Estatística de Policiais Mortos e Baleados em 2017

Mal chegamos ao mês de abril e o ano de 2017 já registrou 118 policiais baleados – sendo que 55 não resistiram. Do total, 114 eram PMs, 4 eram PCs e 1 era agente da PRF (baleado em 2016). Destes, 59 estavam de serviço, 43 estavam de folga, 16 eram reformados e 1 era aposentado. Deles, 30 foram atingidos em comunidades pacificadas.

pm-morto

1 de Janeiro: 1 PM morto
Lotado no 3º BPM (Méier), o soldado André William Barbosa de Oliveira, 32 anos, foi morto a tiros enquanto estava em uma festa na Favela do Batan, em Realengo, na Zona Oeste do Rio. O corpo do PM – que trabalhava no Serviço de Inteligência (P-2), onde era permanência – foi encontrado dentro do porta-malas de seu próprio carro, na Rua Clodoaldo de Freitas, em Guadalupe, na Zona Norte.

15870646_1713969582246423_1177780819_n

1 de Janeiro: 1 PM morto
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Andaraí, o soldado Antônio Carlos Paiva Nunes, 34 anos, foi baleado quando passava de viatura pela Avenida Leopoldo Bulhões, na altura da Favela de Manguinhos, em Bonsucesso, na Zona Norte do Rio. Ele estava de serviço na supervisão da Coordenadoria de Polícia Pacificadora (CPP). O PM ainda foi socorrido e levado para o Hospital Quinta D’or, em São Cristóvão, mas não resistiu aos ferimentos, e teve a morte cerebral confirmada pelos médicos no dia seguinte. Há cinco anos na corporação, o soldado Paiva não tinha filhos.

whatsapp-image-2017-01-02-at-17-18-07-jpeg

2 de Janeiro: 1 PM morto
Lotado no 15° BPM (Duque de Caxias), o cabo Cleiton William Santos de Freitas foi assassinado, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. O PM trafegava em seu veículo – o Saveiro preto placa KPG 9143 – e passava pela Estrada do Tinguá, na localidade conhecida como Chapéu do Sol, no bairro Xerém, quando foi abordado por criminosos armados com pistolas e fuzis. Os bandidos efetuaram diversos disparos contra o policial, que não teve chance de defesa nem oportunidade para tentar fugir. O crime ocorreu na região onde ficam a casa do deputado Washington Reis e o cantor Zeca Pagodinho.

2 de Janeiro: 1 PM morto e 1 PM baleado
O subtenente reformado da PM Valteir Lima Teixeira e o sargento reformado da PM Francisco Assis de Aguiar foram baleados durante tentativa de roubo na saída de um banco Bradesco, em Guapimirim, na Baixada Fluminense. Os PMs haviam acabado de sair da agência localizada na Rua Professor Rocha Faria, no bairro Vila Guapi, quando foram abordados. Os dois foram socorridos e levados para o Hospital Municipal de Guapimirim, onde o sargento Francisco não resistiu. O subtenente Valteir permaneceu internado.

4 de Janeiro: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Fazendinha, o cabo Barroso foi baleado por criminosos da facção Comando Vermelho (CV) ao socorrer um morador que havia sido atingido durante ataque dos bandidos aos PMs. Ele foi salvo pelo colete que usava. Os traficantes estavam em lajes, atacaram os policiais próximo à localidade conhecida como Campo do Zé e acabaram atingindo Antônio Cezário da Silva Júnior. Os PMs se abrigaram e revidaram a agressão enquanto o cabo Barroso correu pra socorrer a vítima – que havia sido atingida de raspão no braço – e acabou alvejado no peito. Os disparos de pistola foram amortecidos pela placa de cerâmica do colete balístico. Socorrido e levado para o Hospital Estadual Getúlio Vargas, ele foi submetido a exames e não corre risco de morte. O morador foi encaminhado à Unidade de Pronto Atendimento (UPA).

15826307_1303231213053678_7564389774546770526_n

4 de Janeiro: 1 PM morto
Lotado no 18° BPM (Jacarepaguá), o soldado Jefferson Martins Pedra morreu após ser baleado em frente ao Tijuca Off Shopping, na Tijuca, na Zona Norte do Rio. Um casal também foi baleado. Os três foram socorridos e levados para o Hospital Federal do Andaraí, onde o PM acabou falecendo. Mesmo de folga, o policial tentava impedir a fuga de criminosos que haviam acabado de assaltar uma joalheria no shopping.

15826370_1303499339693532_8279967165242835723_n

5 de Janeiro: 1 PM morto e 1 PM baleado
Lotados na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Lins, o soldado Marcelo Abdalla Neder, 34 anos, e o soldado Carlos Roberto Freitas foram baleados ao se deparar com uma quadrilha que roubava carga, na Rodovia Presidente Dutra, na altura de Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. O soldado Abdalla não resistiu. Ele e o soldado Bruno Aurélio de Carvalho estavam de carona no carro do soldado Carlos – o Prisma preto placa KPS 9450. Moradores de Resende, os três estavam a caminho do Rio para assumir o serviço. Apenas um dele estava armado, pois os outros ainda não haviam conseguido receber o Certificado de Registro de Arma de Fogo (Craf). Próximo ao posto de combustível Mata Virgem, tentando escapar de uma retenção no trânsito, oo soldado Carlos tentou cortar os veículos à sua frente e acabou se deparando com um assalto. Cerca de sete homens armados em uma Amarok abordavam dois caminhões dos Correios. Ao perceber a aproximação do automóvel em que estavam os PMs, os criminosos efetuaram disparos, atingindo o soldado Abdalla, que morreu no local. O soldado Carlos foi baleado no joelho e o soldado Bruno foi agredido a coronhadas. Os bandidos fugiram levando o carro do soldado Carlos e a pistola Taurus calibre 380 do soldado Bruno.

5 de Janeiro: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Pavão, o soldado Vinicius foi baleado durante ataque de criminosos da facção Comando Vermelho (CV) que continuam controlando o tráfico de drogas no morro localizado em Copacabana, na Zona Sul do Rio. O PM estava na viatura e seguia para a base trafegando pela Avenida Pavãozinho quando, na altura da localidade conhecida como Camarote, quando o veículo foi atacado. O soldado foi atingido no braço esquerdo e nas costas. Socorrido, ele foi levado para o Hospital Municipal Miguel Couto, na Gávea.

15978615_1717968771846504_528897465_n

7 de Janeiro: 1 PM morto
O subtenente reformado da PM Cássio Ferreira foi encontrado carbonizado em seu carro – um Renault Sandero cinza -, na Estrada Reta de Santa Cruz, em Itaguaí, na Baixada Fluminense.

gloria

8 de Janeiro: 1 PC morta
Lotada na Chefia da Polícia Civil, a inspetora Glória Fabiane de Souza Melo, 47 anos, morreu após ser baleada pelo próprio irmão, o também policial civil Fernando Rogério de Souza Melo, 49. Ele, que trabalhava na 15DP, foi preso e autuado em feminicídio. O crime ocorreu após uma discussão no imóvel onde os irmãos moravam, na Rua Maria Eugênia, no Humaitá, na Zona Sul do Rio.

9 de Janeiro: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Providência, um policial que não teve nome, patente e nem idade divulgados foi baleado no Morro da Providência, no Santo Cristo, na Zona Portuária do Rio. Atingido de raspão na cabeça, ele não corre risco de morte.

