Hemetério de Oliveira, próximo à praça Nossa Senhora da Conceição, no Centro, quando os ocupantes do Honda Civic cinza placa KXC 5817 desobedeceram à ordem de parada e furaram o bloqueio efetuando disparos contra os agentes que estavam no local. Os policiais revidaram e houve confronto. Um dos bandidos foi atingido e morreu ainda no local. Um segundo foi preso e o terceiro conseguiu fugir, deixando os comparsas para trás. Os criminosos ainda não foram identificados.
Na ação, foi apreendida uma pistola. Os dois PMs foram socorridos mas o sargento Alves morreu a caminho da unidade de saúde. O sargento Mendes não corre risco de morte.

5 de abril: 1 PM baleado
Lotado no Centro de Suprimento de Material (CSM), o sargento Patrocínio foi baleado durante arrastão no acesso ao trecho Niterói-Manilha da BR-101, na altura do Piscinão de São Gonçalo, no bairro Boa Vista, em São Gonçalo. Ao perceber que seria abordado pelos criminosos, o sagento reagiu. Na troca de tiros, um ônibus da viação Mauá que passava pelo local foi atingido. Baleado na perna, o PM foi socorrido e liberado após receber atendimento médico.

walter pegas

6 de abril: 1 PM morto
O sargento reformado Walter Pegas de Oliveira morreu após ser vítima de bala perdida, em Campo Grande, na Zona Oeste do Rio. O PM estava na Rua Manoel Bitencourt quando bandidos atiraram contra os ocupantes do Sandero prata placa KPS 9628. Os baleados foram sequestrados pelos bandidos. No tiroteio, o policial, que estava na calçada de sua residência, acabou atingido no peito. Ele não resistiu.

BENEDITO

7 de abril: 1 PM morto e 1 PM baleado
O sargento reformado Benedito José Alvarenga da Silva morreu após ser baleado durante um assalto, no KM 282 da BR-101, na altura do bairro de Duques, em Itaboraí. Na ação criminosa, o sargento reformado José Antônio Moreira também foi atingido. Os criminosos fugiram levando o veículo dos PMs – um Gol – e as armas dos dois. Moradores da Região dos Lagos, os policiais chegaram a ser socorridos e levados para o Hospital Municipal Leal Júnior, onde o sargento Benedito não resistiu. Ele comemoraria aniversário de casamento neste sábado, dia 8, com uma festa para reunir familiares e amigos, em Iguaba.

8 de abril: 1 PM baleado
Lotado no 16°BPM (Olaria), o subtenente Rogê de Freitas Oliveira foi baleado ao reagir a assalto, no Quitungo, na Zona Norte do Rio. O PM estava na Rua Cacequi quando foi abordado por três criminosos armados. Sua arma falhou, ele entrou em luta corporal com os bandidos e acabou atingido por dois disparos na altura do peito. Os assaltantes fugiram levando o veículo do PM. Socorrido, o subtenente Rogê foi levado para o Hospital Estadual Getúlio Vargas, na Penha.

17799302_1399133610130104_7421475327094855396_n

9 de abril: 1 PM morto e 1 PM baleado
Lotados na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Lins, o soldado Anderson de Azevedo Marques, 31 anos, e o soldado Adriano foram baleados durante ataque de criminosos, no Engenho Novo, na Zona Norte do Rio. Os dois trafegavam pela Rua Barão do Bom Retiroquando desconfiaram dos ocupantes de uma moto. Na tentativa de abordagem, foram surpreendidos pela reação do carona, que efetuou diversos disparos contra a viatura. O soldado A. Marques foi atingido na cabeça e o soldado Adriano no braço. Duas pessoas foram vítimas de balas perdidas. Todos foram socorridos e levados para o Hospital Municipal Salgado Filho, no Méier. O soldado A. Marques não resistiu e faleceu durante a cirurgia.

17951478_1408199109223554_1109896775311980091_n

9 de abril: 1 PM morto e 1 PM baleado
Lotado no 20°BPM, o soldado Luís Otávio da Silva Júnior morreu após ser baleado durante ataque de criminosos à base destacada da 4 Cia (Marapicu), em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. Na ação criminosa, o soldado Luciano Correia Sobral também foi atingido. Ele e o soldado Otávio, que trabalhavam no Centro de Segurança Regional (CSR) Palhada, foram em apoio aos policiais da base da 4 Cia. No local, foram surpreendidos bandidos armados com fuzis e pistolas que passaram em quatro motos e efetuaram disparos contra os PMs. Atingido na femoral, o soldado Otávio teve a perna amputada. Uma campanha de doação de sangue chegou a ser realizada para ajudar o PM, que tinha perdido muito sangue. Ele permaneceu internado durante seis dias no Hospital Geral de Nova Iguaçu, na Posse, mas não resistiu aos ferimentos e faleceu, no dia 15. Ele estava na corporação há quatro anos.

14 de abril: 1 PM baleado
Lotado no 7° BPM (São Gonçalo), o cabo Adalberto foi baleado durante confronto com criminosos que estavam praticando assaltos na Avenida Paiva, no bairro Neves, em São Gonçalo. Os PMs realizavam patrulhamento de rotina quando se depararam com os assaltantes que estavam em um Hyundai I30. Atingido no ombro, o PM foi socorrido e levado para o Hospital Estadual Alberto Torres, no Colubandê.

18010093_1410284602348338_4638071651244104476_n

15 de abril: 1 PM morto
Lotado no Batalhão de Polícia de Choque (BPChoque), o soldado Carlos Roberto da Silva Ribeiro, 32 anos, morreu no Hospital Geral de Nova Iguaçu, na Posse, onde estava internado há três dias, após ter sido baleado ao impedir um assalto, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. Atingido no ombro e na perna, ele sofreu uma lesão na veia femural e estava internado desde então. O PM morreu no dia 17 de abril – três dias após seu filho ter nascido.

18 de abril: 1 PM baleado
Lotado no 3° BPM (Méier), o cabo Wellington Monteiro da Silva foi baleado durante incursão no Morro do Engenho da Rainha, no bairro Inhaúma, na Zona Norte do Rio. Integrante do Grupamento de Ações Táticas (GAT), ele participava de ação para resgatar o motorista de um caminhão da Coca-Cola que era mantido refém enquanto criminosos roubavam a carga. Atingido na perna, o PM ficou com o projétil alojado na coxa, um pouco acima do joelho. Ele foi socorrido e levado para o Hospital Municipal Salgado Filho, no Méier.

CAPPOLA

20 de abril: 1 PM morto
Lotado no 41º BPM (Irajá), o sargento Paulo Rogério Cappola, 40 anos, foi executado em Padre Miguel, na Zona Oeste do Rio. O PM conduzia seu Peugeot 406 pela Rua Itacava quando, na altura da Rua Oliveira Ribeiro, foi surpreendido pelos ocupantes de um veículo de modelo, cor e placa não anotados. Os criminosos efetuaram diversos disparos e o policial não teve chance de defesa ou reação. Ele estava há 18 anos na corporação.

22 de abril: 1 PM baleado
Lotado no 12° BPM (Niterói), o soldado W. Gomes foi baleado durante incursão na Favela Nova Brasília, na Engenhoca, na Zona Norte de Niterói. Atingido na perna, ele foi socorrido e levado para o Hospital Estadual Azevedo Lima, no Fonseca.

deodato

23 de abril: 1 PM morto
O subtenente reformado Márcio José Deodato morreu após ser baleado, na Pavuna, na Zona Norte do Rio. O PM estava na Rua Judith Guerra quando foi surpreendido pelos criminosos.

pm

24 de abril: 1 PM morto
Lotado no 25º BPM (Cabo Frio), o sargento André Luiz Perez Fernandes, 43 anos, foi assassinado, em Cabo Frio, na Região dos Lagos. O corpo do PM – com três marcas de tiros – foi encontrado em Unamar. Ele tinha trabalhado normalmente, no rancho do batalhão, na véspera.

24 de abril: 2 PMs baleados
Lotados no Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope), os cabos Rodrigo Gomes da Silva e Matheus Bastos de Assis foram baleados durante confronto com traficantes que continuam atacando PMs que tentam se aproximar da Praça do Samba, na localidade conhecida como Alvorada, na Favela Nova Brasília. O ponto onde a primeira parte da cabine está instalada já é conhecido como “Curva da Morte”. Uma ação foi iniciada na manhã desta segunda-feira, dia 24 de abril, para levar a segunda parte do equipamento.
O cabo Gomes foi atingido na perna direita e seu estado de saúde é estável. Já o cabo Bastos – baleado no rosto e no braço direito – está em estado grave.

