Arquivo de 19 de janeiro de 2009

Fotos: divulgação

Policiais militares lotados no Grupamento de Ações Táticas (GAT) do 14º BPM (Bangu) prenderam dois homens acusados de envolvimento com a facção criminosa Terceiro Comando Puro (TCP) e participação no tráfico de drogas na Vila Kenney, em Bangu.

01

Os PMs trafegavam pela Rua X quando surpreenderam Ricardo Ribeiro, 21 anos. Com ele foram apreendidos 25 sacolés de cocaína e 16 pedras de crack.

clip_image002

Logo depois, na Travessa Santa Anastácia, os policiais se depararam com Moisés da Costa, 26, apontado pela Polícia como gerente da boca-de-fumo do local. Com ele os PMs apreenderam um revólver Taurus calibre 38, três granadas artesanais e 112 trouxinhas de maconha.

clip_image0021

O registro foi feito na 34ª DP (Bangu).

Anúncios

Foto: divulgação

unknown_parameter_value

Policiais da Delegacia de Roubos e Furto de Cargas (DRFC) prenderam o advogado Gilmar Lopes Paixão, 46 anos, no Mercado de Peixe São Pedro, no Centro de Niterói, na sexta-feira, dia 16.

Os agentes realizavam investigação relativa a receptadores de cargas roubadas quando reconheceram o advogado, que era considerado foragido da Justiça há 23 anos. Ele foi condenado a 12 anos de prisão pelo assassinato do próprio irmão, ocorrido em 1984, em Casemiro de Abreu, e nunca havia sido preso.

Fotos: Vitor Silva

Policia

Apontado pela Polícia como matuto – intermediário entre os produtores de drogas e os grandes traficantes – o paulista Roberto Roosevelt de Brito, 32 anos, foi preso por agentes da Delegacia de Repressão às Armas e Explosivos (DRAE), na manhã de ontem. Ele foi surpreendido pelos policiais na Rodovia Washington Luiz, na altura de Santa Cruz da Serra, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, por volta das 8h30. Com ele, foram apreendidos 5 tabletes de cocaína pura. Cada um tinha um quilo. O prejuízo dos criminosos ultrapassou R$ 60 mil.

“Devido ao grau de pureza, cada tablete foi avaliado em cerca de R$ 12 mil. Esse valor é triplicado, pois cada quilo eles multiplicam em até três vezes com várias misturas antes de colocar a cocaína à venda”, explicou o delegado Raul Morgado, titular da DRAE.

A droga estava escondida em um fundo falso no carro do matuto – o Santana prata placa GZV 7446. O compartimento, localizado entre o encosto do banco traseiro e o porta-malas, possuía um dispositivo especial. Era preciso colocar a chave na ignição e logo depois passar um ímã próximo à tampa interna do porta-malas. O espaço tinha capacidade para 50 quilos.

“Esse era o tráfico formiguinha, que transporta pequena quantidade para evitar grandes apreensões”, revelou o delegado, ressaltando que vai entrar em contato com a Polícia Civil de São Paulo para troca de informações.

A cocaína apreendida ontem seria entregue na Favela Parada de Lucas, que possui acessos pelos bairros Cordovil, Irajá e Vigário Geral e também pelo município de Duque de Caxias. O tráfico de drogas no local é controlado pela facção criminosa Terceiro Comando Puro (TCP). O matuto tinha orientação para procurar os traficantes conhecidos como Chopp, Tião e Dalmo. Este último também é conhecido como Braço.

“Lá em Paradas de Lucas a droga seria misturada e passaria a ter um volume três vezes maior. Depois seria distribuído por outras favelas do TCP, como Vila Aliança e Coréia”, informou o delegado Raul Morgado.

Após ser autuado em flagrante por tráfico de drogas, ele foi encaminhado à carceragem da Polinter, onde vai permanecer à disposição da Justiça. A pena varia de 5 a 15 anos de prisão.

Policia

Fotos: Vitor Silva

Policia

Policiais militares do 14º BPM (Bangu) impuseram um prejuízo de cerca de R$ 100 mil a traficantes ligados à facção criminosa Amigos dos Amigos (ADA) que controlam a venda de drogas na Favela Vila Vintém, em Padre Miguel, na Zona Oeste do Rio, na manhã de sexta-feira, dia 16. Uma equipe do Grupamento de Aplicações Táticas (GAT), com auxílio do veículo blindado e apoio de agentes do Serviço de Inteligência (P-2) da unidade, apreendeu cerca de 200 quilos de maconha, além de farto material para endolação – como tesouras, facas, grampeadores, sacos plásticos e até uma balança de precisão.

Os PMs encontraram a droga no interior de um imóvel na Rua Otaviano. Eles chegaram até o endereço através de denúncia anônima que afirmava que no local funcionava o Quartel General (QG) do tráfico. Grande parte da maconha ainda não havia sido embalada. Naquela já preparada para a venda, havia etiquetas com a inscrição “Boldo Racha Coco ADA VV R$ 10” – uma alusão à facção, às iniciais da favela e ao valor da droga.

Policia

Enquanto o blindado se encaminhou diretamente para a casa, com os PMs do GAT, a equipe da P-2 realizou um planejamento para impedir que os traficantes fizessem a interceptação.

“Os criminosos costumam interceptar o caveirão, atirar pelas costas e jogar granadas por baixo dele. Cuidamos para que isso não ocorresse. Nosso levantamento tem como objetivo diminuir ao máximo o tempo de permanência na favela. Nossas ações não passam de uma hora e meia. Entramos para alcançar nosso objetivo e saímos o mais rápido possível”, explicou um dos PMs da P-2 que participou da ocorrência.

Houve confronto assim que os policiais chegaram à favela, mas ninguém foi ferido ou preso. O líder do tráfico na região é conhecido como Palhaço, que namora a filha do traficante Celso Luís Rodrigues, o Celsinho da Vila Vintém, 46 anos, e seria o homem de confiança dele.

Jorge Costa de Souza Júnior, 22, Júlio Sérgio Ferreira de Souza, 21, e Walter Gouveia Neto, o Cheira Bosta, 24, foram presos em dezembro de 2008

Jorge Costa de Souza Júnior, 22, Júlio Sérgio Ferreira de Souza, 21, e Walter Gouveia Neto, o Cheira Bosta, 24, foram presos em dezembro de 2008

No dia 11 de dezembro, uma operação foi realizada no local com o objetivo de localizá-lo e prendê-lo. No entanto, ele conseguiu fugir.
Na ocasião, os PMs se dirigiram a dois barracos localizados no encontro da Rua Belisário com o Beco Procópio. No primeiro deles, surpreenderam Jorge Costa de Souza Júnior, 22, e apreenderam uma metralhadora nove milímetros. No outro, estavam Júlio Sérgio Ferreira de Souza, 21, e Walter Gouveia Neto, o Cheira Bosta, 24. Este último já havia sido preso e cumpriu pena por tráfico de drogas e associação para fins de tráfico. Ele estava em liberdade há um ano. Com a dupla, os PMs apreenderam uma metralhadora calibre 45 e dois rádios de comunicação.

O delegado Felipe Curi, adjunto da 33ª DP (Realengo), autuou o trio por posse ilegal de arma de fogo de uso restrito. Já Júlio Sérgio e Cheira Bosta também foram autuados por associação para fins de tráfico. A apreensão de ontem foi registrada na mesma delegacia.

Policia