9 de Janeiro: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Prazeres, um policial que não teve nome, patente e nem idade divulgados foi baleado no Morro dos Prazeres, em Santa Teresa, na região central do Rio.

m2

9 de Janeiro: 1 PRF morto
Baleado no dia 13 de agosto de 2016, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, o inspetor da Polícia Rodoviária Federal Marzio Deon Resende, 56 anos, morreu em Brasília. Lotado no Amazonas e enviado ao Rio de Janeiro para reforçar a segurança durante os Jogos Olímpicos, ele foi atingido durante tentativa de assalto no Trevo das Missões. Socorrido, ele foi levado para o Hospital Estadual Getúlio Vargas, na Penha, e posteriormente transferido para o Hospital Estadual Alberto Torres, no Colubandê, em São Gonçalo. Quando estava estabilizado, o policial foi levado para o Hospital Home, em Brasília,onde permanecia internado na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI).

10 de Janeiro: 1 PM baleado
Lotado no Serviço de Inteligência (P-2) do 16BPM (Olaria), o tenente Montenegro foi baleado durante incursão na Favela Furquim Mendes, no bairro Jardim América, na Zona Norte do Rio. Atingido no abdômen, ele foi socorrido e levado para o Hospital Estadual Getúlio Vargas, na Penha, onde foi submetido a uma cirurgia.

10 de Janeiro: 1 PM baleado
Lotado no 27 BPM (Santa Cruz), o cabo Armando foi baleado durante confronto na Favela do Rola, em Santa Cruz, na Zona Oeste do Rio. Socorrido, o PM foi levado para o Hospital Municipal Pedro II.

10 de Janeiro: 1 PM baleado
Lotado no Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope), um policial que não teve o nome e nem a patente divulgados foi baleado na Favela do Jacarezinho, em Bonsucesso, na Zona Norte.

15996212_1717968638513184_516706895_n

10 de Janeiro: 1 PM morto
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Tabajaras, o soldado Daniel Cavalcante da Silva foi morto por traficantes da Favela 77, em Padre Miguel, na Zona Oeste do Rio. O corpo dele foi encontrado na Avenida Engenheiro Pires Rebelo, em Bangu, também na Zona Oeste, com marcas de tortura. O PM morava próximo à favela.

15978899_1717980568511991_1051150303_n

12 de Janeiro: 1 PM morto
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Arará/Mandela, o soldado Sandro Mendes de Lyra, 36 anos, morreu após ser baleado durante um ataque à viatura, na localidade conhecida como Igrejinha, na Favela Mandela, no Complexo de Manguinhos, em Bonsucesso, na Zona Norte do Rio. O PM estava na viatura da Supervisão seguindo para a base da UPP quando criminosos em uma moto passaram e efetuaram diversos disparos contra o veículo. Atingido na cabeça, ele ainda foi socorrido e levado para o Quinta D’Or, em São Cristóvão, mas não resistiu. Ele estava na corporação desde 2012 e deixa esposa e dois filhos.

13 de Janeiro: 1 PM baleado
Lotado na Diretoria Geral de Pessoal (DGP), o sargento Flávio Ricardo dos Santos Soares foi baleado em Marechal Hermes, na Zona Norte do Rio, ao se deparar com um “bonde” de criminosos armados realizando uma falsa blitz. O PM trafegava com seu veículo – um Kia Cerato – pela Rua Xavier Curado quando avistou um carro bege fechando a via, próximo à Unidade de Pronto Atendimento (UPA), e notou bandidos com fuzis. Ao perceber a aproximação deles, o PM efetuou disparos e na troca de tiros acabou atingido na perna. Os marginais fugiram e ele foi socorrido e levado para o Hospital Estadual Carlos Chagas.

13 de Janeiro: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Pavão/Pavãozinho/Cantagalo, um soldado que não teve nome e nem idade divulgados foi baleado durante ataque de criminosos da facção Comando Vermelho (CV) que continuam controlando o tráfico de drogas nos morros com acessos pelos bairros Copacabanca e Ipanema, na Zona Sul do Rio. O PM estava na Quadra do DG quando foi atingido. Ferido no pé, foi socorrido e levado para o hospital.

15977213_1311925435517589_8871603836942456663_n

13 de Janeiro: 1 PM morto
Lotado no 14° BPM (Bangu), o sargento Fábio Magalhães Teixeira, 44 anos, morreu após ser baleado durante ataque de criminosos na Favela Vila Kennedy, em Bangu, na Zona Oeste do Rio. Ele trabalhava no Auxílio à Polícia de Trânsito (APTran) e participava de operação conjunta com a Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Vila Kennedy efetuando abordagens a veículos quando foi atingido. Socorrido, foi levado para o Hospital Estadual Albert Schweitzer, em Realengo, onde chegou a ser submetido a uma cirurgia, mas não resistiu. Há 20 anos na corporação, ele deixou esposa e filho.

16112034_1719547495021965_2118372557_n

15 de Janeiro: 1 PM morto
Lotado no 15° BPM (Duque de Caxias), o sargento Cristiano da Anunciação Macedo, 39 anos, morreu após ser baleado ao tentar apartar uma briga durante uma festa no clube Fazenda, no bairro Vila Rosali, em São João de Meriti, na Baixada Fluminense. Ele ainda foi socorrido e levado para o Posto de Atendimento Médico (PAM) Meriti, mas não resistiu aos ferimentos. Uma mulher identificada como Joice Kelly de Jesus, vítima de bala perdida, também deu entrada na unidade, sendo liberada após receber atendimento.

15 de Janeiro: 1 PM baleado
Lotado no 7° BPM (São Gonçalo), o soldado Mendes foi baleado ao se deparar com criminosos armados no bairro Guaxindiba, em São Gonçalo. Socorrido, ele foi levado para o Hospital Estadual Alberto Torres (Heat), no Colubandê, e recebeu alta após atendimento médico.

18 de Janeiro: 1 PM baleado
Lotado no 5° BPM (Praça Harmonia), o soldado Roberto Bragança foi baleado ao reagir a uma tentativa de assalto durante uma falsa blitz, na Avenida Brasil, na altura da Fazenda Botafogo, na Zona Norte do Rio. Acompanhado por um sargento, o PM se dirigia para o batalhão, onde os dois iriam assumir o servio, quando perceberam a ação de quatro criminosos. Eles reagir e houve confronto. Na troca de tiros, o soldado Bragança foi atingido na panturrilha direita. Um motorista que passava pelo local – identificado como Leandro dos Santos – foi vítima de bala perdida na coxa direita. Os dois foram socorridos e levados para o Hospital Central da Polícia Militar (HCPM), no Estácio, recebendo alta após atendimento médico.

16003058_1316298708413595_2034483227805142751_n

18 de Janeiro: 1 PM morto
Lotado na 1CIPM (Palácio Guanabara), o cabo Cosme Rodrigues de Souza Júnior, 32 anos, morreu após ser baleado durante tiroteio no shopping Jardim Guadalupe, no bairro Guadalupe, na Zona Norte do Rio. Atingido na cabeça, o PM chegou a ser socorrido e levado para o Hospital Estadual Carlos Chagas, em Marechal Hermes, mas não resistiu ao ferimento. Os criminosos teriam tentado praticar um assalto à joalheria Meiry Jóias quando o cabo, que estava de folga e passeava no local, tentou intervir e acabou atingido.

19 de Janeiro: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Manguinhos, o soldado Maick foi baleado durante ataque de criminosos da facção Comando Vermelho (CV) que continuam controlando o tráfico de drogas no Complexo de Manguinhos, em Bonsucesso, na Zona Norte do Rio. O PM realizava patrulhamento de rotina e passava pela localidade conhecida como Coréia quando foi atingido. Ferido na coxa, ele foi socorrido pelos colegas de farda e levado para o Hospital Federal de Bonsucesso.