18118701_1421942664515865_2923287058263780863_n

25 de abril: 1 PM morto
Lotado no 7° BPM (São Gonçalo), o tenente Giovani Guimarães Lemos, 49 anos, foi baleado durante assalto, no bairro Zé Garoto, em São Gonçalo. O PM trafegava pela Rua Capitão Alonso Faria quando foi abordado por três assaltantes. Ele reagiu e conseguiu alvejar um dos bandidos – que morreu ainda no local – mas acabou atingido na cabeça, sofrendo perda encefálica. O crime ocorreu em frente à Sociedade Beneficente Maçônica Evolução Gonçalense. Pessoas que estavam reunidas na loja saíram e socorreram o oficial, o levando até o Pronto Socorro de São Gonçalo (PSSG) – localizado a poucos metros de distância. Ele recebeu os primeiros atendimentos e foi transferido para o Hospital Estadual Alberto Torres, no Colubandê, onde permaneceu internado no Centro de Tratamento Intensivo (CTI), mas não resistiu ao ferimento e faleceu no dia 27 de abril.

18119276_1385807481481171_6579161053861664970_n

27 de abril: 1 PM morto
Lotado no 20º BPM (Mesquita), o subtenente Carlos Alberto Domingos da Silva, 32 anos, morreu após ser baleado na Vila Sarapuí, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. O PM estava em um estabelecimento comercial na Rua Tocantins, em frente à garagem da autoviação Santo Antônio, na altura da Favela Paraobepa, quando ocupantes de um um Nissan Tida vermelho passaram e efetuaram diversos disparos contra ele.

28 de abril: 1 PM morto
Lotado no 18°BPM, o sargento Alex Sandro da Silva Viana morreu após ser baleado por um assaltante, no bairro Pechincha, na Zona Oeste do Rio. Trabalhando no Serviço de Inteligência (P-2) da unidade, ele estava em uma viatura descaracterizada junto com colegas de farda e passava pela Estrada do Pau Ferro, quando o trânsito parou. Logo depois, um criminoso em uma moto chegou. Quando tentou abordar o veículo, o sargento Sandro desceu do carro tentando surpreendê-lo e chegou a trocar tiros com ele, mas acabou baleado. Atingido no peito, o PM foi socorrido pelos outros policiais e levado para o Hospital Municipal Lourenço Jorge, na Barra da Tijuca, mas não resistiu.
O criminoso fugiu levando a arma do sargento.

18157390_1424175810959217_6734440034765827506_n

29 de abril: 1 PM morto e 2 PMs baleados
Lotado no 41° BPM (Irajá), o soldado Albert Souza Ferreira morreu após ser baleado em Irajá, na Zona Norte do Rio. Lotados respectivamente na Diretoria Geral de Pessoal (DGP) e no 15° BPM (Duque de Caxias), o subtenente Senra e o soldado Renato Campos dos Santos também foram atingidos. Os três estavam na casa de um sargento lotado no Batalhão de Policiamento em Áreas Turísticas (BPTur) e participavam de uma confraternização quando um Citroën C3 prata parou na Rua Amandiu. Três bandidos armados desceram do veículo, efetuaram disparos em direção à festa e fugiram pela Avenida Monsenhor Félix, onde abandonaram o veículo. Além dos três PMs uma quarta vítima ficou ferida no tiroteio – o pintor Márcio Castro dos Santos, 38 anos. Atingido na omoplata, ele foi socorrido e levado para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Irajá. O soldado Albert foi levado para a mesma unidade de saúde, mas não resistiu. Baleado na perna, o subtenente Senra foi atendido no Hospital Climede (Clínica Médica Domiciliar e de Emergência). Já o soldado Campos, atingido de raspão nas costas, recebeu atendimento médico no Hospital Estadual Getúlio Vargas, na Penha, sendo liberado em seguida.

30 de abril: 1 PM baleado
Lotado no 5° BPM (Praça da Harmonia), um policial foi atingido de raspão na perna durante ataque de criminosos à viatura em que ele estava, na Zona Portuária do Rio. Bandidos do Morro do Livramento efetuaram diversos disparos contra os PMs que realizavam patrulhamento de rotina e passavam próximo à Ladeira do Livramento. Equipes do Patrulhamento Tático Móvel (Patamo), Supervisão de Oficial e viaturas da região foram em apoio. Houve confronto nas imediações das ruas Camerino e Sacadura Cabral.

1° de maio: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Prazeres, o soldado Alan de Oliveira Rangel foi baleado durante assalto, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. O PM estava acompanhado por um amigo, que também foi atingido. Os dois estavam na esquina da Rua 2 com a Estrada de Camboatá quando foram abordados pelos assaltantes. Atingido de raspão no rosto, o policial sofreu fissura no crânio. Ele e o amigo foram socorridos e levados para o Hospital Estadual Adão Pereira Nunes, em Saracuruna. Ainda não há informações sobre o estado de saúde deles.

1° de maio: 1 PM baleado
Lotado no Batalhão de Policiamento em Vias Especiais (BPVE), o cabo Reis foi baleado por criminosos na Linha Vermelha, na altura da Favela Parada de Lucas, na Zona Norte do Rio. Atingido no peito, ele foi salvo pelo colete balístico. Ele também foi ferido por estilhaços no rosto, mas não corre risco de morte. O cabo Reis e a sargento Nelian realizavam patrulhamento de rotina quando ouviram no rádio da corporação um alerta sobre o Ford EcoSport prata placa KXG 6295, de Nova Iguaçu, que constava como roubado e estava circulando na região. Assim que avistaram o veículo, os PMs deram ordem de parada, mas os bandidos não obedeceram e iniciaram fuga enquanto efetuavam disparos contra a viatura – que ficou com perfurações no parabrisas e no radiador.

1° de maio: 2 PRFs baleados
Lotados na 1ªDPRF, os inspetores da Polícia Rodoviária Federal (PRF) Rodrigo Eloy e Dos Reis foram baleados por criminosos na Rodovia Presidente Dutra (BR-116), na altura da Favela Vigário Geral, na Zona Norte do Rio. Os policiais realizavam perseguição a veículos que haviam sido roubados com a participação de bandidos em um Jeep Renegade vermelho. Quando perceberam o cerco, os assaltantes se separaram. Na tentativa de fuga, um dos carros retornou na contramão, batendo contra um automóvel que trafegava na via. Eles desceram do veículo efetuando disparos contra os agentes, enquanto os comparsas escaparam seguindo em direção à Cooperativa Brasileira dos Transportadores Rodoviários Autônomos de Bens (Cobrascam). O inspetor Rodrigo Eloy foi atingido no lado direito do pescoço e o inspetor Dos Reis foi aparentemente alvejado duas vezes. Eles receberam os primeiros socorros em uma ambulância da concessionária CCR e foram levados para o Hospital Estadual Getúlio Vargas, na Penha.

2 de maio: 3 PMs baleados
Lotados no 16° BPM (Olaria), três policiais que não tiveram nomes e patentes divulgados foram baleados durante incursão na Favela Cidade Alta, em Cordovil, na Zona Norte do Rio. Nenhum com gravidade.

2 de maio: 1 PM baleado
Lotado no 7° BPM (São Gonçalo), o cabo Santos foi atingido na cabeça durante patrulhamento no bairro Santa Luzia. O projétil – que ficou preso na pele – foi retirado na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Santa Luzia. O PM – que trabalha no Patrulhamento Tático Móvel (Patamo) Santa Isabel – já está em casa.

18221602_1427568573953274_8880946128494744548_n

2 de maio: 1 PM morto
O subtenente reformado Almir Oliveira de Mattos foi assassinado dentro de sua residência, no bairro Visconde, em Itaboraí. Um dos suspeitos de envolvimento no crime é o filho do PM, que, segundo policiais do 35°BPM, teria envolvimento com o tráfico de drogas. Policiais da Divisão de Homicídios de Niterói e São Gonçalo (DH-Nit/SG) vão investigar a denúncia que afirma que foi o filho quem pegou as armas do pai e cometeu o crime com os comparsas conhecidos como Pato e o irmão de Carlinho Bolinha. O policial chegou a ir até a P-2 do batalhão de Itaboraí com o filho, garantiu que ele não estava mais se envolvendo com coisas erradas e pediu desculpas aos colegas de farda – que tinham efetuado a prisão de um criminoso e acharam no aparelho de telefone celular dele várias fotos do filho do PM “formando na boca”.

18221640_1430339767009488_5975582291785375104_n

5 de maio: 1 PM morto
Lotado na Subsecretaria Militar da Casa Civil, no Palácio Guanabara, o sargento Marcos Braz de Moraes, 43 anos, morreu ao ser baleado durante assalto na subida da Ponte Rio-Niterói. O PM trafegava em sua moto Honda CBR 1000 branca placa MTO 1073 quando foi abordado pelos criminosos, que tentaram levar seu veículo.

pitta

6 de maio: 1 PM morto
O subtenente da reserva Carlos Alberto Pitta foi baleado durante tentativa de assalto, em Bento Ribeiro, na Zona Norte do Rio. O crime ocorreu na Rua Antônio Rapozo e os bandidos fugiram levando a arma do PM – que foi atingido na cabeça, no pescoço, no tórax e na perna. Socorrido, ele foi levado para o Hospital Estadual Carlos Chagas, em Marechal Hermes. Testemunhas contaram a policiais do 9º BPM (Rocha Miranda) que os criminosos fugiram em um Vectra chumbo e um Voyage verde. Ele ainda permaneceu três dias internado, mas não resisitiu e faleceu no dia 9 de maio.