19 de Janeiro: 1 PM baleado
Lotado no 20° BPM (Mesquita), o soldado Rui foi baleado durante confronto com traficantes na Favela Casinhas, no bairro Cosmorama, em Mesquita, na Baixada Fluminense. Socorido, ele foi levado para o Hospital Municipal Juscelino Kubitschek, o Centro, em Nilópolis, também na Baixada. Ferido de raspão na mão, o PM recebeu alta após atendimento médico.

joao-maximo

19 de Janeiro: 1 PM morto
Adido ao Grupo de Apoio à Promotoria (GAP) de Nova Iguaçu, o subtenente João Máximo Guimarães Rodrigues morreu após ser baleado ao tentar impedir um assalto a uma padaria na esquina da rua onde mora, em Japeri, na Baixada Fluminense. O PM estava no estabelecimento, localizado na Rua Dulce Zilda, no bairro Parque Professor João de Maria, quando criminosos entraram e anunciaram o assalto. Ele reagiu e na troca de tiros acabou atingido. Socorrido por vizinhos, ainda foi levado para o Hospital Geral de Nova Iguaçu, mas não resistiu.

20 de Janeiro: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Macacos, o soldado Mochure foi baleado ao reagir a um assalto, em Mesquita, na Baixada Fluminense. Socorrido, o PM foi levado para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA).

20 de Janeiro: 1 PM baleado
Lotado no 7º BPM (São Gonçalo), o soldado Felipe Amarante da Silva, 25 anos, foi baleado ao reagir a um assalto, no bairro Pita, em São Gonçalo. O PM estava em seu carro – um Punto prata – acompanhado por dois amigos, quando foi abordado pelo criminoso, na Travessa Jorge Santiago. Ele ainda trocou tiros com o bandido. O policial e um de seus amigos, Renato César Silva Maia, 26, foram atingidos. Socorridos, foram levados para o Hospital Estadual Alberto Torres (Heat), no Colubandê. Momentos depois, Pablo César de Lemos Teixeira, 18, deu entrada baleado no Hospital Estadual Azevedo Lima (Heal), no Fonseca, na Zona Norte de Niterói. Reconhecido pelo PM, foi autuado e internado sob custódia.

21 de Janeiro: 2 PMs baleados
Lotados na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Jacarezinho, o sargento Ricardo e o cabo Ferreira foram baleados durante ataque de criminosos da facção Comando Vermelho (CV) que continuam controlando o tráfico de drogas na Favela do Jacarezinho, em Bonsucesso, na Zona Norte do Rio. Os PMs estavam na Avenida Dom Hélder Câmara, na entrada da favela, quando foram atingidos de raspão.

amauri

22 de Janeiro: 1 PM morto
O subtenente reformado Amauri Pena, 52 anos, morreu após ser baleado ao reagir a um assalto em seu bar, no bairro Ramos, na Zona Norte do Rio. O PM estava em seu estabelecimento, localizado na Rua Tupinambás, quando criminosos entraram e anunciaram o assalto. O subtenente Panema trocou tiros com os bandidos, mas acabou atingido. Ele ainda foi socorrido e levado para o Hospital Estadual Getúlio Vargas, na Penha, mas não resistiu. Um dos assaltantes, baleado por ele, também morreu.

22 de Janeiro: 1 PM baleado
Lotado no Batalhão de Policiamento em Vias Especiais (BPVE), o soldado Jeferson dos Santos Silva foi baleado durante confronto com assaltantes, em Irajá, na Zona Norte do Rio. O PM realizava patrulhamento de rotina pela Avenida Brasil e passava no retorno sentido Centro, na atura da Favela de Acari, quando foi abordado por uma vítima que tinha sido assaltada, no sentido Zona Oeste, por dois homens que levaram sua moto. A equipe do BPVE então iniciou buscas e localizou a dupla tentando roubar o Meriva preto placa KQN 8711. Ao notar a aproximação da viatura, os criminosos começaram a atirar. Os policiais revidaram a agressão e no confronto os dois bandidos foram baleados. Atingido na perna direita, o soldado Jeferson foi socorrido e levado para o Hospital Geral de Bonsucesso. Os assaltantes foram presos e uma pistola apreendida com eles.

24 de Janeiro: 1 PM baleado
Lotado no 12º BPM (Niterói), o cabo Barros foi baleado durante confronto com criminosos da facção Comando Vermelho (CV) que controlam o tráfico de drogas no Morro do Preventório, no bairro Charitas, na Zona Sul de Niterói. Socorrido, ele foi levado para o Hospital estadual Azevdo Lima, no Fonseca.

24 de Janeiro: 1 PM baleado
Lotado no 5º BPM (Praça da Harmonia), o sargento Anderson da Silva Pereira foi baleado na Praça Seca, na Zona Oeste do Rio. Ele estava de carona com um amigo identificado como Filipe Doreste Monteiro dos Santos Cruz, 33 anos, e passavam pela Rua General Vossio Brígido quando o motorista de um carro escuro encostou ao lado e um dos ocupantes bateu na janela do motorista com uma arma em punho. Assustado, o amigo do PM acelerou e os criminosos efetuaram diversos disparos, atingindo o policial nas costas e o condutor nas costas e no braço. Mesmo ferido, ele continuou dirigindo e foi até o quartel do Corpo de Bombeiros em Campinho, onde pediram ajuda. Os dois foram socorridos e encaminhados ao Hospital Estadual Carlos Chagas, em Marechal Hermes.

24 de Janeiro: 1 PM baleado
Lotado no Centro de Formação e Aperfeiçoamento de Praças (Cfap), o major Cremilson Jorge de Nascimento foi baleado ao reagir a um assalto, em Magalhães Bastos, na Zona Norte do Rio. O oficial estava acompanhado pela família e passava de carro pela Rua Tenente Coronel Cunha quando foi abordado por três criminosos. Ele reagiu e acabou atingido no ombro. No confronto, um dos bandidos também foi baleado, mas conseguiu fugir. O PM foi socorrido e levado para o Hospital Estadual Albert Schweitzer, em Realengo.

24 de Janeiro: 1 PC morto
O inspetor aposentado da Polícia Civil José Luiz Macedo Zandomingos, 57 anos, foi assassinado com vários tiros, em Realengo, na Zona Oeste do Rio. O corpo dele foi deixado no porta-malas do Classic prata placa LUZ 8813,na Rua José Maria de Abreu.

renato

25 de Janeiro: 1 PM morto
Lotado na Diretoria Geral de Pessoal (DGP), o sargento Renato Alves da Conceição, 39 anos, morreu após ser baleado em Jacarepaguá, na Zona Oeste do Rio. Ele passava com seu veículo – uma BMW branca – pela Rua Acapurana, na Favela Gardênia Azul, quando foi alvejado por cerca de oito tiros.

27 de Janeiro: 1 PM morto
Lotado no 34º BPM (Magé), o cabo Roque Medeiros Fonseca Júnior, 34 anos, morreu após ser baleado ao tentar impedir um assalto na loja Casas Bahia, no bairro Piabetá, em Magé, na Baixada Fluminense. O PM ainda foi socorrido e levado para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA), mas não resistiu.

27 de Janeiro: 1 PM morto
Lotado no 6º BPM (Tijuca), o sargento Artur Fernando Ribeiro Moura, 47 anos, morreu após ser baleado durante uma saidinha de banco – quando a vítima é seguida e assaltada após efetuar saque em agência bancária ou caixa eletrônico -, na esquina da Avenida Nossa Senhora de Copacabana com a Rua Joaquim Nabuco, em copacabana, na Zona Sul do Rio. O PM ainda foi socorrido e levado para o Hospital Municipal Miguel Couto, na Gávea, mas não resistiu.

28 de Janeiro: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Vila Cruzeiro, o soldado Rodney Alves da Silva foi baleado na porta de casa, em Irajá, na Zona Norte do Rio. Ele conversava com amigos na porta de sua casa quando criminosos passaram efetuando disparos. Atingido na região pública e na perna direita, o PM foi socorrido e levado para o Hospital Estadual Getúlio Vargas, na Penha.

29 de Janeiro: 1 PM baleado
Lotado no 29º BPM (Itaperuna), o cabo Carlos Henrique de Souza Barros, 33 anos, foi baleado durante operação na Rua José Raimundo de Oliveira, no Morro do Castelo, em Itaperuna. Atingido pelas costas, o PM, que trabalha no Serviço de Inteligência (P-2) do batalhão, foi socorrido e levado para o Hospital São José do Avaí, no Centro. Com os dois pulmões perfurados e uma vértebra quebrada que lesionou a medula, o PM corre o risco de ficar paraplégico.

evaldo

30 de Janeiro: 1 PM morto
Lotado no 29º BPM (Itaperuna),o subtenente Evaldo Fernandes da Silva, 37 anos, morreu após ser atingido por um disparo acidental durante operação para prender os responsáveis por atirar no cabo Barros, na véspera. O PM tropeçou e na queda acabou disparando acidentalmente sua arma. Ele estava de colete, mas o projétil atingiu a clavívula onde não havia proteção, perfurando a veia clava. Socorrido e levado para o Hospital São José do Avaí, no Centro, ele teve várias paradas cardíacas e acabou não resistindo.

30 de Janeiro: 1 PC baleado
Lotado na Delegacia de Combate às Drogas (Dcod), o inspetor Henrique Souza Leal Botelho, conhecido como Miño, foi baleado na Tijuca, na Zona Norte do Rio, ao entrar em um estabelecimento comercial sem saber que estava ocorrendo um assalto. O policial entrou nas Lojas Americanas, na Rua Conde do Bonfim, no momento em que um criminoso rendia um vigilante. Ele tentou então abordar o inspetor, que reagiu e houve confronto. Na troca de tiros, Henrique foi baleado no braço. O assaltante também foi atingido, mas conseguiu correr e fugiu em companhia de um comparsa. O policial foi socorrido e levado para o Pronto Socorro da Tijuca (Tijucor), na Casa de Saúde Santa Therezinha.

andre

31 de Janeiro: 1 PM morto
Lotado na Policlínica da Polícia Militar (PPM) Cascadura, o sargento André Luis de Araújo, 42 anos, foi baleado dentro de um bar na Rua Dona Maria, no bairro Agostinho Porto, em São João de Meriti, na Baixada Fluminense. Em estado grave, ele foi transferido para o Hospital Estadual Alberto Torres, no Colubandê, em São Gonçalo. Ele permaneceu mais de uma semana internado, mas não resistiu aos ferimentos.

31 de Janeiro: 1 PM morto
O sargento reformado da PM Carlos Elias dos Santos foi morto por traficantes da facção Comando Vermelho (CV) que controlam a venda de drogas no Conjunto da Marinha, no bairro Ipiranga, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. Nascido e criado no local, o PM levava uma amiga interessada em alugar seu antigo apartamento quando foi reconhecido pelos criminosos. A amiga, a vendedora Vivian Ribeiro Machado Viana, também foi assassinada. Os dois corpos foram encontrados carbonizados no porta-malas de um carro roubado.

3 de Fevereiro: 1 PM baleado
Lotado no Batalhão de Polícia de Choque (BPChoque), o sargento Alencar foi baleado quando sua pistola disparou acidentalmente, no interior da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), no Centro do Rio. O PM tinha acabado de almoçar e quando entrou no banheiro sua carabina CTT calibre 40 disparou, atingindo o quarto dedo do pé do pé direito. Socorrido, ele foi levado para o Hospital Municipal Souza Aguiar.

4 de Fevereiro: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) São Carlos, o soldado Joel Vianna de Azevedo foi atingido durante patrulhamento de rotina na favela localizada no bairro Estácio, na região central do Rio. Os PMs notaram um táxi com dois ocupantes em atitude suspeita na descida do morro e quando ligaram a sirene determinando parada para realizar a abordagem foram surpreendidos pela reação do condutor do veículo, que fugiu em direção à Rua Maia de Lacerda. Neste momento, os ocupantes efetuaram disparos contra a viatura, atingindo o vidro e ferindo o policial próximo à axila direita. Socorrido, ele foi levado para o Hospital Central da Polícia Militar (HCPM), e não corre risco de morte.

4 de Fevereiro: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Jacarezinho, o soldado Luiz William de Souza Araújo, 31 anos, foi baleado enquanto realizava uma abordagem, no encontro da Rua Viúva Cláudio com a Travessa Jacaré. Os PMs foram surpreendidos pelos ocupantes de um Ônix prata que passaram efetuando disparos contra a viatura. Atingido na cabeça, o policial foi socorrido e levado para o hospital. Ele não corre risco de morte.

16472816_1334260176617448_618288058519748341_n

5 de Fevereiro: 1 PM morto
Lotado no 4° BPM (São Cristóvão), o soldado Eduardo Ribeiro Paraguai, 36 anos, foi morto dentro de casa, na Rua Tinharé, no bairro São José do Imbassaí, em Maricá. O PM foi surpreendido pelo ex-marido de sua namorada. Morador de Bonsucesso, na Zona Norte do Rio, ele saiu recentemente da cadeia após ser preso por assalto a mão armada. O assassino fugiu levando a pistola do policial. Segundo informações da Polícia, o criminoso pulou o muro da residência de sua ex-mulher e atirou no PM pelas costas.

bispo

7 de Fevereiro: 1 PM morto
Lotado no 20° BPM (Mesquita), o cabo Tiago Bispo dos Santos, 34 anos, morreu após ser baleado durante incursão na Favela Dom Bosco, no bairro Cabuçu, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. Atingido no peito, o PM sofreu um rompimento da artéria subclávia. Ele ainda foi socorrido e levado para o Hospital Geral de Nova Iguaçu, mas não resistiu ao ferimento.

nelson

10 de Fevereiro: 1 PM morto
O cabo reformado da PM Nelson do Carmo Costa morreu após ser baleado na porta de casa, em Belford Roxo, na Baixada Fluminense. O PM tinha acabado de sair da academia e conduzia seu veículo pela Rua Sílvio Rocha, no Centro, quando foi cercado pelos ocupantes de um carro não identificado – um deles armado com um fuzil. O policial ainda desceu de seu automóvel e correu tentando entrar em casa, mas foi atingido por diversos disparos. Ele chegou a ser socorrido e levado para o Hospital Geral de Nova Iguaçu, na Posse, mas não resistiu.

wallace

10 de Fevereiro: 1 PM morto
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Manguinhos, o soldado Wallace Guimarães de Souza, 27 anos, morreu após ser baleado ao reagir a uma tentativa de assalto, em Nilópolis, na Baixada Fluminense. O PM estava na Rua Senador Fernando Mendes, no Centro, quando foi abordado por dois criminosos em uma moto. Ao descobrir que a vítima era policial, os bandidos efetuaram disparos e fugiram levando a mochila do soldado. Ele ainda foi socorrido e levado para o Hospital Municipal Juscelino Kubitschek, mas não resistiu.

gemerson

11 de Fevereiro: 1 PM morto
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Rocinha, o soldado Gemerson Augusto Chaves da Silva, 27 anos, morreu após ser baleado durante uma discussão na saída de um forró, no bairro Retiro, em Volta Redonda. O autor do crime também era PM – o soldado Everton de Freitas Vieira, lotado no 10ºBPM (Barra do Piraí). Ele foi preso no dia seguinte ao crime, por policiais da 93ª DP (Volta Redonda).

renault

13 de Fevereiro: 1 PM morto
O soldado reformado Renault Ferreira Feitosa, 39 anos, morreu após ser baleado, em São Cristóvão, na Zona Norte do Rio. O PM, que era portador de esquizofrenia, discutiu com um homem durante uma festa na Favela Barreira do Vasco e quando saiu do local e passava pela Rua Ricardo Machado, foi alvo de tiros.

marins

14 de Fevereiro: 1 PM morto
Lotado no 22º BPM (Benfica), o sargento Márcio Leandro do Nascimento Marins, 46 anos, foi assassinado, em Guadalupe, na Zona Oeste do Rio. O corpo do PM foi encontrado carbonizado no porta malas de seu carro, próximo à Favela da Palmeirinha.