7 de maio: 1 PM baleado
Lotado no 32° BPM (Macaé), o soldado Allan Francisco Santos de Souza foi baleado no bairro Guarus, em Campos. Atingido no tórax e no braço, ele foi socorrido e levado para o Hospital Municipal Ferreira Machado, no Centro. O incidente ocorreu na Favela Parque Prazeres e um amigo do PM que o acompanhava também ficou ferido. Identificado como Johnatan Alves Santana, 30 anos, ele foi baleado na perna. A mulher do policial, que estava no carro, não sofreu ferimentos. Segundo as primeiras informações, Johnatan teria se assustado quando os assaltantes abordaram o carro em que eles estavam e os criminosos então atiraram contra o veículo. Neste momento o policial teria sacado sua arma e reagido à agressão. Um dos bandidos foi atingido e morreu ainda no local. O PM foi socorrido por uma ambulância do Corpo de Bombeiros e o amigo dele, por uma equipe do Serviço de Inteligência (P-2) do 8° BPM (Campos). A arma do policial foi roubada e o carro dele, que ficou no local, depredado por moradores.

7 de maio: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Arará/Mandela, o cabo Gutemberg foi baleado durante ataque de criminosos da facção Comando Vermelho (CV) que continuam controlando o tráfico de drogas no Complexo de Manguinhos, em Bonsucesso, na Zona Norte do Rio. Atingido próximo ao joelho, o PM não corre risco de morte.

18301115_1432738360102962_8525340173373945483_n

8 de maio: 1 PM morto
Lotado no 40° BPM (Campo Grande), o soldado Flávio Bruno Braga Galdino morreu após ser baleado em Campo Grande, na Zona Oeste do Rio. O PM teria sido atingido após sair da boate Coliseum, localizada na Rua Baicurú. Segundo as primeiras informações, após uma briga no interior do estabelecimento, frequentadores do local teriam continuado a confusão do lado de fora e o policial acabou atingido. Ele ainda foi socorrido e levado para o Hospital Estadual Rocha Faria, mas não resistiu. Pouco depois, deu entrada no Hospital Municipal Pedro II, em Santa Cruz, também na Zona Oeste, Raphael Sampaio Augusto. Baleado nas costas, ele alegou ter sido vítima de uma tentativa de assalto em Sepetiba. A Polícia investiga se ele teve envolvimento no assassinato do soldado Galdino.

9 de maio: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Lins, o soldado Sepúlveda foi baleado durante ataque de criminosos da facção Comando Vermelho (CV) que continuam controlando o tráfico de drogas no Complexo do Lins, no bairro Lins de Vasconcelos, na Zona Norte do Rio. Socorrido, o PM foi levado para o Hospital Municipal Salgado Filho, no Méier.

18403493_1870215189671200_7283253548031311514_n

11 de maio: 1 PM morto
Lotado no 9º BPM (Rocha Miranda), o soldado Marcos Vinícius Borges Santana morreu após ser baleado em Marechal Hermes, na Zona Norte do Rio. Ele estava acompanhado pelo ex-bombeiro Wallace Castro – expulso da corporação por acusações de envolvimento com milícia e que também morreu. O crime foi praticamento por homens encapuzados, na Avenida General Osvaldo Correia de Farias, próximo à praça Montese.

12 de maio: 1 PM morto
O subtenente reformado da PM Valmir dos Santos Tavares, 70 anos, morreu após ser baleado no bairro Jurujuba, em Niterói. O PM tinha acabado de sair de uma barbearia e caminhava pela Travessa Gonçalo Ferreira, entre praça e a igreja do bairro, quando foi surpreendido por dois homens armados em uma moto.

18402817_1870832609609458_3154313077581903728_n

12 de maio: 1 PM morto
Lotado no 31º BPM (Recreio dos Bandeirantes), o sargento Emílio de Jesus Monteiro, 47 anos, morreu após ser baleado durante um assalto, em Santa Cruz, na Zona Oeste do Rio. O PM aguardava a saída de uma amiga na Faculdade Estácio, na Rua Lemos, quando foi abordado pelo criminoso. Ele ainda trocou tiros com o bandido, mas acabou atingido na cabeça e não resistiu. O assaltante – identificado como Antônio César Alves, 41, conseguiu fugir levando a arma do PM mesmo baleado depois de fazer um morador refém e obrigá-lo a levá-lo até Mangaratiba. Ele – que já tinha anotações criminais por crimes como homicídio, tráfico de drogas e assalto à mão armada – acabou preso no Hospital Municipal Victor de Souza Breves, no Centro de Mangaratiba. A arma do sargento foi recuperada e a arma utilizada pelo bandido foi apreendida.

16 de maio: 2 PMs baleados
Lotados no 18° BPM (Jacarepaguá), o sargento Furtado e o cabo Enes foram baleados por criminosos da facção Comando Vermelho (CV) que continuam controlando o tráfico de drogas na Favela Cidade de Deus, em Jacarepaguá, na Zona Oeste do Rio. Os PMs, que trabalham no Patrulhamento Motorizado Especial (Pamesp) Gardênia, se depararam com um “bonde” que atravessava para a localidade conhecida como Bariri. Armados com fuzis, os bandidos atiraram contra a viatura. Um dos disparos atingiu a lataria do carro, atravessando a perna do sargento Furtado e atingindo de raspão o cabo Enes, que era o motorista. Os dois foram socorridos e levados para o hospital.

18556201_1885275021498550_4405073822642643743_n

18 de maio: 1 PM morto
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Formiga, o soldado Rafael Carvalho Alves Pinheiro foi baleado durante tentativa de assalto, em Vicente de Carvalho, na Zona Norte do Rio. A esposa do PM, identificada como Patrícia Marques Ribeiro de Melo Pinheiro, também ficou ferida na ação criminosa. Ela foi atingida nas costas, enquanto ele foi baleado no peito, no pescoço e na mão. Os dois foram socorridos e levados para o Hospital Estadual Getúlio Vargas, na Penha. O PM ainda ficou quatro dias internado, mas não resistiu aos ferimentos.

18527796_1442857719091026_2911990439238159007_n

19 de maio: 1 PM morto
Lotado no 15° BPM (Duque de Caxias), o soldado João Vitor da Silva Pereira, 31 anos, morreu após ser baleado durante ataque de criminosos da facção Comando Vermelho (CV) que controlam o tráfico de drogas na Favela do Lixão, no Centro, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. O PM trabalhava no Patrulhamento Motorizado Especial (Pamesp) Laguna. Ele realizava patrulhamento de rotina e passava pela Rua Manoel Teles quando, em frente a um dos acessos à favela, a viatura foi atacada. Ele e o colega de farda desceram do veículo para se abrigar e no momento em que o soldado Vitor pegou o aparelho de telefone celular para ligar para o Oficial de Operações foi atingido. O PM foi socorrido e levado para o Hospital Municipal Dr Moacyr Rodrigues do Carmo, no bairro Parque Beira-Mar, mas não resistiu.

20 de maio: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Nova Brasília, o soldado H. Ribeiro estava no baseamento na localidade conhecida como Praça do Índio, no Beco do Gesso, quando traficantes efetuaram diversos disparos. Atingido na coxa, ele foi socorrido e levado para o Hospital Estadual Getúlio Vargas, na Penha.

27 de maio: 1 PM morto
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Rocinha, o cabo Daniel dos Santos e Silva, 29 anos, foi morto no Parque Roseiral, em Belford Roxo, na Baixada Fluminense. Ele deixou esposa e uma filha de apenas 10 meses de vida.
Promovido a cabo meses antes de morrer, Daniel – que já havia sido paraquedista do Exército – estava acompanhado por amigos atrás de um balão quando entraram na favela sem perceber. Ele estava armado e acabou sendo identificado como policial. Separado dos amigos, que acabaram liberados pelos criminosos, Daniel levou vários tiros. Os bandidos também roubaram a pistola dele. Ele chegou a ser resgatado com vida por policiais do 39°BPM e levado para o Hospital Estadual Adão Pereira Nunes, em Saracuruna, em Duque de Caxias, mas não resistiu aos ferimentos.

21 de maio: 1 PM baleado
Lotado no 15° BPM (Duque de Caxias), o subtenente Cláudio Ventura da Silva, 46 anos, foi baleado durante tentativa de assalto, no Riachuelo, na Zona Norte do Rio. O PM estava próximo ao supermercado Prix, na Rua 24 de Maio, quando houve a abordagem criminosa. Atingido na perna, o sargento sofreu fratura na tíbia.
Os bandidos estavam no Honda Civic prata placa LSH 4902 – roubado na área da 18DP. O automóvel foi abandonado no local.