16681971_1539096686130511_5450689593184840198_n

21 de Fevereiro: 1 PM morto e 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Jacarezinho, o soldado Michel de Lima Galvão, 32 anos, morreu após ser baleado durante ataque de criminosos que continuam controlando o tráfico de drogas na Favela do Jacarezinho, no bairro Jacaré, na Zona Norte do Rio. O PM foi baleado pelas costas. O tiro entrou pelo ombro e perfurou o pulmão. Ele ainda foi socorrido e levado para o Hospital Municipal Salgado Filho, no Méier, mas não resistiu. Na ação criminosa, o soldado Thiago Gregório Ribeiro da Silva também foi atingido – ferido por um tiro que atravessou sua orelha. Ele recebeu alta após atendimento médico.

21 de Fevereiro: 1 PM baleado
Lotado na Operação Centro Presente, o soldado Jackson Mendes da Silva foi atingido no abdômen durante tiroteio no Centro do Rio. A perseguição a criminosos teve início na Avenida Presidente Vargas, na altura da Rua Uruguaiana, e terminou na Rua Passos. Um dos bandidos foi preso e outros dois conseguiram fugir. Após passar por procedimento no Hospital Municipal Souza Aguiar, ele será transferido para o Hospital Central da Polícia Militar (HCPM) e não corre risco de morte.

23 de Fevereiro: 2 PMs baleados
Lotados, respectivamente, no Batalhão de Ações com Cães (BAC) e no 22° BPM (Benfica), o cabo Maurício Pires de Carvalho e o sargento Alex Sandro Cruz dos Santos foram baleados durante uma operação da Favela Nova Holanda, no Complexo da Maré, em Bonsucesso, na Zona Norte do Rio. Enquanto o cabo Pires foi atingido no abdômen, o sargento Cruz foi atingido na perna. O primeiro PM foi socorrido e levado para o Hospital Federal de Bonsucesso e o segundo para o Hospital Central da Polícia Militar (HCPM), no Estácio.

23 de Fevereiro: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Nova Brasília, o soldado Bruno dos Santos Roque, 35 anos, foi baleado no abdômen e na perna durante ataque de criminosos da facção Comando Vermelho (CV) que continuam controlando o tráfico de drogas no Complexo do Alemão, na Penha, na Zona Norte do Rio. O ataque ocorreu na localidade conhecida como Largo do Samba. Socorrido, o PM foi levado para o Hospital Estadual Getúlio Vargas.

23 de Fevereiro: 1 PM baleado
Lotado no 3° BPM (Méier), o sargento Gilson Carvalho, 50 anos, foi baleado durante incursão no Morro do Juramentinho, em Vicente de Carvalho, na Zona Norte do Rio. O PM estava na Rua Maracá quando foi atingido. Socorrido, ele foi levado para o Hospital Estadal Getúlio Vargas, na Penha.

23 de Fevereiro: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Mangueira, o soldado Vinicius Lima Cavalcante foi baleado ao reagir a um assalto, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. O PM estava na Estrada de Madureira, em frente ao Conjunto Habitacional da Marinha, no bairro Ipiranga, quando viu dois criminosos em uma moto assaltando pedestres. Ele trocou tiros com os bandidos e acabou atingido. Socorrido, foi levado para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Cabuçu, sendo posteriormente transferido para o Hospital Geral de Nova Iguaçu.

23 de Fevereiro: 1 PM baleado
Lotado no 20° BPM (Mesquita), o subtenente Anderson Lima da Silveira foi baleado durante incursão na Favela da Chatuba, em Mesquita, na Baixada Fluminense. Socorrido, o PM foi levado para o Hospital Geral de Nova Iguaçu, na Posse. Ele corre o risco de perder a visão.

23 de Fevereiro: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Camarista Méier, o soldado Araújo foi baleado durante ataque de criminosos da facção Comando Vermelho (CV) que continuam controlando o tráfico de drogas no Complexo do Lins, no Lins de Vasconcellos, na Zona Norte do Rio. Atingido na localidade conhecida como Boca do Mato, o PM foi salvo pelo colete.

lance

23 de Fevereiro: 1 PM morto
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Camarista Méier, o cabo Thiago de Oliveira Lance, 31 anos, morreu ao reagir a um assalto, em Cordovil, na Zona Norte do Rio. O PM tinha saído de serviço e estava indo para casa quando foi abordado pelos criminosos, na Rua Iranduba. Ele trocou tiros com os assaltantes, mas acabou atingido. Os bandidos fugiram levando a arma e a moto do policial, que ainda foi socorrido e levado para o Hospital Estadual Getúlio Vargas, na Penha, mas não resistiu. O cabo Lance deixou esposa grávida de sete meses. A expectativa é de que o filho do casal nasça no final do mês de abril.

24 de Fevereiro: 1 PM baleado
Lotado no 4° BPM (São Cristóvão), o subtenente Dimas de Mello Azevedo foi baleado ao reagir a um assalto, em Piedade, na Zona Norte do Rio. O PM estava na Rua Clarimundo de Melo, próximo à Rua Assis Carneiro, quando foi abordado por criminosos que tentaram roubar seu veículo – um Gol branco. O policial reagiu e trocou tiros com os assaltantes, mas acabou atingido na perna direita e de raspão no rosto. Ele estava a caminho do batalhão para assumir o serviço e ainda conseguiu continuar dirigindo e foi até o Hospital Municipal Salgado Filho, no Méier, onde foi socorrido.

26 de Fevereiro: 1 PM baleado
Lotado no 4° BPM (São Cristóvão), o soldado Edilson Cordeiro Ferreira foi baleado durante ataque de criminosos do Morro da Providência, no bairro Santo Cristo, na Zona Portuária do Rio, à viatura em que trafegava, na madrugada do domingo de carnaval. O soldado Cordeiro e seu colega de farda, soldado Assunção, receberam determinação da Sala de Operações Policiais (SOP) de sua unidade para buscar um policial no sambódromo, por volta da 00h30. Na tentativa de encurtar tempo e distância, eles resolveram acessar a via binário e pegar a Rua Rivadávia Correia para percorrer o túnel João Ricardo, na Gamboa. Assim que saíram do túnel, na Central do Brasil, foram surpreendidos pelos disparos, que atingiram as costas do soldado Cordeiro – que estava no volante da viatura. Mesmo baleado na altura da região lombar, ele conseguiu continuar dirigindo e foi até o Hospital Municipal Souza Aguiar, no Centro, onde foi socorrido. O PM não corre risco de morte mas ainda não foram divulgadas informações sobre o procedimento cirúrgico.

ricardo feitosa

26 de Fevereiro: 2 PMs mortos
Lotados no 16º BPM (Olaria), os cabos Rodrigo Severo e Ricardo Feitosa foram assassinados e tiveram os corpos deixados dentro de um carro carbonizado, na Rua Jorge Coelho, em Brás de Pina, na Zona Norte do Rio.

severo

27 de Fevereiro: 1 PM baleado
Lotado no 41º BPM (Irajá), o soldado Biral foi baleado durante confronto com criminosos que tentavam roubar caixas eletrônicos da agência da Caixa Econômica Federal (CEF) de Anchieta, na Zona Norte do Rio. Bandidos invadiram a CEF localizada na Avenida Nazaré, mas acabaram surpreendidos pelos PMs. No confronto em que o soldado foi atingido, um dos criminosos também foi alvejado. Ele não resistiu e morreu ainda no local – com um artefato explosivo preso à cintura. Um dos comparsas dele, também baleado, foi preso e conduzido ao Hospital Estadual Carlos Chagas, em Marechal Hermes, onde foi internado sob custódia. Socorrido e levado para a mesma unidade de saúde, o PM não corre risco de morte. Na ação, os policiais apreenderam um fuzil AK, um revólver, uma pistola e uma granada.