28 de maio: 1 PM baleado
Lotado no 9° BPM (Rocha Miranda), o soldado Sidnei foi baleado durante um ataque de criminosos à viatura em que ele estava, em um baseamento em Vaz Lobo, na Zona Norte do Rio. A viatura estava em um ponto fixo de visibilidade, no encontro da Avenida Ministro Edgar Romero com a Rua Lima Drumond, quando os ocupantes de um Toyota Corolla preto passaram efetuando diversos disparos e fugiram em direção à Madureira. Atingido no braço direito e de raspão na cabeça, o PM foi socorrido e levado para o Hospital Estadual Carlos Chagas, em Marechal Hermes. Ele não corre risco de morte.

30 de maio: 4 PMs baleados
Lotados na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Nova Brasília, o tenente Bueno, o cabo Folly e os soldados Vaz e Alair foram baleados na localidade conhecida como Capão. Um deles foi atingido na coxa, outro na panturrilha, o terceiro de raspão na cabeça e o último foi ferido por estilhaços no rosto.

7odqm8dqrm2uu293odqsg981b

1 de junho: 1 PM morto
Lotado no Grupamento Especial de Policiamento em Estádios (GEPE), o sargento Rubens Nei Bernardo Venceslau, 44 anos, morreu após ser baleado durante um assalto, no bairro Rocha, na Zona Norte do Rio. Os criminosos abordaram o PM na Rua do Rocha e fugiram levando a moto do sargento, que ainda foi socorrido e levado para o Hospital Municipal Salgado Filho, no Méier, mas não resistiu.

1 de junho: 1 PM baleado
Lotado no Batalhão de Policiamento em Grandes Eventos (BPGE), o soldado Felipe Augusto Soares Alves, 29 anos, foi baleado durante ataque de criminosos. O PM estava de serviço. O incidente ocorreu na Rua Barão de São Félix – atrás do Comando Militar do Leste (CML) e em frente à sede da secretaria de Estado de Segurança Pública. Atingido no tornozelo direito, ele foi socorrido e levado para o Hospital Municipal Souza Aguiar, no Centro, sendo posteriormente transferido para o Hospital Central da Polícia Militar (HCPM), no Estácio. O policial não corre risco de morte.

pveaqqcf4_66ixq3twvm_file

2 de junho: 1 PM morto
Lotado no 11º BPM (Nova Friburgo), o cabo Gláucio Luiz Gonçalves Carvalho, 31 anos, morreu após ser baleado ao tentar impedir um assalto, em Bom Jardim, na Região Serrana do Rio. O PM tentou impedir que um fazendeiro de café fosse assaltado por seis criminosos, no bairro Ponte Berçot, e acabou atingido.

9 de junho: 2 PMs baleados
Lotados no 7° BPM (São Gonçalo), os soldados Fagner e Palhares foram baleados durante confronto no Complexo da Coruja, no bairro Vila Lage, em São Gonçalo. Socorridos, os dois foram levados para o Hospital Estadual Alberto Torres, no Colubandê. Eles não correm risco de morte. Um foi atingido no rosto e o outro na perna.

19105669_1466434500066681_1104056844158754554_n

10 de junho: 1 PM morto
Lotado no 17° BPM (Ilha do Governador), o cabo Thiago Araújo Cardoso de Sá foi baleado ao reagir a uma tentativa de assalto, em Madureira, na Zona Norte do Rio. Os criminosos o abordaram na Avenida Edgard Romero, próximo à estação BRT Otaviano. Socorrido, o PM foi levado para o Hospital Municipal Salgado Filho, no Méier. Ele permaneceu internado durante dois dias mas não resistiu aos ferimentos e faleceu no dia 12 de junho.

19030759_1468004869909644_6931265843908846896_n

11 de junho: 1 PC morto
O inspetor aposentado da Polícia Civil Evandro Luiz Ferreira morreu após ser baleado por traficantes no Fonseca, na Zona Norte de Niterói. Ele se dirigia para sua casa, na Rua Alzira Vargas – atrás da Unidade Prisional da PMERJ e a poucos metros da 78ª DP (Fonseca) – quando se deparou com uma barreira de cerca de dez criminosos armados. Com medo de ser vítima de covardia ao ser reconhecido como policial e para resguardar a esposa que o acompanhava, ele acelerou e ultrapassou a barricada. Os bandidos efetuaram diversos disparos. Pelo menos dez tiros atingiram a lataria do veículo, mas ele conseguiu continuar conduzindo o automóvel até próximo de sua residência. O inspetor ainda foi socorrido e levado para o Hospital Estadual Azevedo Lima, mas não resistiu. A esposa dele nada sofreu. Aposentado desde 2005 – após 26 anos dedicados à missão de defender e proteger a sociedade -, o policial trabalhou em delegacias de Niterói, São Gonçalo e Itaboraí e sua última lotação foi na 73ª DP.

11 de junho: 1 PM baleado
Lotado no 12° BPM (Niterói), o cabo Dominique foi baleado ao tentar escapar de um assalto, em Itaboraí. O PM e um amigo estavam na Avenida 22 de Maio, no bairro Venda das Pedras, quando notaram criminosos saindo da Favela da Reta em um Logan prata. Quando perceberam que seriam abordados, eles correram e os bandidos efetuaram disparos contra os dois. Atingido no pescoço, o PM foi socorrido e levado para o Hospital Municipal Desembargador Leal Júnior, no bairro Nancilândia. O amigo dele, atingido na perna, foi conduzido à mesma unidade de saúde. Eles não correm risco de morte.

12 de junho: 1 PM baleado
Lotado no 18° BPM (Jacarepaguá), o soldado Salvador foi baleado durante ataque de criminosos da facção Comando Vermelho (CV) que continuam controlando o tráfico de drogas na Favela Cidade de Deus, em Jacarepaguá, na Zona Oeste do Rio. Atingido de raspão na cabeça, o PM foi socorrido e levado para o Hospital Municipal Lourenço Jorge, na Barra da Tijuca.

14 de junho: 1 PM baleado
Lotado no 23° BPM (Leblon), o sargento Robson Vianna foi baleado durante perseguição a criminosos, na Zona Sul do Rio. Os PMs realizavam patrulhamento de rotina e passavam pelo Jardim Botânico quando se depararam com os bandidos, que haviam acabado de roubar um carro. Ao notar a presença da viatura, os assaltantes efetuaram diversos disparos, dando início a uma perseguição que terminou na Vista Chinesa, onde os criminosos capotaram após perder o controle da direção do veículo. Depois de novamente atirar contra os policiais, os criminosos conseguiram fugir. O PM foi socorrido e levado para o Hospital Municipal Miguel Couto, na Gávea. Ele perdeu a visão do olho esquerdo.

c11c5197-9d94-4b54-a61a-44e26ccb6b6a

14 de junho: 1 PM morto
Lotado no 16° BPM (Olaria), o soldado Caio Fernando Guimarães Netto foi assassinado na Ilha do Governador, na Zona Norte do Rio. O corpo dele foi encontrado na Estrada de Tubiacanga, ao lado do posto do Departamento de Trânsito (Detran). A Polícia apura a denúncia de que o PM foi baleado e morto no Morro do Barbante e a mando do chefe do tráfico local, teve seu corpo jogado fora da favela para não atrair incursões. O soldado ainda teria conseguido atirar e matar dois traficantes antes de ser executado.

19224901_1471751382868326_8397049855054088889_n

14 de junho: 1 PM morta
Lotada na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Rocinha, a soldado Franciene Soares de Souza, 27 anos, morreu após ser baleada diversas vezes por criminosos que executaram Haylton Carlos Gomes Escafura, 36, na Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio. Filho do contraventor José Caruzzo, o Piruinha, ele estava em um apart hotel na Avenida Gastão Senges quando bandidos entraram no Hotel Transamérica pela garagem. Ele e a PM – que estava na corporação desde 2014 e já tinha sido guarda municipal – ainda tentaram se proteger no banheiro, mas os assassinos efetuaram diversos disparos que atravessaram a porta. Foram arrecadados cápsulas de fuzil 556 e de pistola no apartamento. A PM deixou uma filha de 6 anos – que já tinha perdido o pai (também PM) antes de nascer.

19144003_1921818107844241_8563022591469918226_o

15 de junho: 1 PM morto
Lotado no Centro de Fisiatria e Recuperação da Polícia Militar (CFRPM), o sargento Milton Carlos Alves de Oliveira, 55 anos, morreu após ser baleado durante um assalto, em Brás de Pina, na Zona Norte do Rio. O PM passava pela Rua Santo Amaro, próximo à Praça Passa Tempo, quando foi abordado pelos criminosos – que fugiram levando a arma e o carro do sargento. Ele ainda foi socorrido e levado para o Hospital Estadual Getúlio Vargas, na Penha, mas não resistiu.

16 de junho: 1 PM baleado
Lotado no 12° BPM (Niterói), o soldado Alexandre de Paiva Pimenta foi baleado durante assalto, em Itaboraí. O PM foi surpreendido pelos criminosos em uma rua próximo ao Destacamento de Policiamento Ostensivo (DPO) do Apolo.