28 de Fevereiro: 2 PMs baleados
Lotados na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Mangueirinha, os soldados Evandro e Peçanha foram baleados durante confronto com criminosos que continuam controlando o tráfico de drogas no Morro da Mangueirinha, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. O primeiro foi atingido no braço e o segundo na perna.

luiz alberto

12 de Março: 1 PM morto
Lotado no 7º BPM (São Gonçalo), o sargento Luiz Alberto do Couto Neves, 39 anos, foi assassinado ao tentar recuperar uma moto roubada, em São Gonçalo. Três primos do PM também morreram na ação: o funcionário de uma empresa de iluminação pública, Jorge da Silva Barcellos Filho, 35, o eletricista Everaldo Leckar da Silva, 46, e o mecânico Carlos Augusto Leckar Magalhães, 47.

14 de Março: 1 PM baleado
Lotado no 12° BPM (Niterói), o soldado Alexandre foi baleado durante perseguição a assaltantes, no Fonseca, na Zona Norte de Niterói.

14 de Março: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Arará/Mandela, o soldado Sales foi baleado durante ataque de criminosos da facção Comando Vermelho (CV) que continuam controlando o tráfico de drogas na favela localizada em Bonsucesso, na Zona Norte do Rio. O PM e outros colegas de farda se dirigiam para a rendição e passavam pela localidade conhecida como Pontilhão, na Favela do Mandela, quando foram atacados. Atingido na perna, o soldado só conseguiu ser socorrido com a chegada do veículo blindado. Ele foi levado para o Hospital Geral de Bonsucesso.

15 de Março: 1 PM baleado
Lotado no 12° BPM (Niterói), o cabo Josias Fabiano Cardoso de Almeida foi baleado ao tentar impedir a fuga de criminosos que tinham assaltado uma pedestre, em Santa Rosa, na Zona Sul de Niterói. O PM estava dentro de seu carro, na Avenida Sete de Setembro, na altura do número 226, quando viu os ocupantes de um Hyundai HB20 abordando uma senhora e uma mulher que caminhavam na calçada. Depois que a vítima entregou seus pertences, o policial saiu de seu veículo e tentou prender os assaltantes, mas eles recebiam cobertura de comparsas que estavam em uma Toyota Hilux logo atrás.
O PM conseguiu balear um dos assaltantes, mas acabou atingido na altura da bacia. O criminoso fugiu com ajuda dos comparsas. Socorrido e levado para o Hospital Niterói D’Or – localizado a poucos metros do local do crime – o cabo Cardoso foi transferido para o Hospital Estadual Azevedo Lima, no Fonseca, na Zona Norte, onde está sendo submetido a uma cirurgia.

roberto

15 de Março: 1 PM morto
Lotado no 6º BPM (Tijuca), o sargento Roberto Soares Santanna Júnior, 42 anos, foi assassinado na porta de sua residência, em São João de Meriti, na Baixada Fluminense. O PM estava afastado do serviço em Licença para Tratamento de Saúde (LTS). O crime ocorreu na Avenida Maria Augusta da Silva, no Centro.

17360935_1752083041768410_1337243385_n

16 de Março: 1 PM morto
Lotado no 5° BPM (Praça da Harmonia), o soldado Gabriel Brasil Soares morreu após ser baleado ao se deparar com um “bonde”, em Magé, na Baixada Fluminense. Ele se dirigia ao trabalho para assumir o serviço e passava pela Estrada da Mineira – fuga do pedágio dá Rio-Teresópolis – quando se deparou com criminosos em um carro preto e com escolta de comparsas em duas motos.
A arma do policial foi levada. Ele ainda foi socorrido por policiais do 34° BPM (Magé), mas não resistiu.

17354701_1752113688432012_1757744641_n

16 de Março: 1 PM morto
Lotado na Diretoria Geral de Pessoal (DGP), o sargento Renato César Jorge Cardoso, 48 anos, morreu após ser baleado ao reagir a um assalto, no Maracanã, na Zona Norte do Rio. Ele seguia em sua moto pela Rua São Francisco Xavier quando, na altura da esquina com a Rua Radialista Waldir Amaral – próximo à Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) – quando foi abordado por assaltantes. O PM reagiu e chegou a trocar tiros com os bandidos, mas acabou atingido. O PM reagiu e chegou a trocar tiros com os bandidos, mas acabou atingido.

16 de Março: 1 PM baleado
Lotado na Coordenadoria de Operações e Recursos Especiais (Core), o inspetor Gabriel Lott Pereira Martins, 37 anos, foi baleado durante incursão na Favela Nova Holanda, no Complexo da Maré, na Zona Norte do Rio. Socorrido, ele foi levado para o Hospital Geral de Bonsucesso.

17 de Março: 3 PMs baleados
Lotados no 22° BPM (Benfica), o tenente Guedes, o cabo Albuquerque e o soldado Bruno Silva ficaram feridos no bairro Higienópolis, na Zona Norte do Rio. Os PMs realizavam patrulhamento de rotina e passavam pela Rua Francisco de Medeiros quando se depararam com um Jeep Renegade branco e um Ford Ranger azul, na altura da Rua Tamiarana. Ao notar o desconforto dos ocupantes dos veículos com a presença da viatura, os policiais resolveram efetuar a abordagem, mas os criminosos desobedeceram à ordem de parada e fugiram. Já na altura da Rua Darke de Matos, com o sinal fechado, os suspeitos desceram dos carros efetuando disparos contra os PMs e roubaram um Renault Sandero, com o qual conseguiram fugir. O tenente Guedes foi atingido na perna e o cabo Albuquerque e o soldado Bruno Silva nas mãos. Nos automóveis abandonados no local, foram apreendidos 14 aparelhos de telefone celular, um carregador de pistola e um coldre.

17362898_1373882555988543_7533034209941884121_n

18 de Março: 1 PM morto
O sargento da reserva remunerada da PMERJ, Luis Carlos Sampaio Silva Mendes, 62 anos, morreu após ser baleado ao reagir a um assalto, no Engenho de Dentro, na Zona Norte do Rio.

17309285_1375271182516347_6927441097508986878_n

19 de Março: 1 PM morto
Lotado no 20° BPM (São João de Meriti), o soldado Eli Santos, 38 anos, morreu após ser baleado, no bairro Engenheiro Pedreira, em Japeri, na Baixada Fluminense. O homicídio foi cometido por criminosos da facção Comando Vermelho (CV) que controlam o tráfico de drogas na Favela Santa Amélia. O PM tinha deixado a esposa e os dois filhos na casa de parentes na região mais cedo e estava indo buscá-los. A Divisão de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF) vai apurar a denúncia que afirma que os traficantes descobrir que ele era policial e ficaram monitorando até o horário em que ele retornou. A arma do PM foi roubada.