16 de junho: 1 PM baleado
Lotado no 19° BPM (Copacabana), o cabo Douglas Santos da Silva foi baleado ao reagir a um assalto na saída de uma festa, no bairro Laranjal, em São Gonçalo. O policial tinha saído do Sítio Pinheiro, na Avenida Bispo Dom Mamede, e passava pela rua ao lado do motel Chanceler quando foi abordado por três criminosos em um Palio prata. O PM ainda conseguiu atingir um dos assaltantes – identificado como Jean Carlos da Silva Muniz Farias, 26 anos, e localizado horas depois no Pronto Socorro de São Gonçalo (PSSG), no Zé Garoto. Atingido no abdômen, o cabo Duarte teve o baço removido durante cirurgia para conter o sangramento. Ele permanece internado.

19396827_1473433139366817_8515898541503917127_n

17 de junho: 1 PM morto
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Parque Proletário, o cabo Ewerton Hudson Bispo da Rocha, 37 anos, morreu após ser baleado durante um assalto, em Nilópolis, na Baixada Fluminense. O PM parou em uma padaria próximo à sua residência para tomar café, na Rua Antônio Félix, no bairro Nossa Senhora de Fátima, quando três homens armados entraram no estabelecimento e anunciaram um assalto. O cabo Bispo reagiu e chegou a entrar em luta corporal com um deles, mas acabou baleado por um dos comparsas do bandido. Os criminosos fugiram levando a arma do PM. No local foram arrecadados dois carregadores de pistola sem munições.

19 de junho: 1 PM baleado
Lotado no 12° BPM (Niterói), o sargento Wanderson Soares Nunes foi baleado ao reagir a um assalto na Rua Jayme de Figueiredo, no bairro Porto da Pedra, em São Gonçalo. O PM foi abordado por dois criminosos em uma moto e ainda conseguiu acertar um deles. Mesmo assim, os bandidos conseguiram fugir. Atingido na perna, o sargento Nunes foi socorrido por um taxista e levado para o Hospital Estadual Alberto Torres, no Colubandê. Ele não corre risco de morte.

19 de junho: 1 PM baleado
Lotado no 12º BPM (Niterói), o soldado José Alexandre Pereira dos Santos foi baleado de raspão nas costas e ficou ferido no rosto e nos braços por estilhaços de vidro, no bairro Colubandê, em São Gonçalo. O PM reagiu a uma tentativa de assalto no interior da Central de Abastecimento (Ceasa). Ele também conseguiu balear um dos assaltantes, mas ele fugiu com ajuda de comparsas.

19 de junho: 1 PM baleado
Lotado no 25° BPM (Cabo Frio), o soldado Daniel Lage Lima foi baleado durante um assalto, no bairro Laranjeiras, na Zona Sul do Rio. O PM conduzia seu veículo e passava pela Rua Cosme Velho, quando parou em um sinal próximo ao Colégio São Francisco de Paula. No momento em que ele aguardava o sinal abrir para seguir viagem, três criminosos se aproximaram e anunciaram o roubo. O soldado Lage reagiu, mas a munição da sua arma “trepou” na câmara, e os bandidos acabaram atirando e o atingindo no tórax. Ele foi socorrido e levado para o Hospital Adventista Silvestre. A arma dele – uma pistola Taurus 380 – não foi levada pelos assaltantes, que conseguiam fugir.

20 de junho: 1 PM baleado
Lotado no 16° BPM (Olaria), o soldado Cristiano Cardoso Félix foi baleado em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. O PM passava pelo Viaduto da Posse quando foi abordado por dois homens armados em uma moto. Atingido no braço esquerdo, ele foi socorrido e levado para o Hospital Geral de Nova Iguaçu.

20 de junho: 1 PM baleado
Lotado no 2° BPM (Botafogo), o sargento Louzada tentava prender criminosos que estavam praticando assaltos na Rua das Laranjeiras, nas Laranjeiras, na Zona Sul do Rio. quando foi atingido na perna por bandidos que estavam em uma moto. Socorrido, o sargento​ foi levado para o Hospital Central da Polícia Militar (HCPM), no Estácio.

23 de junho: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Arará e adido à CIA Maré, o soldado Roberto Luiz de Souza Júnior foi baleado ao reagir a um assalto, em Realengo, na Zona Oeste do Rio. O PM trafegava pela Avenida Santa Cruz, próximo á Rua Limites, em seu veículo – um Honda Civic preto – quando parou em um sinal e foi surpreendido pelos ocupantes de um Voyage preto que pararam ao lado do carro dele e anunciaram o roubo. O policial reagiu e houve confronto. Na troca de tiros, acabou atingido no braço direito. Ele recebeu atendimento médico no Hospital Estadual Albert Schweitzer e não corre risco de morte.

fotosargento

29 de junho: 1 PM morto
Lotado no Hospital Central da Polícia Militar (HCPM), o sargento Márcio Rodrigues de Castro, 44 anos, morreu após ser baleado durante assalto na Avenida Teixeira de Castro, em Bonsucesso, na Zona Norte do Rio. Ele chegou a ser socorrido e levado para o Hospital Geral de Bonsucesso, mas não resistiu.

CASSIO

30 de junho: 1 PM morto
Lotado no 24º BPM (Queimados), o cabo Rafael Cássio Campos de Abreu foi assassinado a tiros e teve seu corpo incendiado, em Santa Cruz, na Zona Oeste do Rio. O corpo do PM estava no porta-malas de um Hyundai prata na Estrada de Urucânia, próximo à linha férrea. Proprietário de uma loja, ele foi abordado por quatro criminosos em duas motos quando saía do estabelecimento. Um dos suspeitos desembarcou e rendeu o policial para roubar a moto, quando viu que ele estava armado. O bandido então gritou para seus comparsas que se tratava de um PM. Mais de um dos bandidos fez disparos contra o agente, que teve sua arma levada pelos suspeitos.

1456087_1381875285397479_964467444_n

1 de julho: 1 PM morto
Lotado no 31º BPM (Barra da Tijuca), o cabo Leandro Nascimento Thasmerão, de 35 anos, morreu após ser baleado ao reagir a um assalto, na Rua Maria Antônia, no bairro Engenho Novo, na Zona Norte do Rio.

2 de julho: 1 PM morto
Lotado no 15º BPM (Duque de Caxias), o sargento Olivar Teixeira dos Santos, 42 anos, morreu após ser baleado durante incursão no Morro Vai Quem Quer, no bairro Vila São Judas Tadeu, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. O PM chegou a ser levado para o Hospital Estadual Adão Pereira Nunes, mas não resistiu aos ferimentos. Ele estava na corporação desde 1998 e deixou esposa e filhos.

4 de julho: 1 PM baleado
Subcomandante da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Camarista Méier, o tenente Marco Luiz foi baleado durante ataque de criminosos que continuam controlando o tráfico de drogas no Complexo do Lins, no bairro Lins de Vasconcelos, na Zona Norte do Rio. O ataque ocorreu na localidade conhecida como Boca do Mato. Durante o tiroteio, a estudante Vanessa dos Santos, 11 anos, também foi atingida. Ela foi socorrida e levada para o Hospital Municipal Salgado Filho, no Méier, mas não resistiu. Atingido no ombro, o PM foi levado para o Hospital Naval Marcílio Dias, onde está sendo submetido a uma cirurgia.

5 de julho: 2 PMs baleados
Lotados no Batalhão de Policiamento em Vias Especiais (BPVE), os sargentos Augusto e Alex foram baleados durante ataque de criminosos na Favela Vila Kennedy, em Bangu, na Zona Oeste do Rio. Os PMs, que trabalham na Moto Patrulha de Trânsito (Mostram), seguiam sentido Zona Oeste da Avenida Brasil quando, na altura da Praça da Vila Kennedy, foram atacados por bandidos que estavam em motos. Atingido no abdômen, o sargento Augusto foi salvo pelo colete, que segurou o projétil. Já o sargento Alex foi atingido de raspão no capacete e sofreu apenas escoriações no rosto.

19748670_1496301150413349_5541578083396263762_n

6 de julho: 1 PM morto e 1 PM baleado
Lotados no 34° BPM (Magé), o sargento Hélio Cardoso Fonseca e o soldado André Lopes foram baleados durante ataque de um criminoso, em Piabetá, em Magé, na Baixada Fluminense. Os PMs, que trabalham no Patrulhamento Tático Móvel (Patamo), passavam próximo à estação de trem quando foram surpreendidos por um homem negro de blusa azul que efetuou disparos contra a viatura. Logo após atirar contra os policiais, o bandido correu e fugiu para a Favela Beco do Saci. Atingido na cabeça, o sargento Cardoso (FOTO) foi socorrido e levado para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Piabetá, mas não resistiu ao ferimento. O soldado Lopes, baleado no peito, foi salvo pelo colete​.

12 de julho: 1 PM baleado
Lotado no 12° BPM (Niterói) e trabalhando na Ocupação Lagoinha, o sargento Pereira foi baleado durante incursão no Morro Buraco do Boi, no bairro Barreto, na Zona Norte de Niterói. Atingido de raspão na cabeça, ele foi socorrido e teve alta após receber atendimento médico no Hospital Estadual Azevedo Lima, no Fonseca.

12 de julho: 2 PMs baleados
Lotados no 3° BPM (Méier), o sargento Damir e o soldado Dos Anjos foram atingidos durante uma tentativa de abordagem. Eles integravam comboio que realizava patrulhamento nos acessos ao Complexo do Lins e passavam pela Rua Araújo Leitão quando tentaram abordar um carro prata e foram surpreendidos pela reação dos ocupantes, que efetuaram diversos disparos. O sargento Damir foi baleado no braço esquerdo e o soldado Dos Anjos no braço direito. Os dois foram socorridos por uma equipe da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Camarista Méier – que participavam em conjunto do comboio – e levados para o Hospital Municipal Salgado Filho, no Méier.

19990370_1505463459497118_701742161163231812_n

14 de julho: 1 PM morto
Lotado no 20° BPM (Mesquita), o cabo Cléber de Castro Xavier, 28 anos, morreu após ser baleado ao reagir a um assalto, no Grajaú, na Zona Norte do Rio. Antes de ser ferido por três tiros – no braço, abdômen e tórax – o cabo Xavier ainda conseguiu atingir um dos bandidos, que morreu ainda no local. O policial foi socorrido, mas não resistiu aos ferimentos. Com o casamento marcado, ele estava estudando para fazer outro concurso e sair da PMERJ. Semanas antes ele já tinha reagido a uma tentativa de assalto, na Baixada Fluminense.

20108484_1508660185844112_3520946236697394858_n

17 de julho: 1 PM morto e 1 PM baleado
Lotados na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Mangueira, o cabo Bruno dos Santos Oliveira, 29 anos, e o soldado Stelmann foram baleados durante ataque de criminosos da facção Comando Vermelho (CV) que continuam controlando o tráfico de drogas no Morro da Mangueira, em São Cristóvão, na Zona Norte do Rio. Os PMs chegavam para rendição na base avançada na localidade conhecida como Telégrafos quando a van que os transportava foi atacada a tiros. Policiais do Grupamento Tático de Polícia de Proximidade (GTPP) e oficiais da unidade foram em apoio e houve confronto. O soldado Stelmann – primo da atriz Nívea Stelmann – foi baleado na perna. Já o cabo B. Santos – transferido da UPP Nova Brasília e em seu primeiro dia de serviço na Mangueira – foi atingido na cabeça. Socorrido, foi levado para o Hospital Quinta D’Or, mas não resistiu. Há seis anos na corporação, o cabo B. Santos deixa esposa, uma filha e dois enteados.

20108211_1508798712496926_191317571259979731_n

17 de julho: 1 PM morto
Lotado no 7° BPM (São Gonçalo) e trabalhando no Patrulhamento Tático Móvel (Patamo) Jóquei, o soldado Thiago Marzula de Abreu, 30 anos, morreu após ser baleado durante ataque de criminosos, no bairro Jóquei, em São Gonçalo. O soldado Marzula tinha acabado de retornar da licença paternidade e deixa esposa e um bebê de pouco mais de um mês de vida. Ele estava na viatura e trafegava pela principal quando um “bonde” de criminosos fortemente armados passando do Morro da Dita para o Morro do Tronco atravessaram a pista. Os bandidos efetuaram diversos disparos contra os PMs, atingindo Marzula na cabeça.

18 de julho: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Adeus/Baiana, o soldado G. Amaral foi baleado durante ataque de criminosos da facção Comando Vermelho (CV) que continuam controlando o tráfico de drogas no Complexo do Alemão, na Zona Norte do Rio. Atingido no braço, o PM foi socorrido e levado para o Hospital Estadual Getúlio Vargas, na Penha. Ainda não há informações sobre o estado de saúde dele.

20229015_1511339138909550_7877490674845585495_n

21 de julho: 1 PM morto
Lotado no 20° BPM (Mesquita), o soldado Fabiano de Brito e Silva, 35 anos, saiu de casa e se dirigia ao batalhão para assumir o serviço quando foi baleado ao reagir a assalto na Rua Clara de Araújo, no bairro Jardim Tropical, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. O PM ainda foi socorrido e levado para o Hospital Geral de Nova Iguaçu, na Posse, mas não resistiu. Ele deixa esposa e três filhas.

20264593_1515848555125275_447248424678033264_n

23 de julho: 1 PM morto
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Vidigal, o sargento Hudson Silva de Araújo, 46 anos, morreu após ser baleado durante ataque​ no morro localizado em São Conrado, na Zona Sul do Rio. O PM, que trabalhava na Supervisão de Graduados, passava pela localidade conhecida como Bar do Marcelo quando foi atingido. Ele ainda foi socorrido e levado para o Hospital Municipal Miguel Couto, na Gávea, mas não resistiu. O sargento Hudson tinha 15 anos na corporação. Ele deixa esposa e duas filhas.

27 de julho: 1 PM baleado
Lotado no 7º BPM (São Gonçalo), o capitão Gabriel Toledo, 37 anos, foi baleado durante confronto com criminosos que controlam o tráfico de drogas na Favela da 40, no bairro Boaçu, em São Gonçalo. Atingido na perna, ele foi socorrido e levado para o Pronto Socorro de São Gonçalo (PSSG), no Zé Garoto. Após ser estabilizado, ele foi transferido para o Hospital Estadual Alberto Torres, no Colubandê. O oficial recebeu alta no dia seguinte. Há três anos ele já havia sido atingido por um tiro, enquanto ainda era comandante da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Manguinhos.

28 de julho: 1 PC baleado
Lotado na Delegacia Especializada de Atendimento ao Turista (Deat), o inspetor André Luís Nicolle da Silva foi baleado durante tentativa de assalto, no Túnel Rebouças, na Lagoa, na Zona Sul do Rio. O policial conduzia sua moto no sentido Centro da via quando foi abordado pelos criminosos, que efetuaram disparos contra ele. Atingido no braço, o inspetor foi socorrido e levado para o Hospital Municipal Miguel Couto, na Gávea.

20374752_1520109178032546_6985408129368607569_n

29 de julho: 1 PM morto
O subtenente reformado da PM William dos Santos Pinto, 54 anos, foi assassinado no Morro do Cruzeiro, no bairro Porto Novo, em São Gonçalo. Morador do local, o PM estava no bar de sua propriedade, a poucos metros de distância de sua residência, quando criminosos passaram efetuando diversos disparos. Atingido pelas costas, o policial não teve chance de defesa e nem de reação. A arma dele – uma pistola 380- não foi levada. De acordo com vizinhos do subtenente, ele passou a ser ameaçado por traficantes da região após uma prisão efetuada por equipes do 7°BPM no local.

30 de julho: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Camarista Méier, o soldado Jonas Lourenço da Silva foi baleado durante ataque de criminosos que continuam controlando o tráfico de drogas no conjunto de favelas localizado no Complexo do Lins, no Lins de Vasconcelos, na Zona Norte do Rio. Atingido na perna, o PM foi socorrido e levado para o Hospital Municipal Salgado Filho, no Méier. Ainda não há informações sobre o estado de saúde dele.

31 de julho: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Jacarezinho, o soldado Amaral foi baleado durante confronto entre policiais e assaltantes que tinham acabado de roubar o carro de um PM, na Avenida Itaoca. O soldado Veras chegava para assumir o serviço quando foi abordado pelos criminosos em frente à sede da CPP. Eles roubaram seu veículo – o Honda City branco placa LSU 4770 – e abandonaram no local um Toyota Corolla. Uma equipe do Grupamento Tático de Polícia de Proximidade (GTTP) da UPP Manguinhos trocaram tiros com os bandidos, mas eles conseguiram fugir. O soldado Amaral estacionava seu carro em frente à CPP quando foi atingido. Socorrido, ele foi levado para o Hospital Estadual Getúlio Vargas. De acordo com informações pelos responsáveis pelo atendimento, ele foi atingido na boca e não corre risco de morte.

1 de agosto: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Cidade de Deus, o sargento Anderson Chan foi baleado durante confronto na favela localizada em Jacarepaguá, na Zona Oeste do Rio. Atingido na perna, o PM foi socorrido e levado para o Hospital Municipal Lourenço Jorge, na Barra da Tijuca.

2 de agosto: 1 PM baleado
Lotado no 5° BPM (Praça da Harmonia), o capitão Felipe Henrique Barbosa dos Santos foi baleado ao ser identificado como policial durante um assalto, no Cachambi, na Zona Norte do Rio. O PM conduzia seu carro e passava pela Rua Getúlio na altura da Rua Cachambi quando foi abordado pelos assaltantes. Ele saiu do veículo mas deixou a pistola dentro. Quando viram a arma do oficial e descobriram que ele era policial, os criminosos correram atrás dele e efetuaram diversos disparos. Os bandidos deixaram o automóvel mas fugiram levando a pistola. Atingido no braço direito e pescoço, o capitão foi socorrido e conduzido para o Hospital Municipal Salgado Filho, no Méier. Ele não corre risco de morte.