17424833_1375836205793178_1724071882094642742_n

20 de Março: 1 PM morto
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Vidigal, o soldado Samuel Oliveira da Silva morreu após ser baleado durante assalto na Linha Vermelha, na altura de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. O PM, que ainda não tinha conseguido receber seu Certificado de Registro de Arma de Fogo (Craf), estava desarmado e conduzia sua moto quando foi abordado pelos criminosos, na altura do quartel do Corpo de Bombeiros. Os militares chegaram no local para prestar socorro achando que era um acidente de trânsito mas descobriram que o policial tinha marcas de projéteis de arma de fogo no tórax, no braço e na cabeça. Socorrido, ele foi levado para o Hospital Estadual Adão Pereira Nunes, no bairro Saracuruna, mas não resistiu.

17458228_1377771972266268_4380272242807653614_n

22 de Março: 1 PM morto
O sargento reformado Gilmar Raposo – que foi lotado no extinto Batalhão de Polícia Florestal e de Meio Ambiente (BPFMA) – morreu após ser baleado na porta de sua residência, na Favela Vila Kennedy, em Bangu, na Zona Oeste do Rio. O crime ocorreu na Travessa Croácia.

23 de Março: 2 PMs baleados
Lotados na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Nova Brasília, os soldados L. Dutra e Wendel foram baleados durante ataque de criminosos da facção Comando Vermelho (CV) que continuam controlando o tráfico de drogas no Complexo do Alemão, na Penha, na Zona Norte do Rio. O primeiro levou um tiro de raspão nas costas que em seguida transfixou seu braço esquerdo e o segundo foi atingido próximo à nádega por um projétil que saiu perto da virilha. Após tomografia se constatou que ele raspou na veia femoral. Apesar de ter lesionado a veia, não a rompeu. Os dois PMs foram socorridos e levados para o Hospital Estadual Getúlio Vargas, onde receberam atendimento médico, sendo posteriormente conduzidos ao Hospital Central da Polícia Militar (HCPM), no Estácio, e receberam alta logo depois.

17457763_1380599185316880_8163703363738976785_n

24 de Março: 1 PM morto
O subtenente reformado Dilson Medina Soares foi assassinado em Cabo Frio, na Região dos Lagos. O PM – que faria aniversário neste sábado, dia 25 – estava em um bar na Avenida Adolfo Beranger Júnior, no bairro Guarani, acompanhado por um amigo. Os dois bebiam cerveja em uma das mesas do lado de fora do estabelecimento quando dois bandidos encapuzados chegaram em uma moto. O policial ainda correu para dentro do comércio, mas acabou morrendo no local após ser atingido por um disparo na cabeça. Os criminosos fugiram sem levar a arma do subtenente Medina, que era morador do bairro Vila do Sol.

13533265_1793284820889609_4855914635955898462_n

26 de Março: 1 PM morto
O sargento reformado Gastão Pedro Gama Carmo, 69 anos, foi assassinado ao ser identificado como policial durante um assalto, em Marechal Hermes, na Zona Norte do Rio. Morador do bairro, o PM seguia para a igreja e passava pela Rua Henrique Albuquerque em seu Voyage quando foi fechado pelos ocupantes de um Fiat Siena que anunciaram o roubo. O crime ocorreu na altura da Rua Descartes. Assim que viram a arma do sargento, os criminosos efetuaram disparos contra o policial, que não teve chance de defesa ou reação. Ele ainda foi socorrido e levado para o Hospital Estadual Carlos Chagas, mas não resistiu.

28 de Março: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Manguinhos, o cabo Robert foi atingido no abdômen e no braço esquerdo no Complexo de Manguinhos, em Bonsucesso, na Zona Norte do Rio. Os policiais verificavam denúncia de que havia um caminhão roubado na localidade conhecida como Varginha quando foram recebidos a tiros. Socorrido, ele foi levado para o Hospital Municipal Souza Aguiar, no Centro do Rio.

28 de Março: 1 PM baleado
Lotado no 41° BPM (Irajá), o cabo Antônio Pedro Mendes de Araújo foi baleado durante ataque de criminosos da facção Comando Vermelho (CV) que continuam controlando o tráfico de drogas no Complexo de Manguinhos, em Bonsucesso, na Zona Norte do Rio. O PM e seu colega de farda seguiam com uma mulher e uma criança para a Cidade da Polícia – onde está localizada a Central de Garantias – para registrar uma ocorrência quando a viatura em que estavam foi atacada pelos traficantes. Os dois policiais saíram da viatura para se abrigar e revidar e houve um intenso confronto. Atingido, o cabo Pedro foi socorrido por policiais da Coordenadoria de Operações e Recursos Especiais (Core) que passavam pelo local também a caminho da Cidade da Polícia e levado para o Hospital Municipal Souza Aguiar, no Centro. O soldado Azevedo permaneceu a todo tempo resguardando as vítimas e pedindo prioridade pelo rádio por não conseguir se aproximar do local em que o outro policial caiu. O cabo Pedro foi submetido a uma cirurgia e permanece internado em estado grave.

17629884_1386463458063786_8479699539654618780_n

28 de Março: 1 PM morto
Lotado no Grupo de Apoio à Promotoria (GAP), o subtenente Antônio Gonçalo dos Santos Filho 54 anos, morreu após ser baleado ao ser identificado como policial, em Magé, na Baixada Fluminense. O PM abastecia seu veículo em um posto de combustíveis localizado na Avenida Simão da Mota, no Centro, quando quatro bandidos chegaram no estabelecimento. Ele ainda foi socorrido e levado para o Hospital Municipal de Magé, mas não resistiu.

29 de Março: 1 PM morto
Lotado no 31º BPM (Recreio dos Bandeirantes), o soldado Fernando Santos Andrade e Silva morreu após ser baleado durante uma abordagem a criminosos, no Recreio dos Bandeirantes, na Zona Oeste do Rio. O PM, que trabalhava no Serviço de Inteligência (P-2) da unidade, ainda foi socorrido e levado para o Hospital Municipal Lourenço Jorge, na Barra da Tijuca, mas não resistiu.

17457505_1387766381266827_2605498667106425862_n

30 de Março: 1 PM morto
O subtenente reformado Almir Tadeu Alves de Oliveira, 57 anos, morreu após ser baleado ao tentar impedir um assalto no interior das Lojas Americanas, na Avenida 28 de setembro, em Vila Isabel, na Zona Norte do Rio.

17760146_1392426567467475_7977551365809181369_n

1º de abril: 1 PM morto e 1 PM baleado
Lotados no 24° BPM (Queimados), o soldado Gilberto Guimarães Pereira Corrêa, 38 anos, e o capitão Reis foram baleados durante incursão na Favela 40, em Japeri, na Baixada Fluminense. Os dois estavam de colete. O equipamento amorteceu o tiro que atingiu o oficial na barriga, mas o soldado Guimarães foi atingido na área lateral do abdômen, que o colete não protege, além do queixo. Os dois foram socorridos e levados para o Hospital Geral de Nova Iguaçu, na Posse. O capitão Reis recebeu alta após receber atendimento médico. O soldado Guimarães ainda permaneceu internado durante três dias, mas não resistiu e faleceu no dia 4 de abril.

1º de abril: 1 PM baleado
Lotado no 3° BPM (Méier), o cabo Dos Santos foi atingido no ombro e no peito durante operação na Favela Morada Carioca, no bairro Triagem. A ação tinha como objetivo reprimir um baile funk promovido por traficantes de drogas. Socorrido, o PM foi levado para o Hospital Municipal Salgado Filho, no Méier.