3 de agosto: 1 PM baleado
Lotado no 16° BPM (Olaria), o sargento Efigênio foi baleado ao tentar impedir a fuga de três bandidos que tinham acabado de assaltar uma agência do banco Itaú, no bairro Jardim América, na Zona Norte do Rio. O PM estava próximo a uma loja de cestas básicas quando percebeu a ação criminosa. O sargento tentou render um dos assaltantes, mas ele correu efetuando disparos para trás. Atingido no rosto e no abdômen, o policial foi socorrido e levado para o Posto de Atendimento Médico (PAM) de Irajá, onde recebeu o primeiro atendimento e está aguardando transferência para o Central da Polícia Militar (HCPM), no Estácio. O PM não conseguiu vaga no HCPM e foi levado para o Hospital Estadual Getúlio Vargas, na Penha. O estado de saúde dele é grave.

4 de agosto: 1 PM morto
Lotado no 15º BPM (Duque de Caxias), o sargento Márcio Thomé Ribeiro, 43 anos, morreu após ser baleado na Rua Bernardo de Vasconcelos, em Realengo, na Zona Oeste do Rio. O PM conduzia seu Corolla e estava acompanhado por uma jovem, que também morreu.

6 de agosto: 1 PC baleado
Lotado na 53ª DP (Mesquita), o inspetor Cléber de Alvarenga Matos, 47 anos, foi baleado ao se deparar com um assalto, no final da Linha Vermelha, próximo ao acesso à Rodovia Presidente Dutra, na altura de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. Ele e outros colegas tinham acabado de sair da Cidade da Polícia, no Jacarezinho, na Zona Norte do Rio, e passavam de viatura pela via quando presenciaram o roubo de uma moto. Ao perceber a aproximação dos policiais, os criminosos efetuaram diversos disparos contra a viatura. Durante o confronto, a vítima – identificada como Mauro da Silva Santoro, 58 – foi baleada no tórax e sofreu fratura na clavícula. Já Cléber foi atingido de raspão na cabeça. Os dois foram socorridos e levados para o Hospital Geral de Nova Iguaçu, na Posse. O policial recebeu alta após atendimento médico. Um dos tiros atingiu a viatura e provocou um incêndio.

20707997_1530466840330113_2527478834647861273_n

9 de agosto: 1 PM morto
Lotado no Batalhão de Policiamento em Vias Especiais (BPVE), o cabo Silvio César Lopes da Silva, 39 anos, morreu após ser baleado ao sair de uma festa em que comemorava o aniversário da esposa, em Padre Miguel, na Zona Oeste do Rio. O PM estava com sua família na Rua Vila Nova quando criminosos anunciaram o assalto. O policial reagiu e trocou tiros com os bandidos. Atingido, o cabo foi socorrido e levado para o Hospital Estadual Albert Schweitzer, em Realengo. Ele não resistiu aos ferimentos.

20728193_1531874806855983_3362115907121445479_n

11 de agosto: 1 PC morto
Lotado na Coordenadoria de Operações e Recursos Especiais (Core), o inspetor Bruno Guimarães Buhler, 36 anos, morreu após ser baleado durante ataque de criminosos da facção Comando Vermelho (CV) que continuam controlando o tráfico de drogas na Favela do Jacarezinho, em Bonsucesso, na Zona Norte do Rio. A equipe da Core foi até o local para dar apoio a PMs da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) que estavam encurralados pelos bandidos que atacavam a base. Atingido no ombro por um tiro que atravessou o pescoço, Xingu – como era conhecido o policial civil – ainda foi socorrido e levado para o Hospital Federal de Bonsucesso, mas não resistiu.

samir

11 de agosto: 1 PM morto
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) São João, o soldado Samir da Silva Oliveira foi baleado durante apoio à UPP Jacarezinho. O PM, que trabalha na MotoPatrulha, estava na Avenida 24 de Maio, próximo a um dos acessos ao Jacaré, tentou abordar um veículo em atitude suspeita e foi supreendido pelos disparos efetuados pelos ocupantes. O policial foi atingido no maxilar e o projétil está alojado na cabeça. Socorrido, ele foi levado para o Hospital Municipal Salgado Filho, no Méier, mas não resistiu.

12 de agosto: 1 PM baleado
Lotado no 2° BPM (Botafogo), o soldado Wallace da Silva Ovídio foi baleado de raspão ao fugir de uma tentativa de assalto, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. O PM estava a caminho do batalhão para assumir o serviço e passava pela Linha Vermelha em seu Toyota Corolla quando, na altura da Passarela Vermelha, no sentido Centro da via, criminosos usaram um Renault Duster branco para tentar fechar a pista, por volta das 5h50. Ao notar a ação criminosa, o policial acelerou e arrancou a porta do automóvel que os bandidos abriram para tentar impedir sua passagem. Os assaltantes então efetuaram disparos na direção do PM, que reagiu e conseguiu fugir. Ele continuou dirigindo até o hospital e recebeu alta após atendimento médico.

20708447_1532731323436998_4067079196962479605_n

12 de agosto: 1 PM morta
Lotada no 5° BPM (Praça Harmonia), a cabo Elisângela Bessa Cordeiro, 42 anos, morreu após ser baleada durante um assalto, em Coelho Neto, na Zona Norte do Rio. A PM trafegava em seu Fox vermelho acompanhada pelo marido pela Avenida Brasil quando, na altura da Avenida Pastor Martin Luther King, foi abordada por três criminosos. Ela entregou o carro mas no momento em que um dos assaltantes tentou tirar sua aliança ela reagiu e acabou baleada após levar uma coronhada na cabeça. Socorrida, a cabo Elisângela ainda foi levada para o hospital mas não resistiu aos ferimentos.

20729600_1532868810089916_7939582889478223161_n

12 de agosto: 1 PM morto
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Caju, o soldado Vaine Luiz dos Santos Ferreira, 33 anos, morreu após ser baleado durante discussão com seu cunhado – um guarda municipal -, no bairro Olinda, em Nilópolis, na Baixada Fluminense.

12 de agosto: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Jacarezinho, o soldado Abrantes foi baleado em serviço e salvo pelo colete. O PM estava na viatura da Supervisão e passava próximo ao viaduto na altura da Favela Bandeira 2 quando criminosos atacaram a viatura.

12 de agosto: 1 PC baleado
Lotado na Coordenadoria de Operações e Recursos Especiais (Core), o inspetor Marcelo Ventura Golpini foi baleado durante incursão na Favela do Jacarezinho, em Bonsucesso, na Zona Norte do Rio. Atingido no braço, ele foi socorrido e levado para o Hospital Municipal Salgado Filho, no Méier. Com auxílio do Comando de Operações Táticas (COT) da Polícia Federal e apoio da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) do Jacarezinho, os policiais realizam operação para impedir a realização de um baile funk promovido pelo tráfico. O evento foi divulgado como comemoração pela morte do inspetor Bruno Guimarães Buhler, 36 anos, lotado na Core e que morreu nesta sexta-feira, dia 11, após ser baleado no Jacarezinho.

14 de agosto: 1 PM baleado
Lotado no 3º BPM (Méier), o cabo André Luís Souto Aires foi baleado durante assalto na Avenida Brasil, na altura de Barros Filho, na Zona Norte do Rio. Atingido no abdômen, ele foi socorrido e levado para o Hospital Estadual Albert Schweitzer, em Realengo.

thiago rodriguez

22 de agosto: 1 PM morto
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Tabajaras e adido ao Grupamento de Intervenções Táticas (GIT) da Coordenadoria de Polícia Pacificadora (CPP), o cabo Thiago Rodriguez da Silva, 32 anos, foi assassinado em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. Ele estava há seis anos na corporação. O PM estava saindo de casa quando foi abordado por criminosos que o levaram eu seu próprio carro. O corpo do cabo R. Silva foi encontrado minutos depois dentro de seu veículo.

mabel sampaio

24 de agosto: 1 PM morto
Lotado no Centro de Manutenção de Material (CMM) do 4º Comando de Policiamento de Área (4ºCPA), o subtenente Mabel Machado Sampaio Neto, 50 anos, morreu após ser surpreendido por um criminoso no momento em que chegava em casa, no bairro Porto da Madama, em São Gonçalo. O PM tinha acabado de entrar na garagem de sua residência, na Rua Agenor Ribeiro, quando um bandido armado se aproveitou da porta aberta e entrou. O policial ainda foi socorrido e levado para o Pronto Socorro de São Gonçalo (PSSG), no Zé Garoto, mas não resistiu.

cavalcante

26 de agosto: 1 PM morto
Lotado no 34° BPM (Magé), o sargento Fábio José Cavalcanti e Sá, 39 anos, morreu após ser baleado ao ser identificado como policial durante um assalto, em São João de Meriti, na Baixada Fluminense. O PM, que foi candidato a vereador pelo Partido da República (PR), nas últimas eleições e conseguiu mais de mil votos, ainda foi socorrido e levado para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Caxias, mas não resistiu aos ferimentos. Ele estava na corporação há 15 anos e deixa esposa e filho de sete anos.