1º de abril: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Caju, o soldado Sílvio Gomes dos Santos foi atingido na perna ao reagir a um assalto, em Nilópolis, na Baixada Fluminense. O PM trafegava com a sua moto pela Rua João Moraes Cardoso quando foi abordado pelos assaltantes. Os bandidos fugiram e o soldado Gomes foi socorrido e levado para o Hospital Municipal Juscelino Kubitschek, no Centro. Ele não corre risco de morte.

3 de abril: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Cidade de Deus, um policial que não teve nome e nem patente divulgados foi baleado na localidade conhecida como Tangará, na Favela Cidade de Deus, em Jacarepaguá na Zona Oeste do Rio. Atingido no pé, o PM foi socorrido e levado para o Hospital Municipal Lourenço Jorge, na Barra da Tijuca.

17813880_1762733307370050_278822536_n

4 de abril: 1 PM morto
Lotado no 39°BPM, o sargento Sérgio Cordeiro morreu após ser baleado por criminosos, em Belford Roxo, na Baixada Fluminense. Ele participava de blitz na via de acesso à Favela Parque Floresta, no bairro de mesmo nome, quando um veículo preto desobedeceu à ordem de parada e iniciou fuga em direção à comunidade. Os PMs saíram em perseguição e assim que entraram na favela foram surpreendidos por diversos disparos efetuados contra a viatura. Atingido na altura do pescoço, o sargento ainda foi socorrido e levado para o Hospital Geral de Nova Iguaçu, na Posse, mas não resistiu.

17796570_1393800273996771_1878257215528871687_n

4 de abril: 1 PM morto e 1 PM baleado
Adidos à Lei Seca, os sargentos Anselmo Alves Júnior e Mendes foram baleados durante operação, em Queimados, na Baixada Fluminense. A barreira estava montada na Avenida Marinho Hemetério de Oliveira, próximo à praça Nossa Senhora da Conceição, no Centro, quando os ocupantes do Honda Civic cinza placa KXC 5817 desobedeceram à ordem de parada e furaram o bloqueio efetuando disparos contra os agentes que estavam no local. Os policiais revidaram e houve confronto. Um dos bandidos foi atingido e morreu ainda no local. Um segundo foi preso e o terceiro conseguiu fugir, deixando os comparsas para trás. Os criminosos ainda não foram identificados.
Na ação, foi apreendida uma pistola. Os dois PMs foram socorridos mas o sargento Alves morreu a caminho da unidade de saúde. O sargento Mendes não corre risco de morte.

5 de abril: 1 PM baleado
Lotado no Centro de Suprimento de Material (CSM), o sargento Patrocínio foi baleado durante arrastão no acesso ao trecho Niterói-Manilha da BR-101, na altura do Piscinão de São Gonçalo, no bairro Boa Vista, em São Gonçalo. Ao perceber que seria abordado pelos criminosos, o sagento reagiu. Na troca de tiros, um ônibus da viação Mauá que passava pelo local foi atingido. Baleado na perna, o PM foi socorrido e liberado após receber atendimento médico.

6 de abril: 1 PM morto
O sargento reformado Walter Pegas de Oliveira morreu após ser vítima de bala perdida, em Campo Grande, na Zona Oeste do Rio. O PM estava na Rua Manoel Bitencourt quando bandidos atiraram contra os ocupantes do Sandero prata placa KPS 9628. Os baleados foram sequestrados pelos bandidos. No tiroteio, o policial, que estava na calçada de sua residência, acabou atingido no peito. Ele não resistiu.

7 de abril: 1 PM morto e 1 PM baleado
O sargento reformado Benedito José Alvarenga da Silva morreu após ser baleado durante um assalto, no KM 282 da BR-101, na altura do bairro de Duques, em Itaboraí. Na ação criminosa, o sargento reformado José Antônio Moreira também foi atingido. Os criminosos fugiram levando o veículo dos PMs – um Gol – e as armas dos dois. Moradores da Região dos Lagos, os policiais chegaram a ser socorridos e levados para o Hospital Municipal Leal Júnior, onde o sargento Benedito não resistiu. Ele comemoraria aniversário de casamento neste sábado, dia 8, com uma festa para reunir familiares e amigos, em Iguaba.

8 de abril: 1 PM baleado
Lotado no 16°BPM (Olaria), o subtenente Rogê de Freitas Oliveira foi baleado ao reagir a assalto, no Quitungo, na Zona Norte do Rio. O PM estava na Rua Cacequi quando foi abordado por três criminosos armados. Sua arma falhou, ele entrou em luta corporal com os bandidos e acabou atingido por dois disparos na altura do peito. Os assaltantes fugiram levando o veículo do PM. Socorrido, o subtenente Rogê foi levado para o Hospital Estadual Getúlio Vargas, na Penha.

17799302_1399133610130104_7421475327094855396_n

9 de abril: 1 PM morto e 1 PM baleado
Lotados na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Lins, o soldado Anderson de Azevedo Marques, 31 anos, e o soldado Adriano foram baleados durante ataque de criminosos, no Engenho Novo, na Zona Norte do Rio. Os dois trafegavam pela Rua Barão do Bom Retiroquando desconfiaram dos ocupantes de uma moto. Na tentativa de abordagem, foram surpreendidos pela reação do carona, que efetuou diversos disparos contra a viatura. O soldado A. Marques foi atingido na cabeça e o soldado Adriano no braço. Duas pessoas foram vítimas de balas perdidas. Todos foram socorridos e levados para o Hospital Municipal Salgado Filho, no Méier. O soldado A. Marques não resistiu e faleceu durante a cirurgia.

17951478_1408199109223554_1109896775311980091_n

9 de abril: 1 PM morto e 1 PM baleado
Lotado no 20°BPM, o soldado Luís Otávio da Silva Júnior morreu após ser baleado durante ataque de criminosos à base destacada da 4 Cia (Marapicu), em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. Na ação criminosa, o soldado Luciano Correia Sobral também foi atingido. Ele e o soldado Otávio, que trabalhavam no Centro de Segurança Regional (CSR) Palhada, foram em apoio aos policiais da base da 4 Cia. No local, foram surpreendidos bandidos armados com fuzis e pistolas que passaram em quatro motos e efetuaram disparos contra os PMs. Atingido na femoral, o soldado Otávio teve a perna amputada. Uma campanha de doação de sangue chegou a ser realizada para ajudar o PM, que tinha perdido muito sangue. Ele permaneceu internado durante seis dias no Hospital Geral de Nova Iguaçu, na Posse, mas não resistiu aos ferimentos e faleceu, no dia 15. Ele estava na corporação há quatro anos.

14 de abril: 1 PM baleado
Lotado no 7° BPM (São Gonçalo), o cabo Adalberto foi baleado durante confronto com criminosos que estavam praticando assaltos na Avenida Paiva, no bairro Neves, em São Gonçalo. Os PMs realizavam patrulhamento de rotina quando se depararam com os assaltantes que estavam em um Hyundai I30. Atingido no ombro, o PM foi socorrido e levado para o Hospital Estadual Alberto Torres, no Colubandê.

18010093_1410284602348338_4638071651244104476_n

15 de abril: 1 PM morto
Lotado no Batalhão de Polícia de Choque (BPChoque), o soldado Carlos Roberto da Silva Ribeiro, 32 anos, morreu no Hospital Geral de Nova Iguaçu, na Posse, onde estava internado há três dias, após ter sido baleado ao impedir um assalto, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. Atingido no ombro e na perna, ele sofreu uma lesão na veia femural e estava internado desde então. O PM morreu no dia 17 de abril – três dias após seu filho ter nascido.