26 de agosto: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Prazeres/Escondidinho, o soldado Elton Patrocínio Santos foi atingido por uma bala perdida no momento em que trafegava em sua moto pelo bairro Miguel Couto, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. Baleado de raspão na canela, o PM recebe alta após atendimento médico.

26 de agosto: 1 PM baleado
Lotado no Grupamento Tático de Motociclistas (GTM) do Batalhão de Polícia de Choque (BPChoque), o cabo Venute foi baleado em São João de Meriti, na Baixada Fluminense. Atingido na perna, ele foi socorrido e levado para o Posto de Atendimento Médico (PAM) do Éden, sendo posteriormente transferido para o Hospital Central da Polícia Militar (HCPM), no Estácio.

3 de setembro: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) São João, o soldado Diego Venâncio da Silva foi baleado ao tentar escapar de um assalto, em Belford Roxo, na Baixada Fluminense. O PM trafegava pela Avenida Joaquim da Costa Lima, na altura da localidade conhecida como Três Setas, no bairro Parque Esperança, quando criminosos em dois veículos tentaram interceptar o Palio do policial. Atingido por dois tiros, o PM conseguiu continuar dirigindo e conduziu seu carro até o Destacamento de Policiamento Ostensivo (DPO) de São Vicente, onde foi socorrido e levado para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Bom Pastor.

3 de setembro: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Linhs, o cabo Bruno Argollo de Souza foi baleado durante tentativa de assalto em São João de Meriti, na Baixada Fluminense. O cabo Argollo estava com amigos em um bar localizado na Rua Natal, no bairro Jardim Meriti, quando quatro bandidos armados com pistolas chegaram em um EcoSport e anunciaram o assalto. O PM correu tentando fugir e acabou baleado no tórax e no braço direito. Socorrido, ele foi levado para o Posto de Atendimento Médico (PAM) Meriti, sendo posteriormente transferido para o Hospital Estadual Adão Pereira Nunes, em Saracuruna.

3 de setembro: 1 PM baleado
O subtenente reformado da PM Rômulo de Castro Costa foi baleado durante assalto próximo ao bar Belmont, no Flamengo, na Zona Sul do Rio. Acionados por pedestres que presenciaram o crime, policiais do 2° BPM (Botafogo) lotados na MotoPatrulha com apoio de equipe do Aterro Presente foram até a Rua Praia do Flamengo e foram recebidos a tiros por uma dupla de criminosos que fugiram após efetuar os disparos. Os PMs realizaram um cerco e conseguiram interceptar o carro em que os bandidos estavam no Aterro do Flamengo. Enquanto um dos criminosos desceu do automóvel e se rendeu, o outro saiu atirando – os policiais revidaram a agressão e ele acabou morrendo após ser atingido. Na ação os PMs apreenderam uma pistola Glock 45 com kit rajada.

3 de setembro: 1 PM baleado
Lotado no 12º BPM (Niterói), o cabo Emerson Alexandre Pereira Costa foi baleado durante assalto no shopping Itaipu Multicenter, na Região Oceânica de Niterói.
Lotado no 12°BPM, ele estava de folga no estabelecimento quando bandidos tentaram roubar o supermercado Extra. Atingido no braço, foi socorrido e levado para o Hospital Municipal Mário Monteiro. Os seguranças do shopping conseguiram prender dois dos bandidos e apreender dois revólveres, além de recuperar o produto do roubo, vários aparelhos de telefone celular e duas motos.

3 de setembro: 1 PM baleado
Lotado no 20º BPM (Mesquita), o cabo Ramirez foi baleado no Arco Metropolitano. Lotado no 20°BPM, ele seguia para o Hospital Geral de Nova Iguaçu para assumir serviço na custódia da unidade de saúde quando se deparou com um assalto.
Atingido no braço, o PM foi socorrido e não corre risco de morte.

7 de setembro: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Chatuba, o cabo Júlio César Silva Oliveira, 36 anos, morreu após ser baleado ao se deparar com um “bonde” de traficantes, na altura de Vigário Geral, na Zona Norte do Rio. O PM tinha acabado de sair de serviço e seguia para casa quando bateu de frente com os criminosos, na altura da Rua Tinharé, a poucos metros da Avenida Brasil e da passarela de Parada de Lucas. O cabo Oliveira ainda conseguiu trocar tiros com os bandidos, mas acabou atingido. Socorrido por policiais do 16° BPM (Olaria) lotados no Posto de Policiamento Comunitário (PPC) Jardim América e levado para o Hospital Estadual Getúlio Vargas, na Penha, ele não resistiu.

9 de setembro: 1 PC baleado
O inspetor aposentado da Polícia Civil Marcus Brum Cautches foi baleado durante tentativa de assalto, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. O policial trafegava em seu veículo pelo sentido Petrópolis da Rodovia Washington Luiz, quando foi abordado pelos criminosos, em frente à boate NightClub, no bairro Jardim Primavera. Ao acelerar para fugir, o inspetor foi surpreendido pela reação dos bandidos, que efetuaram diversos disparos contra seu automóvel. Atingido na canela, o policial foi socorrido e levado para o Hospital Estadual Adão Pereira Nunes, em Saracuruna. Ele não corre risco de morte.

10 de setembro: 1 PM baleado
Lotado no Grupamento Tático de Motociclistas (GTM) do Batalhão de Polícia de Choque (BPChoque), o cabo Vando foi baleado durante ataque de criminosos, em Bonsucesso, na Zona Norte do Rio. O PM realizava patrulhamento de rotina e estava na Linha Vermelha, na altura da Favela Vila dos Pinheiros, no Complexo da Maré. Atingido no rosto por um tiro que transfixou, o policial foi socorrido e levado para o Hospital Central da Polícia Militar (HCPM), no Estácio, onde está sendo submetido a uma cirurgia.

21743175_1566884483355015_5945895937974373338_n

17 de setembro: 1 PM morto
Lotado na Policlínica de São João de Meriti, o subtenente Cláudio de Queiroz Brito morreu após ser baleado durante assalto, em São João de Meriti, na Baixada Fluminense. O crime ocorreu no Calçadão de Coelho da Rocha. O subtenente ainda conseguiu reagir e balear um dos criminosos, mas acabou atingido. O PM ainda foi socorrido e levado para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de São João de Meriti mas não resistiu.

19 de setembro: 1 PM baleado
Lotado no 12°BPM (Niterói), o sargento Pereira foi baleado durante confronto com criminosos no loteamento Itaocaia Valley, em Itaipuaçu, distrito de Maricá. Um dos bandidos também foi atingido na troca de tiros. Os PMs ainda recuperaram um carro roubado e apreenderam uma arma. Socorrido e levado inicialmente para o Hospital Conde Modesto Leal, o PM foi transferido para o Hospital Estadual Alberto Torres, no Colubandê, em São Gonçalo.

23 de setembro: 1 PM baleado
Lotado no Batalhão de Policiamento em Vias Especiais (BPVE), o subtenente Sérgio Fernando Nicolay foi baleado durante tentativa de assalto, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. O PM trafegava em seu veículo – um Kia Sportage – e passava pela Rua Silva Fernandes quando foi abordado pelos criminosos. Atingido de raspão na cabela, ele foi socorrido e levado para o Caxias D’Or. Ele não corre risco de morte.

22405958_1588003801243083_300844772273921606_n

10 de outubro: 1 PM morto
Lotado no 24ºBPM (Queimados), o sargento Marcelo Luís da Silva Galvão, 46 anos, morreu após ser baleado ao ser identificado como policial durante um assalto, em Queimados, na Baixada Fluminense. Ele estava há 15 anos na corporação.

11 de outubro: 1 PM morto
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Caju, o cabo Marcos dos Santos Bernardo de Lanna, 35 anos, foi encontrado morto no interior de um veículo, na Praia da Bandeira, na Ilha do Governador, na Zona Norte do Rio. Ele estava há 9 anos na corporação.

WhatsApp Image 2017-10-13 at 00.16.19

12 de outubro: 1 PM morto
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Mangueira, o sargento Jorge da Silva Brandão morreu após ser baleado durante um assalto, em São João de Meriti, na Baixada Fluminense. O PM estava no interior do Corola prata placa LSC 6403 acompanhado pelo proprietário do Parque Play City que funciona dentro do Shopping Grande Rio. o empresário, que ainda não teve o nome divulgado, morreu no local. O PM ainda foi socorrido e levado para o Posto de Atendimento Médico (PAM) Meriti, mas não resistiu.

Anúncios